Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Os 20

Os 20 livros de ficção mais vendidos de 2018. Quantos você leu?

0

(//Divulgação

Lista traz o último título do autor de ‘O Código Da Vinci’, romances que ganharam adaptações para o cinema e lançamentos de instapoetas

Meire Kusumoto. na Veja

A lista de livros de ficção mais vendidos em 2018 conta com a presença de velhos conhecidos dos leitores, como Dan Brown e Augusto Cury, e também de alguns fenômenos recentes, como os poetas que ganharam notoriedade publicando seu trabalho primeiro no Instagram antes de partir para as livrarias.

Quantos dos best-sellers do ano você leu?

Faça o teste arrastando as capas (dos livros que você já leu para a direita e dos que você não leu para a esquerda) ou usando os botões.

1. Textos Cruéis Demais para Serem Lidos Rapidamente (Globo Alt)

Representante brasileiro mais bem-sucedido em número de vendas do trabalho dos instapoetas – escritores que ganharam notoriedade ao publicar poesia nas redes sociais –, o livro chegou às livrarias em novembro de 2017 e teve 101.100 unidades comercializadas. Apesar de assinada pelo coletivo TCD, responsável pelas páginas no Facebook e no Instagram que tornaram o grupo conhecido, a coletânea foi escrita somente pelo paulista Igor Pires da Silva, 23 anos, e trata de temas como autoestima, saúde mental e amor. O jovem, junto com as amigas, prepara agora um segundo livro.

2. Origem (Arqueiro)

O romance, lançado em outubro de 2017, é mais uma prova do sucesso do americano Dan Brown no mercado editorial. Origem, que vendeu 98.292 exemplares durante este ano, traz de volta o professor de Harvard Robert Langdon, protagonista de outros títulos do escritor, entre eles O Código Da Vinci, tentando desvendar um mistério. Neste caso, o segredo que o especialista em simbologia precisa descobrir é nada menos do que uma das maiores dúvidas da humanidade: a origem do homem e seu destino.

3. Ainda Sou Eu (Intrínseca)

Terceiro romance da série best-seller iniciada por Como Eu Era Antes de Você, que ganhou adaptação para os cinemas em 2016, com Emilia Clarke e Sam Claflin nos papéis principais, Ainda Sou Eu foi lançado em janeiro e vendeu 90.980 cópias. No livro, a britânica Jojo Moyes dá continuidade à história de Louisa Clark, que chega em Nova York para tentar uma nova vida como assistente pessoal de um rico empresário americano.

4. Outros Jeitos de Usar a Boca (Planeta)

A indiana Rupi Kaur, considerada uma das pioneiras entre os instapoetas, tornou-se um fenômeno literário ao tratar de feminismo e abuso sexual, entre outros assuntos que vêm ganhando espaço nos últimos anos, em poemas curtos, simples e acessíveis. Outros Jeitos de Usar a Boca, seu primeiro trabalho, foi lançado em fevereiro do ano passado e, mais de um ano depois, continua firme e forte na lista de mais vendidos de VEJA. Só em 2018, a coletânea vendeu 81.241 exemplares.

5. O Conto da Aia (Rocco)

Alavancado pelo seriado que já ganhou diversos prêmios no Emmy e no Globo de Ouro, o romance da canadense Margaret Atwood, lançado na década de 80, voltou às listas de mais vendidos do mundo todo. No Brasil, a editora Rocco relançou o livro em junho do ano passado, com novo projeto gráfico. Segundo levantamento de VEJA, a obra que se passa em uma realidade distópica em que as mulheres férteis se tornam escravas sexuais nos Estados Unidos vendeu 72.318 unidades.


6. O Que o Sol Faz com as Flores (Planeta)

A segunda coletânea de poesias de Rupi Kaur foi lançada em março e vendeu 65.340 cópias no ano. No livro, dividido em cinco partes – murchar, cair, enraizar, crescer e florescer, as fases de uma flor –, a escritora retoma os assuntos de Outros Jeitos de Usar a Boca, tratando de relacionamentos abusivos, a relação com a mãe e questões de imigração.

