Posts tagged organização

11 livros para fugir das multidões no mês do Carnaval

0

Nossa lista de dicas literárias de fevereiro foi feita pensando em você, que prefere aproveitar o calorão e a folia de forma mais tranquila. Confira!

Giuliana Viggiano, na Galileu

Nem todo mundo gosta de curtir fevereiro ouvindo marchinhas de Carnaval em meio a multidões, né? Pensando nessas pessoas (e também em quem quer variar entre a folia e uma boa leitura), separamos alguns livros bacanas para os fãs de literatura. Confira:

Recursão, de Blake Crouch (Intrínseca, R$ 59,90, 320 páginas)
A vida do detetive Barry Sutton vira de cabeça para baixo quando ele encontra uma mulher que tem a Síndrome da Falsa Memória, uma doença que implanta lembranças falsas na mente da pessoa. Em paralelo, a neurocientista Helena Smith é agraciada com um patrocínio para sua pesquisa em busca da cura do Alzheimer.

Quando as histórias desses dois se cruzam por conta de uma conspiração, o detetive e a cientistas percebem que o conceito de tempo não é o mesmo hoje do que qual conheciam anteriormente. Em uma história eletrizante, Blake Crouch mostra todo seu talento, levando o leitor a refletir sobre o mundo e sobre si mesmo.

Identidade das nações, com organização de Peter Furtado (Edições Sesc, R$ 68, 296 páginas)
Para organizar essa coletânea, Peter Furtado contou com a ajuda de pesquisadores de diferentes países do mundo, que escreveram um pouco sobre suas respectivas nações de origem. Uma boa pedida para quem curte história, geografia e política.

A guerra pela Uber, de Mike Isaac (Intrínseca, R$ 59,90, 464 páginas)
A trajetória da start up que mudou a forma como nos locomovemos é analisada nesse livro, escrito pelo jornalista Mike Isaac, do The New York Times. Além de falar sobre as origens e o impacto da Uber no mundo, o autor traz informações exclusivas sobre o funcionamento da empresa e apresenta os desafios que seus funcionários e CEOs ainda enfrentam.

O livro dos humanos, de Adam Rutherford (Record, R$ 39,90, 252 páginas)
O que nos diferencia das outras espécies de animais? Foi buscando responder essa questão que Adam Rutherford escreveu O livro dos humanos. Na obra, além de analisar a genética do Homo sapiens, o autor aborda diferentes habilidades tidas como essencialmente humanas, como a fala e o arrependimento, e procura comportamentos semelhantes em outras espécies. Uma boa pedida para os fãs de biologia.

Entre dois mundos: Oblivion Song, de Robert Kirkman, Lorenzo de Felici e Annalisa Leoni (Intrínseca, R$ 49,90, 136 páginas)
Esse é o segundo volume dos quadrinhos criados por Robert Kirkman, a mente por trás da história que deu origem à série de sucesso The Walking Dead. Em um futuro distópico, um cientista é o único que ainda busca pelas vítimas do enfrentamento entre a nossa sociedade e seres monstruosos de outro mundo.

Nós & eles, de Bahiyyih Nakhjavani (Dublinense, R$ 49,90, 304 páginas)
Nessa obra sensível e bem escrita, a escritora iraniana Bahiyyih Nakhjavani conta a história das três gerações de mulheres de uma família que vive em seu país natal. Narrado na primeira pessoa no plural, Nós & eles relata as dificuldades e a força dessas mulheres que, apesar de fictícias, passam por situações reais para as moradoras do Irã.

Dionísio em Berlim, de Tiago Novaes (Dedalus Editorial, preço sob consulta, 132 páginas)
Cinco narradores trazem perspectivas diferentes sobre o mesmo personagem: Dionísio, deus grego do vinho, das festas e do teatro. De forma poética, Tiago Novaes apresenta novas versões dessa entidade mitológica tão importante para o desenvolvimento da nossa sociedade.

Sobre os ossos dos mortos, de Olga Tokarczuk (Travessa, R$ 59,90, páginas)
Um suspense eletrizante, esse livro consagrou a vencedora do Prêmio Nobel de literatura de 2018 Olga Tokarczuk como uma das grandes autoras do século 21. A história se passa em uma remota vila polonesa, onde a protagonista, Janina, trabalha como tradutora e caseira de casas de verão.

