Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Oprah Winfrey

Disney lança ‘Uma dobra no tempo’, filme com diretora negra, elenco multirracial e orçamento de US$ 100 milhões

0

Reese Witherspoon e Storm Reid em cena do filme ‘Uma dobra no tempo’ (Foto: Divulgação)

Longa de Ava Duvernay com Oprah Winfrey, Reese Witherspoon e Chris Pine estreia nesta sexta-feira (9) nos EUA. Livro infantil que o inspirou retrata empoderamento da mulher negra.

Publicado no G1

Um mês depois que “Pantera Negra” enalteceu a cultura negra por meio de um filme de super-herói, “Uma dobra no tempo” quer fazer o mesmo através de um amado livro infantil norte-americano.

Dirigido pela cineasta negra Ava DuVernay (“Selma: Uma luta pela igualdade”), o filme da Disney transforma a história de ficção científica sobre a angústia e a imaginação da adolescência, publicada em 1962 pela autora Madeleine L’Engle, em uma visão de empoderamento da mulher negra.

O filme, que estreia no Estados Unidos nesta sexta-feira (9), também marca a primeira vez em que uma mulher negra dirigiu um filme de ação de Hollywood com um orçamento maior do que US$ 100 milhões e com um elenco tão multirracial.

Oprah Winfrey em cena do filme ‘Uma dobra no tempo’ (Foto: Divulgação)

No Brasil, “Uma dobra no tempo” entra em cartaz em 29 de março.

Oprah Winfrey, Mindy Kaling e Reese Witherspoon interpretam as três criaturas sobrenaturais que ajudam a guiar Meg Murry, uma menina de 13 anos que ama física, na procura por seu pai desaparecido, que envolve salvar o universo do mal.

“Olhem o que está no centro dessa história. Essa linda jovem menina, que é uma pessoa negra, que entra nessa incrível aventura para descobrir seu pai e, então, descobre o melhor de si mesma no processo”, disse Oprah Winfrey, que vive a sobrenatural Sra. Which.

Chris Pine em cena do filme da Disney ‘Uma dobra no tempo’ (Foto: Divulgação)

DuVernay escolheu a atriz Storm Reid para viver a adolescente Meg, e encheu o filme de atores de diversas etnias.

“Todos não deveriam ter um lugar na mesa? Isso é tudo que estamos dizendo aqui”, disse DuVernay.

“Pantera Negra”, também da Disney, recebeu excelentes críticas e arrecadou US$ 921 milhões nas bilheterias do mundo todo em três semanas, rompendo com a noção de Hollywood de que filmes sobre ou realizados por pessoas negras não geram dinheiro.

Michelle Obama escritora: o que podemos esperar do futuro da primeira-dama americana

0
Foto: Nicholas Kamm / AFP

Foto: Nicholas Kamm / AFP

 

Publicado na Revista Donna

Para Michelle Obama, a saída da Casa Branca não significará o afastamento de projetos e causas pelos quais lutou ao longo dos últimos oito anos. Em entrevista ao jornal americano The Washington Post, Melissa Winter, porta-voz da equipe, revelou que a mãe de Malia Ann e Sasha quer escrever livros, inclusive já tem uma publicação de memórias encaminhada.

Apesar de, um ano atrás, Michelle ter falado no programa de Oprah Winfrey que gostaria de voltar à vida normal, os planos parecem ter mudado. Todo o trabalho feito até hoje, segundo Winter, terá continuidade.

– Ainda não fizemos nenhum plano a longo prazo, é hora de dar espaço para ela voltar a ser uma cidadã comum – explicou Melissa, que trabalha com Michelle desde o primeiro mandato de Obama.

Registro da família Obama em setembro de 2009, no ano da posse de Barack | Official White House Photo

Registro da família Obama em setembro de 2009, no ano da posse de Barack | Official White House Photo

 

– Provavelmente, com o decorrer do tempo, muitos livros virão. Vejo muito futuro em Michelle. Transmitir toda a experiência que ela viveu nos últimos anos vai ser um passo natural – completou.

Para manter a agenda como ativista, a primeira-dama contratou alguns membro da atual equipe, que se mudará para um pequeno escritório em Washington, onde a família pretende morar até que a filha mais nova, Sasha, termine os estudos.

4 livros empoderadores de autoras negras

0

livros-empoderadores-de-autoras-negras-noticias

Publicado no Universia Brasil

Por meio dos livros, os autores conseguem passar suas mensagens para os leitores, incentivando-os a buscar seus objetivos pessoais. Com o mesmo foco, algumas escritoras negras produziram obras que podem ser consideradas de grande importância para o empoderamento feminino negro. A seguir, confira 4 livros imperdíveis para alcançar todos os seus objetivos:

1 – The Little Black Book of Success: Laws of Leadership for Black Women, de Elaine Meryl Brown Marsha Haygood, Rhonda Joy McLean

O foco do livro é dar dicas para as mulheres negras sobre como atingir o sucesso profissional. As escritoras são empreendedoras de sucesso e pretendem fazer com que o livro sirva como uma espécie de mentor, fazendo com que cada vez mais mulheres negras consigam se destacar dentro do mercado de trabalho.