7. Mais Escuro (Intrínseca)

Resquício da onda de romances eróticos que explodiu com Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James, em 2011, Mais Escuro faz parte da segunda trilogia da escritora britânica, que conta a mesma história de primeira, mas pelos olhos do lado masculino do casal, Christian Grey. O livro, o segundo da série, que faz paralelo com Cinquenta Tons Mais Escuros, chegou às prateleiras das livrarias em janeiro e vendeu, durante o ano, 62.264 exemplares.

8. O Homem Mais Feliz da História (Sextante)

Um dos maiores best-sellers brasileiros, Augusto Cury não raro aparece mais de uma vez, com títulos diferentes, às vezes de gêneros diversos, nas listas de mais vendidos. Com O Homem Mais Feliz da História, lançado em novembro do ano passado, o escritor vendeu 54.465 unidades. O livro, da mesma série de O Homem Mais Inteligente da História, traz o psiquiatra Marco Polo tentando entender os códigos da felicidade presentes no Sermão da Montanha.

9. Mitologia Nórdica (Intrínseca)

Conhecido pela série de graphic novels Sandman, Neil Gaiman volta a tratar dos deuses nórdicos nessa coletânea de contos. As histórias originais de Odin, Thor, Loki e companhia são revisitadas a partir de livros de referência do autor britânico, mas ele também trata de dar seu toque pessoal aos mitos. Lançado em março do ano passado, Mitologia Nórdica continua entre os mais vendidos, tendo comercializado 46.532 cópias só em 2018.


10. Poesia que Transforma (Sextante)

Segundo livro de Bráulio Bessa, reúne poemas e bastidores da vida e da produção literária do cearense que se tornou conhecido após sucessivas aparições no programa Encontro com Fátima Bernardes, da Globo, onde falava sobre o orgulho de ser nordestino e declamava seus versos. Poesia que Transforma foi lançado em julho e desde então não deixou a lista de mais vendidos de VEJA, acumulando vendas de 43.983 exemplares.

11. O Homem Mais Inteligente da História (Sextante)

O romance, lançado em outubro de 2016, continua marcando presença nas listas de mais vendidos. Só em 2018, o primeiro volume da trilogia de Augusto Cury sobre a inteligência de Jesus vendeu 43.194 exemplares. É nesse título que o leitor conhece Marco Polo, um psiquiatra ateu que decide estudar a mente do filho de Deus a partir dos textos do Novo Testamento, mas aplicando conhecimentos das ciências humanas.

12. A Revolução dos Bichos (Companhia das Letras)

A fábula se mantém atual, apesar de ter sido concebida pelo britânico George Orwell como uma sátira à ditadura stalinista em 1945. Com o passar das décadas e as mudanças políticas e sociais que o mundo sofreu, a narrativa que mostra os bichos tomarem o controle de uma fazenda e depois sucumbirem à sede de poder ganhou diferentes interpretações e significados, indicando que é uma obra de relevância permanente. Em 2018, a edição brasileira vendeu 43.084 cópias.

13. O Livro dos Ressignificados (Paralela)

Outro representante do grupo dos instapoetas, o brasiliense João Dorderlein, conhecido na internet como @akapoeta, vendeu neste ano 41.938 unidades de sua primeira coletânea de poesia, lançada em agosto de 2017. O Livro dos Ressignificados, como sugere o nome, propõe novos sentidos a algumas palavras, como astronauta (“é quem chega aonde quer. ou quem foge do mundo rotineiro para se encontrar”), estrela (“é quem, feito catapora, se multiplicou no céu, diria Carpinejar”) e sonhar (“é um marinheiro em fuga da realidade”).

14. A Mulher na Janela (Arqueiro)

Best-seller do The New York Times, o thriller fez sucesso também no Brasil – lançado em março por aqui, vendeu 28.476 unidades no ano. Escrito pelo editor Dan Mallory sob o pseudônimo de A. J. Finn, A Mulher na Janela retrata uma psicóloga infantil que, afastada do trabalho e da família e isolada em casa, acredita ter testemunhado um crime ao olhar por sua janela. Elogiado por escritores como Stephen King e Gillian Flynn, o livro teve seus direitos de adaptação comprados pela Fox, que escalou nomes como Amy Adams e Gary Oldman para a produção.