A mulher é famosa na região por amar estudar astrologia — e por simpatizar muito mais com animais do que com seres humanos. Sua personalidade reclusa se torna um problema quando uma série de assassinatos macabros começam a ocorrer no vilarejo.

Janina decide investigar os acontecimentos, pois tem certeza de que sabe quem é o autor dos crimes. Nessa obra, o leitor é levado a uma jornada que mistura investigação policial com um intenso suspense psicológico.

Ela disse: Os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo, de Jodi Kantos e Megan Twohey (Companhia das Letras, R$ 49,90, 376 páginas)
Nessa obra, as jornalistas Jodi Kantos e Megan Twohey contam como conseguiram conquistar a confiança de diversas mulheres e testemunhas para darem vida à reportagem que revelou os abusos sexuais perpetrados pelo produtor Harvey Weinstein. Além de ser uma aula para os fãs de jornalismo, a obra discute os impactos do texto que iniciou o movimento #MeToo, além de reflexões das próprias autoras sobre o trabalho.

Os segredos que guardamos, de Lara Prescott (Intrínseca, R$ 59,90, 368 páginas)
Durante a Guerra Fria, quando Doutor Jivago, de Boris Pasternak, foi submetido à União de Escritores Soviéticos, o livro foi banido por conter alegações críticas ao regime. Isso deu origem a uma operação ilegal na qual as cópias da obra foram impressas na Holanda e contrabandeadas para a União Soviética por espiões norte-americanos.

É nesse contexto que a narrativa fictícia de Os segredos que guardamos acontece. Na obra, Lara Prescott conta as peripécias de uma das espiãs responsáveis por divulgar Doutor Jivago, refletindo sobre o regime da época e trazendo insights sobre a vida das mulheres daquela época.

Até que a morte nos ampare, de Marcos Martinz (Skull, preço sob consulta, 68 páginas)
A noiva cadáver Rosinha está condenada a reviver o dia de sua morte para todo o sempre — ou até alguém descobrir quem é seu assassino. Como ajudá-la? Lendo o livro, é claro.

Por categorias ou por cores? É hora de organizar seus livros

0

Atenção, ‘spoiler’: se seguir esses conselhos precisará se desfazer de alguns exemplares

Brenda Valverde, no El País

María Gallay foi encarregada de transportar a biblioteca de uma família de Madri a Málaga. A organizadora profissional, que se dedica a ajudar as pessoas a resolverem o caos que às vezes surge quanto existem muitas coisas em casa, empacotou e etiquetou cada livro seguindo escrupulosamente a ordem em que se localizavam na biblioteca de origem, sem que ninguém lhe pedisse: poetas de um lado, dramaturgias em outra caixa, os autores de ficção separados do resto… A surpresa da dona dos livros foi tal ao descobri-lo que Gallay lembra disso como uma das histórias mais gratificantes de seu trabalho.

Os livros são esses colegas de apartamento que vão se apoderando de seu espaço pouco a pouco, e ainda que fique anos sem folheá-los eles continuam acumulando pó em cada uma de suas páginas. Talvez ocorra o mesmo com você, armazena livros e livros sem nenhum tipo de critério, de suas obras favoritas àquele que te presentearam uma vez em uma promoção e nunca mais entrou em seus planos de leitura. É muito difícil desfazer-se de livros, por isso manter sua biblioteca em ordem é fundamental para dilatar o máximo possível esse dramático momento.

“O melhor desse tipo de trabalho é que pelo menos os livros são retos, são mais fáceis de organizar do que outras coisas”, brinca Gallay, que já está há 15 anos nesse serviço. A especialista afirma que a cumplicidade com os clientes é fundamental para realizar o trabalho: “As bibliotecas precisam ser, principalmente, práticas, o dono deve reconhecer os livros, saber como procurá-los e, o mais importante, como devolvê-los ao seu local correto”.

Ainda que cada um tenha seus palpites no momento de organizar as coisas alheias, Pilar Quintana nos revela quatro passos básicos para criar um sistema de organização duradouro e eficaz.