2 – O que eu sei de verdade, de Oprah Winfrey

Durante as páginas do livro, a apresentadora Oprah Winfrey fala sobre as lições que aprender com situações do passado. O objetivo central da autora é estimular as leitoras a sempre serem o melhor que puderem, dando o seu melhor para conseguirem alcançar tudo o que almejam.

3 – All the Joy You Can Stand: 101 Sacred Power Principles for Making Joy Real in Your Life, de Debrena Jackson Gandy

A autora busca mostrar para as leitoras como elas podem transformar positivamente a vida que levam, por meio de histórias que viveu. Ela escreve para deixar claro que, ao mudar, as pessoas conseguem atingir seu potencial mais alto, seja no âmbito pessoal ou profissional.

4 – The Personal Touch by Terrie Williams

Terrie Williams mostra como conseguiu criar uma empresa de sucesso e, por meio de suas experiências, incentiva que outras mulheres sigam o mesmo caminho. O foco é mostrar que não importa de onde a pessoa venha, ela sempre conseguirá atingir os objetivos que deseja ao se esforçar para tal.

Os EUA e as biografias: “A vida de uma pessoa pública pertence a todos nós

0

No mercado editorial americano, o ramo do “não autorizado” é próspero em best-sellers. Historicamente, a maior revolta contra uma obra foi de Frank Sinatra

Publicado no IG

No mercado literário americano costuma-se dizer que quem quer ler a verdade a respeito de uma celebridade deve procurar pela biografia não autorizada escrita por algum jornalista de boa reputação. Nesse tipo de obra é possível ficar sabendo, por exemplo, que a apresentadora Oprah Winfrey teve romances secretos com mulheres, comercializou seu corpo na adolescência, e, por conta da falta de dinheiro para Barbies, brincava de casinha com duas baratinhas (aquelas mesmo de oito pernas e duas anteninhas – e bem vivas) que ela batizou de Melinda e Sandy. Tudo isso está no livro “Oprah”, escrito em 2010 por Kitty Kelley, renomada como uma das maiores especialistas no ramo do “não-autorizado” americano, mas provavelmente não estaria em uma biografia autorizada. Já quem procura por caminhos coloridos para idolatrar ainda mais seus herois, e só ouvir o lado A de suas histórias, deve buscar a biografia autorizada.

As biografias não autorizadas circulam livremente no mercado americano, mas, ainda assim, lançar uma biografia sem autorização prévia do biografado nos Estados Unidos pode dar muita dor de cabeça, e elas chegam na forma de ações judiciais movidas pelo “dono” da história.

Reprodução
Capa do livro que Kitty Kelley levou três anos para escrever e que Sinatra não pôde impedir

Quando, em 1983, soube que sua biografia não autorizada, “His Way”, estava sendo escrita pela mesma Kelley, Frank Sinatra acionou seus advogados para tentar impedir: alegava invasão de privacidade.

Um ano depois, o próprio Sinatra retirou a ação, e teve que engolir as mais de um milhão de cópias que inundaram as livrarias. Foram 22 semanas na lista de “mais vendidos”.

Para escrever a obra, Kelley passou três anos revirando documentos oficiais do governo americano (material relacionado à máfia e gravações secretas) e entrevistando mais de 800 pessoas do convívio do cantor. Ouviu família, colegas de trabalho e amigos.

Na introdução do livro, ela esclarece: “Tentei diversas vezes entrevistar Frank Sinatra para este livro. Durante um período de quatro anos, enviei várias cartas e nunca obtive resposta. Passei a ligar e escrever para seu editor, Lee Sotters. De novo, nada de resposta. Então fiz diversos telefonemas para o advogado do sr. Sinatra, Milton Rudin, e enviei várias cartas.(…) Em 21 de setembro de 1983, antes mesmo que uma palavra fosse escrita, Frank Sinatra abriu um processo para impedir este livro de ser publicado.” O valor do processo, esclarece ela mais adiante, era de 2 milhões de dólares. “Ele disse que só ele, e apenas ele, ou alguém indicado por ele, poderia escrever a história de sua vida.”

Reprodução
A “verdadeira história” da princesa Diana, o maior best-seller do ramo das não autorizadas

O livro de Sinatra continua sendo das biografias mais vendidas da história, atrás apenas das biografias não autorizadas da princesa Diana, de Elvis Presley, de Elizabeth Taylor e de Michael Jackson (a indústria não fornece os números exatos).