15. O Homem de Giz (Intrínseca)

Romance de estreia da britânica C.J. Tudor, vendeu 27.752 cópias desde o lançamento, em março. A história, inspirada na obra de Stephen King, se desenrola no presente e no passado: em 1986, Eddie e seus amigos se divertem usando desenhos feitos de giz como código para se comunicar; em 2016, já crescidos, eles recebem um desenho feito com giz de um homem enforcado – e pouco depois, um dos amigos aparece morto. Eddie, então, decide investigar o que aconteceu.

16. Depois de Você (Intrínseca)

Sequência de Como Eu Era Antes de Você, o livro de Jojo Moyes vendeu cerca 23.548 exemplares em 2018, o que mostra sua força – já que foi lançado em fevereiro de 2016. Nesta continuação, Louisa Clark precisa tentar aceitar e superar os tristes acontecimentos mostrados ao final do primeiro livro, e se torna garçonete de um pub em um aeroporto de Londres.

17. Me Chame pelo Seu Nome (Intrínseca)

O filme de Luca Guadagnino que concorreu a quatro troféus no Oscar deste ano – desses, ganhou um, o de melhor roteiro adaptado – impulsionou as vendas do romance que o inspirou. Lançado no Brasil em janeiro, o livro de André Aciman que se passa na Itália dos anos 1980 e mostra o tórrido relacionamento entre um estudante de pós-graduação e um adolescente de 17 anos vendeu 22.818 unidades.


18. 1984 (Companhia das Letras)

Provavelmente o trabalho mais conhecido de George Orwell, a distopia escrita pelo britânico em 1948 já se tornou clássica, ganhando sempre novos leitores, como A Revolução dos Bichos. O romance que retrata uma sociedade comandada por um governo totalitário, que não permite a seus habitantes viver em liberdade e está constantemente em vigilância, vendeu 18.190 exemplares durante o ano.

19. It – A Coisa (Suma)

Outro livro que entrou em evidência por causa de sua adaptação para os cinemas, que estreou em setembro de 2017, o terror de Stephen King It – A Coisa, publicado originalmente na década de 80, vendeu 17.651 cópias em 2018. O enredo tem como protagonistas sete amigos de uma pequena cidade americana que enfrentaram um ser sobrenatural quando eram crianças e, quase trinta anos depois, voltam a se deparar com o rastro de destruição da Coisa.

20. O Segredo de Helena (Arqueiro)

Lançado em abril, o novo livro da best-seller irlandesa Lucinda Riley vendeu 16.254 unidades. O romance é protagonizado por Helena, uma mulher que, já casada e com filhos, decide voltar à casa do padrinho no Chipre onde passou férias inesquecíveis quando era adolescente. O lugar, porém, traz de volta não apenas lembranças, mas também segredos que ela esconde da família, em especial de Alex, seu filho mais velho.

Os 20 livros mais “esquecidos” em quartos de hotéis

1

Carlos Willian Leite, na revista Bula

E. L. James

O jornal inglês “The Guardian” publicou uma lista dos principais livros que os hóspedes da rede de hotéis Travelodge — uma das maiores redes hoteleiras do mundo — esqueceram em seus quartos. Um total de 22.648 livros foi abandonado nos últimos 12 meses.

A autora de romances eróticos — e escritora com o maior faturamento do ano — E. L. James está no topo da lista: “Cinquenta Tons de Liberdade” é o livro recordista de abandonos. E. L. James aparece três vezes na lista com a trilogia “Cinquenta Tons”, assegurando a primeira posição com 1.209 cópias abandonadas no ano. A segunda colocada é a escritora Sylvia Day, com os títulos “Toda Sua”, “Para Sempre Sua” e “Profundamente Sua”. Em terceiro lugar aparece a escritora Jennifer Probst, autora da  trilogia erótica “Billionaire”. A quarta posição fica com “Garota Exemplar” de Gillian Flynn, e a quinta com “Morte Súbita”, de JK Rowling.