1. Tirar tudo

Mas tudo mesmo. De acordo com a especialista, só percebemos o que temos quando vemos o conjunto.

2. Fazer pequenas pilhas

De um lado, agrupamos os livros dos quais queremos nos desfazer, os que estão muito usados e em mau estado. Quintana recomenda fazer uma segunda pilha com livros para doação, diz que as pessoas sentem-se bem ao saber que seus livros terão uma segunda vida e que além disso estão ajudando nesse sentido (lares de idosos, regiões desfavorecidas…).

Para uma terceira pilha vão os livros que você quer dar de presente a alguém (“coloque seu nome”, caso contrário, é bem provável que nunca saiam de sua casa, afirma a especialista) e em uma quarta divisão coloque os que quer vender.

A quinta pilha é o que vale: os livros que ficam com você (continuamos!).

3. Estabelecer categorias e designar espaços

Assim que você definir as leituras que se salvam das indicações e devem continuar em sua biblioteca, deve separar os livros por categorias, tal como recomenda a guru japonesa Marie Kondo, e ao mesmo tempo determinar em quais espaços colocará essas categorias. “Uma estante por categoria é o melhor”, recomenda Quintana.

4. Arrumando!

Chegou o grande momento, colocar cada livro no espaço adequado…, mas como? Por cores? Por tamanhos? Por ordem alfabética? Dá na mesma? (como daria na mesma, você está há um minuto lendo um artigo sobre como organizar sua biblioteca!).

A primeira coisa a se pensar é como você reconhece seus livros. Alguns são mais visuais, pessoas que sabem perfeitamente em qual editora compraram cada exemplar, leitores que se negam a misturar poesia com romance…

Priorizando a estética. As cores dos livros podem ser um critério no momento de organizar sua biblioteca. Não é uma opção muito prática, mas indubitavelmente é a mais efetiva se você for dos que se lembram que um livro é amarelo, mas não do nome do autor.

Pablo López Navarro, integrante do estúdio de decoração Casa Josephine, nos conta que nunca se deve utilizar critérios decorativos para organizar uma biblioteca, mas que podemos introduzir detalhes que façam desse espaço um ambiente mais cálido. “Elementos têxteis, fotografias e plantas” são excelentes para conviver com nossos livros, afirma.

Por tamanho. Os especialistas da ordem revelam que uma das regras de ouro para organizar livros é que os mais altos ficam à esquerda e os menores do lado direito da estante. A sensação de ordem é maior.

Por categoria. Distribuir suas leituras por categorias (não ficção, romances, livros acadêmicos…) pode ajudar a encontrar de maneira bem rápida o livro que você precisa. Quintana recomenda etiquetar as estantes se temos muitos livros acumulados.

Dentro de nossa ordem não é preciso colocar todos os livros na vertical, alterná-los com pilhas horizontais pode ser útil se os espaços não forem muito altos.

Uma mistura das três anteriores. Se você quer unir o critério mais prático sem desligá-lo do estético, comece por organizar sua biblioteca por categorias e na sequência tente agrupar os livros por cores e tamanhos sem que destoem muito entre eles, para conseguir uma harmonia estética e prática.

E se depois de ler tudo isso você perdeu a vontade de organizar seus livros, mostramos algumas fotos de bibliotecas bonitas para que você aproveite as dos outros.

 

Mentores recomendam: 5 livros para acelerar o crescimento da sua empresa em 2017

0
iStock

iStock

 

Selecionamos livros que oferecem caminhos para você e sua empresa se prepararem para um futuro com mais crescimento. A ideia é inspirar você na construção de uma organização marcante.

Publicado no Administradores

A temporada de planejamento estratégico está a todo vapor! E, com ela, a possibilidade de o empreendedor revisitar seu plano de crescimento, os avanços, as conquistas e também o caminho que existe pela frente. Nessa seleção, apostamos nos livros voltados para o crescimento de organizações sustentáveis e marcantes –e que são feitas para durar.