Não autorizadas são maioria entre os 10.000 lançamentos de 2012

O gênero “biografia” está entre os que mais cresceram nos últimos dez anos (60%), perdendo apenas para segmentos como “economia” e “tecnologia” em um mercado que movimenta anualmente 15 bilhões de dólares (cerca de 33 bilhões de reais), segundo o *BookStats. Em 2012, dez mil novas biografias chegaram às prateleiras norte-americanas (Fonte: *Bowker). Dentro desse número, a quantidade de obras não-autorizadas é maioria. Na loja virtual amazon.com, a oferta de biografias prova isso: entre as autorizadas, há 1.310 opções. A lista das não autorizadas tem 1.713 títulos. Há algumas não autorizadas tão criativas que surgem em formatos pouco ortodoxos, como gibis: Steve Jobs , Adele , Eminem e Lady Gaga ganharam suas versões HQ coloridas e não autorizadas, assim como Zac Efron e Justin Bieber .

Por falar em Bieber, esse ilustra bem a predileção do mercado de livros por astros em ascensão. Quando o garoto explodiu no showbiz, dezenas de biografias não autorizadas foram preparadas, algumas prontas em questão de semanas e, claro, de qualidade duvidosa. Aqueles que se retiram do showbiz também despertam a sanha. As mortes de Whitney Houston e Michael Jackson geraram várias biografias não autorizadas em questão de semanas. Mas o recorde fica com a morte de Elizabeth Taylor , em 2011, que abriu espaço para cinco biografias lançadas por grandes editoras americanas. Em uma das obras ficamos sabendo que a diva fez um ménage a trois com o presidente John F. Kennedy e o ator Robert Stack, informação que uma “autorizada” muito provavelmente não teria.

Biógrafos chegam a receber R$ 1,5 milhão de adiantamento

Reprodução
Umas das não autorizadas de Elizabeth Taylor, das estrelas favoritas dos biógrafos

Alguns autores especializados em biografias não autorizadas, como Kelley (Jacqueline Kennedy Onassis, Nancy Reagan, Elizabeth Taylor, Oprah), chegam a receber adiantamentos de um milhão e meio de reais, o que mostra que, mesmo com o risco de processos judiciais movidos pelo biografado, a ousadia compensa. Ainda assim, são bissextos os casos em que o biografado vai à Justiça alegando “invasão de privacidade” e ganha a causa como, no Brasil, aconteceu com Roberto Carlos, que conseguiu uma ordem judicial para que sua biografia não autorizada, “Roberto Carlos em Detalhes”, fosse recolhida das lojas (os livros hoje estão sob seu poder, embora ninguém saiba onde).

Nos Estados Unidos, um dos raros vitoriosos nesse âmbito foi o escritor recluso J.D Salinger (“O Apanhador no Campo de Centeio”), que justificou a ação dizendo que cartas que escreveu seriam usadas em uma biografia não autorizada que estava sendo escrita a seu respeito, e que isso invadia sua privacidade. Depois de algumas discussões mediadas por um juiz, as cartas foram retiradas; e a biografia lançada. Outros pesos pesados como Oprah Winfrey, George Bush , Ronald Reagan e Tom Cruise não puderam fazer nada além de espernear: suas biografias não autorizadas foram lançadas a despeito das caras-feias, dos pedidos para que fãs não as comprassem e de poucas e frustradas tentativas de investidas judiciais.

(mais…)

Promo de quinta (5)

16

promo-de-quinta-mob-publishnews

“Nada jamais continua, tudo vai recomeçar!”
Mario Quintana

Olá, fissurados em livros.

A semana está passando rapidamente e já é quinta-feira, dia de 2 felizardos ganharem livros superlegais, presente do PublishNews e do Livros e Pessoas, dupla mais afinada que muitas sertanejas. 😛

A editora que vai participar hoje com a gente é a Objetiva e o livro escolhido foi o lançamento Livre – A jornada de uma mulher em busca do recomeço. Toda trabalhada na generosidade, a galera de lá mandou 2 kits com livro + mochila + squeeze. #todasquer

Olha só o que a Oprah Winfrey disse sobre essa obra:

“Eu amo este livro. Quero gritar isso do topo de uma montanha. Quero gritar na internet. Amo tanto e quero tanto falar sobre ele que decidi reinventar meu clube do livro.”

 

Hoje vamos fazer diferente. Para concorrer, basta deixar um comentário neste post dizendo algo que você deseja recomeçar ainda neste ano. Essa demonstração de coragem e de disposição certamente vai inspirar outras pessoas a compor novas páginas na aventura da vida. #natorcida

No final da tarde divulgaremos os nomes dos internautas sorteados. Boa sorte! :-)

Big abraço

 

***

Parabéns: Pamela Pecegueiro e Ro Angarten :-)

Go to Top