As três principais razões para se abandonar um livro, segundo o levantamento do Guardian são: “Terminei de ler e deixei para que outras pessoas possam ler”, seguida de “perdi ou esqueci” e “fiquei entediado”. Há três autobiografias de celebridades na lista: “My Time”, do ciclista ganhador do ouro olímpico, Bradley Wiggins;  “My Story” da cantora Chery Cole;  e “Camp David”, biografia do comediante David Williams. “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald, de 1925, aparece na 20ª posição.

1— Cinquenta Tons de Liberdade — E. L. James
2 — Toda Sua — Sylvia Day
3 — The Marriage Bargain — Jennifer Probst
4 — Garota Exemplar —Gillian Flynn
5 — Morte Súbita — JK Rowling
6 — Cinquenta Tons de Cinza — E. L. James
7 — Profundamente Sua — Sylvia Day
8 — My Time — Bradley Wiggins
9 — Para Sempre Sua — Sylvia Day
10 — Cinquenta Tons Mais Escuros — E. L. James
11 — My Story — Chery Cole
12 — The Marriage Trap —  Jennifer Probst
13 — Camp David — David Williams
14 — Call the Midwife — Jennifer Worth
15 — Antes de Dormir —  S. J. Watson
16 — The Marriage Mistake  — Jennifer Probst
17 — The Racketeer — John Grisham
18 — The Carrier — Sophie Hannah
19 — Oh Dear Silvia — Dawn French
20 — O Grande Gatsby — F Scott Fitzgerald

Literalmente blogando

0

Internet e literatura andam de mãos dadas sim! O Buchicho Teen conversou com uma nova geração de blogueiras literárias e traz dicas e características desse mundo cultural on-line

2

André Bloc, no O Povo

Quem nunca ouviu que ficar o tempo todo navegando na Internet é uma perda de um tempo que poderia ser dedicado a algo mais cultural – ler um livro, por exemplo. Entre o “desliga a TV e pega um livro” e o “sai da Internet e vive a vida”, dois dos clichês mais repetidos por mães, pais, irmãos mais velhos, avós, tios e padrinhos, existe todo um mundo equilibrado entre o dia a dia on-line e outros hábitos. Afinal, ninguém precisa ficar sempre nas redes sociais e sem nenhum contato social físico, não é?

Nessa busca por equilíbrio, a escritora cearense Socorro Acioli, uma das autoras infanto-juvenis mais famosas do Brasil, em entrevista a O POVO indicou essa tendência, lembrando um post que escrevera em outubro do ano passado em seu blog (socorroacioli.wordpress.com). “Uma coisa que tem me animado nos últimos tempos é o crescimento dos blogs literários, escritos por garotas que leem muito e comentam as suas leituras”, escreveu. “A quantidade de livros que elas conseguem ler por mês é impressionante”. Socorro fez, então, uma listinha e o Buchicho Teen entra no mesmo espírito e reúne indicações e dicas para quem quer, também, virar uma blogueira literária.

Young adults – YA

Com algumas exceções, os blogs focam na chamada “literatura para Young Adults”, ou YA. Quem sabe inglês, já sacou: literatura para jovens adultos. São aqueles livros que podem ser lidos para todos, mas são focados para o público na adolescência, até os 20 e poucos anos. Harry Potter, Crepúsculo, Fazendo meu Filme, Jogos Vorazes e muitos outros são os marcos recentes desse tipo de literatura que faz a ponte entre os romances para adultos e a literatura infantil – uma espécie de acervo intermediário. Afinal, não se passa do Sítio do Picapau Amarelo, do Monteiro Lobato, direto para Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa.

A blogueira Raiana Alves, 20, lembra bem do momento em que mergulhou na literatura, e esse instante atende pelo nome Harry Potter, obra da inglesa J. K. Rowling. “Foi o que me fez me apaixonar pela literatura”, lembra a estudante de Engenharia Mecânica. Hoje, ela destaca Jogos Vorazes, de Suzanne Collins e Fazendo meu Filme, de Paula Pimenta. Segundo a moça, os blogs são ótimas ferramentas para se conhecer novos livros. “Eu sempre acompanho os lançamentos de editoras e leio resenhas em alguns blogs, para saber se são bons”, disse Raiana, que diz ler, pelo menos três ou quatro livros por mês – e outros mais, quando a faculdade permite.