1. Organizações Exponenciais –por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito), por Salim Ismail

Aconteceu com a gente: fomos procurar o livro em uma livraria de um grande shopping de São Paulo, e o vendedor nos entregou a obra em questão de segundos. Isso porque o título já foi recomendado por lideranças de grandes empresas da cidade, o que fez o estoque acabar em alguns dias. Esse livro também foi tema de uma palestra dada pelo Juliano Seabra, diretor-geral da Endeavor, para todo o time em julho deste ano. E tem servido de inspiração para o nosso trabalho.

As chamadas Organizações Exponenciais têm um impacto desproporcionalmente grande –pelo menos dez vezes maior– comparadas aos seus pares, por usarem novas técnicas organizacionais que alavancam as tecnologias aceleradas. Na prática, falamos de empresas como o Uber, o TED, o Google, o Waze e o Snapchat. À medida que as tecnologias disponíveis se entrelaçam, o ritmo da inovação acelera ainda mais. E cada intersecção de tecnologia acrescenta mais um multiplicador na equação, tornando essa mudança exponencial!

Por que ler?

Além de falar sobre os efeitos da tecnologia, os autores deixam claro: esse é apenas 1% do caminho que ainda temos para ser percorrido. Por isso, apresentam uma série de 10 atributos, de ordem interna e externa, que caracterizam essas novas organizações. Cabe a você entender esse cenário e desenhar também uma organização preparada para crescer exponencialmente. Se achou o tema interessante, não precisa esperar seu pedido chegar pelo correio. Já pode conhecer esse resumo criado pelo coautor do livro, e que está disponível no SlideShare. Editora HSM Management (valor: a partir de R$ 28,00).

2) A Mentalidade do Fundador, por Chris Zook e James Allen

Se você perguntar aos empreendedores apoiados pela Endeavor qual é o livro que estão lendo nesse momento, provavelmente a resposta vai ser o The Founder’s Mentality, do Chris Zook. Há poucos meses distribuímos para todos eles uma edição para que conheçam os elementos que tornam uma empresa realmente grande e duradoura.

A lição central do livro é que a maioria dessas organizações tem uma incrível característica que corre como um fio áureo por cultura, identidade e vantagem competitiva: a mentalidade do seu fundador.

O que se traduz em algumas características em comum:

1. Uma clara missão insurgente

2. Uma inequívoca cabeça de dono

3. Uma implacável obsessão com a linha de frente

Por que ler?

Os autores passaram alguns anos realizando mais de 450 reuniões e workshops em mais de 50 países, na busca pelo que torna essas empresas especiais, duradouras e grandes exemplos. Por meio de várias análises e exemplos inspiradores, esse livro mostra como qualquer líder –e não apenas um fundador– pode incutir e fomentar uma mentalidade de fundador em toda a sua organização e encontrar um crescimento rentável duradouro. Editora Figurati Valor.

3) Execução: a disciplina para atingir resultados, por Larry Bossidy e Ram Charam

É provável que isso também aconteça na sua empresa: o maior desafio do planejamento estratégico não está na definição da missão, das metas ou das iniciativas, mas sim na execução do que foi planejado. Essa lacuna entre o pensado e o feito impede a empresa de sair do lugar e dar o próximo passo em direção ao futuro que os empreendedores veem pela frente.

Por que ler?

Se você está recomeçando o processo de planejamento estratégico para 2017, esse livro é de grande ajuda. Use cada capítulo para orientar sua comunicação, partindo do seu papel como líder do processo até a criação de uma cultura focada na execução, o que passa pelo recrutamento, pela comunicação com o time e até pelo jeito como as reuniões são conduzidas. Editora CAMPUS Valor.

4) Built to Last: successful habits of Visionary Companies, por Jim Collins

“Este não é um livro sobre líderes visionários carismáticos. Nem mesmo sobre conceitos de produtos inovadores com insights de mercado inéditos. Este é um livro sobre algo muito mais importante, duradouro e substanciais: organizações visionárias.”. É assim que os autores dão início a esse guia prático, útil para todos aqueles que desejam criar empresas que são marcos em um determinado setor –e que sobrevivam com a passagem do tempo.

Para isso, eles desconstroem os principais mitos que giram em torno de companhias famosas e de reconhecido sucesso. Alguns deles são:

1. É preciso uma grande ideia para começar uma empresa. Poucas empresas visionárias começaram com uma grande ideia. Muitas delas começaram sem uma ideia específica –como a HP e a Sony– e outras foram grandes fracassos –até se reinventarem. De fato, uma grande ideia logo no início pode levar ao risco de uma empresa nunca estar pronta para se adaptar às mudanças do mercado.
2. As empresas de maior sucesso tomam decisões por meio de complexos planejamentos estratégicos Apesar de manterem rituais de planejamento, na prática, essas empresas experimentam uma série de coisas e mantém aquilo que funciona, sem apego ao plano.
3. A maioria delas se concentra primeiramente em acabar com seus concorrentes Se nós imaginávamos que essas empresas estavam muito preocupadas com o que os outros fazem, nos engajamos. Elas podem se concentrar em se “autodestruir”, se reinventar e criar algo novo. Antes que outra companhia vá lá e o faça.

Por que ler?

Desconstruindo o mito de que é necessário um líder visionário ou uma grande ideia, os autores propõem a todos os empreendedores um mapa, usando o exemplo de empresas que conhecemos, com o que é preciso para construir uma empresa feita para durar. Editora Collins (valor: a partir de R$37,00).

5) Discovery Driven-Growth: A Breakthrough Process to Reduce Risk and Seize Opportunity, por Rita Gunther McGrath e Ian C. MacMillan

Como você incentiva a inovação e persegue um crescimento ambicioso, minimizando as possibilidades de risco?

Neste livro, os autores mostram como os empreendedores podem planejar e buscar um crescimento mais agressivo com mais ousadia. Planejando com cuidado suas oportunidades estratégicas de crescimento, testando cada projeto com uma série de checkpoints e criando uma cultura que atua sobre evidências e aprendizados, as empresas podem controlar melhor seus custos, minimizar as surpresas e saber quando se desfazer de projetos questionáveis –antes que seja tarde demais.

Por que ler?

Com ferramentas que ajudam a selecionar e melhor avaliar o potencial de qualquer risco estratégico, de novas linhas de produtos a novos negócios, os autores desenham um processo claro que torna possível identificar, administrar e alavancar todo o portfólio de oportunidades da sua empresa. Editora Harvard Business School Press (valor: a partir de R$93,00).

Como estudar com um emprego de tempo integral

0
Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

 

Saber conciliar trabalho e estudo é difícil, mas é necessário se você quer avançar na carreira

Publicado no Universia Brasil

A educação é fundamental se você quer avançar na sua carreira, mas é difícil pensar em voltar a estudar quando já se trabalha. Mesmo que seja difícil conciliar as duas coisas, não é impossível. Leia agora cinco dicas de como conseguir um diploma para dar um impulso na sua carreira. Aviso: essas dicas presumem que o seu curso exija que todos os trabalhos sejam completados independentemente e que no fim haja uma prova.

1- Organize a leitura
Assim que você receber o material de leitura, divida-o em semanas. Veja quantas páginas você precisa ler e quantos dias você tem para lê-las. É uma boa ideia dividir a leitura em semanas para que a tarefa não pareça muito difícil. Assim, você evita ter uma prova se aproximando e 500 páginas para ler.

2- Aproveite seu tempo de transporte
O brasileiro costuma passar, em média, 1 hora por dia se transportando de um lugar para o outro. Você pode aproveitar esse tempo para colocar seus estudos em dia, e isso não significa estudar e dirigir. A maioria dos livros vem com CDs que podem ser ouvidos no carro. Se o seu material é digital, há aplicativos como o Play Books são capazes de lê-los em voz alta. Existem também programas para transformar textos em áudios.

3- Mantenha o conteúdo próximo
Tente ter conteúdo perto de você sempre. Mesmo algo simples como uma notinha para revisão já serve. Existem vários pequenos momentos no dia-a-dia em que você pode usa-los (esperando no médico, esperando na fila de uma loja). Quanto mais tempo de estudo você conseguir encaixar no seu dia, menos tempo será gasto estudando a noite, quando você poderia estar com a sua família ou fazendo coisas mais interessantes.

4- Faça um sacrifício por dia

Para completar seu curso você terá que fazer sacrifícios. A dica é sacrificar atividades que afetam apenas a você, como assistir à televisão, ao invés de deixar de passar tempo com família e amigos. Com uma hora por dia que você usaria para assistir TV, é possível terminar com calma as leituras do ano.

5- Planeje um dia de estudo antes da prova
No dia (ou semana) da prova, todo mundo fica um pouco mais estressado. Se você puder, tire um dia de folga antes da prova. Mesmo se você estiver confiante nos seus estudos, tirar um dia de folga ajuda a manter os níveis de estresse baixos e abre a chance de revisar algum livro. Na pior das hipóteses, você terá tempo de ler 500 páginas que ficaram para trás.

Confira 10 excelentes dicas para aumentar bastante seu rendimento nos estudos

0

Estudante

Publicado no Amo Direito

Aumentar o rendimento dos estudos significa, basicamente, ensinar o cérebro a assimilar conteúdos e não apenas decorá-los. Isso engloba desde manter uma vida equilibrada a exercitá-lo cotidianamente, com leituras e resolução de problemas simples. É importante lembrar que nosso corpo funciona como uma máquina em que todas as engrenagens precisam funcionar em sintonia para que o resultado final seja positivo.

Por isso, ao treinar o cérebro para assimilar mais conteúdos, não esqueça de cuidar do corpo, fazendo atividades físicas e que lhe dão prazer. Não é porque você está se dedicando aos estudos para uma prova de concurso que precisa abrir mão da vida social com os amigos, afinal, divertir também faz parte das técnicas para aumentar o rendimento nos estudos.

Confira algumas dicas para aumentar o rendimento nos estudos

1 – Exercite o cérebro
A mente humana esquece 50% do que lê em apenas duas horas. Isso significa que não adianta ler muito, é preciso ampliar o foco. Para isso concilie a informação que se leu com algum interesse do seu cérebro.

2 – Duas horas de estudo
Mantenha o foco em uma disciplina por vez. O ideal é que você se dedique a apenas uma matéria, pelo menos, duas horas por dia. Se o concurso que você irá fazer exige conhecimentos em língua portuguesa e matemática, o ideal é que todos os dias você treine pelo menos duas horas em cada matéria.

3 – Não decore
A mente esquece tudo aquilo que decoramos. Ao invés de decorar, assimile o conteúdo e aprenda a armazenar conteúdos para que eles se fixem por um maior tempo.

4 – Organize-se
Ninguém consegue estudar em meio ao caos. Organize seu ambiente de estudo e procure em estudar em ambientes em que sua atenção não será desviada para outras atividades.

5 – Aqueça o cérebro
Assim como quando você vai para a academia seu corpo precisa de meia hora de aquecimento, antes de encarar a maratona de estudos, seu cérebro precisa passar pelo mesmo processo. Para aquecer o cérebro, faça leituras que possam ajudar na resolução de pequenos problemas, como textos sobre a base da língua portuguesa ou sobre os princípios básicos da matemática.

6 – Anote

Ao estudar tenha o hábito de anotar tudo aquilo que lhe parece importante, ao final, faça um resumo sobre as ideias centrais das matérias estudadas.

7 – Mantenha a qualidade de vida
De nada adianta virar noites sem dormir. Isso não contribui para a assimilação do conteúdo. Por isso, durma ao menos oito horas por noite, pratique atividades físicas, saia com os amigos, tenha uma alimentação saudável e afaste os vícios, como cigarro, bebidas e até mesmo o popular cafezinho, que pode causar insônia quando consumido muitas vezes ao dia.

8 – Estude com antecedência
Nada de estudar para uma prova de concurso na véspera do exame . O ideal é a dedicação diária para que você não se desespere na véspera da prova.

9 – Não estude de madrugada
Evite estudar no período da madrugada. Isso porque é a hora que seu cérebro possui menos concentração. Além disso, não dormir de madrugada ocasiona no excesso de sono no dia seguinte, comprometendo o rendimento.

10 – Leia nas horas vagas
Os especialistas afirmam que ler nas horas vagas ajuda no processo de assimilação do conteúdo. Mas leia com atenção para que você entenda o que está lendo e não apenas fazendo uma leitura superficial.

Fonte: canal do ensino

Go to Top