Skoob

Outra ferramenta eficaz para um leitor voraz é a comunidade virtual Skoob, na qual você pode cadastrar livros lidos, obras a serem lidas e fazer comentários. É uma rede social de literatura. O funcionamento acaba sendo o mesmo dos blogs, mas com opiniões mais diversas. Ser blogueiro (a), porém, é mais pessoal e você vê a sua influência em cada reply. “Os comentários que mais marcam são aqueles ‘Ah, eu vou ler esse livro porque você indicou’. Eu criei o blog justamente para apresentar coisas legais para as pessoas”, diz Raiana, do Território Pop.

Território Pop

(territoriopop.com) (Made in Ceará)
Estudante de Engenharia Mecânica, Raiana Alves estava frustrada por não escrever tanto quanto no Ensino Médio. Aí nasceu o Território Pop, que fala de livros, música, moda, filmes (e um pouco mais de livros).

Garota IT

(garotait.com.br)
Funcionando desde 2009, o Garota It é comandado pela estudante catarinense de Publicidade Pâm. A atualização diária é um dos destaques.

Literalmente Falando

(literalmentefalando.com.br)
A carioca Iris Figueiredo equilibra suas crônicas com resenhas de livros e playlists musicais.

Amount of Words

(amountofwords.com)
Não se engane pelo nome em inglês, o Amount of Words é 100% nacional. A autora, Giu Fernandes, é uma grande defensora da literatura YA!

Dicas!

O Buchicho Teen, em suas conversas com blogueiras, reuniu algumas dicas básicas para quem quer também entrar no mundo dos blogs de literatura YA.

1. “Leia muito”. Raiana Alves é bem direta e defende que boas resenhas só são fruto de quem lê muito e se mantém informado o tempo todo.

2. Faça contato com outros blogueiros. Seja no Skoob, nos comentários de blogs, divulgue sempre seu trabalho e procure retorno. Uma crítica pode ser ruim, mas pode ser usada para crescer.

3. Encontre seu layout. Seja encomendando para especialistas ou criando com ferramentas gratuitas como o WordPress, o Blogspot ou mesmo o Tumblr, saiba bem com o que vai lidar sem dar um nó na própria cabeça.

Vida de blogueira!

Ao lado de outra Lara, a Frota, Lara Aguiar Cunha, 14, é uma das mais jovens blogueiras de literatura do Estado do Ceará. Com o blog Menina de Muitos Vícios (meninademuitosvicios.

blogspot.com.br), as duas resenham livros, seja por meio de textos ou até vídeos –um vlog de literatura. Em entrevista ao Buchicho Teen, a jovem blogueira fala da criação do blog e da relação da literatura e da plataforma audiovisual na Internet.

O POVO – Como surgiu a ideia do blog?

Lara Aguiar Cunha – A Lara Frota começou com o blog. Ela queria ter um espaço pra falar pras pessoas as novidades que ela conhecia. Aí ela me chamou. A gente fala sobre o que a gente gosta, os nossos vícios.

O POVO – Você já costumava ler muito?

Lara – A gente sempre gostou de ler e a gente criou o blog pra isso: falar pras pessoas o que a gente lia, indicar.

O POVO – E essa coisa de fazer resenha nos vlogs?

Lara – Eu acho que torna mais pessoal, né? O leitor está vendo a pessoa. A pessoa tem a expressão e é diferente.

O POVO – Como você acha que a internet tem ajudado a divulgar a literatura?

Lara – Eu acho incrível. Tem o skoob, que é uma rede social só de livros, tem resenhas também. E os blogs: quando eu tô com vontade de ler um livro, não preciso olhar cada livro na estante de uma livraria como essa, por exemplo, que é muito grande! Eu vou lá no site, tem os livros que já são indicados, o meu gosto é parecido e eu vou atrás. A gente agora tem como conversar com os autores.

Tem autor que grava vídeo também. É incrível isso, a gente pode falar pelo twitter, facebook, é como falar com uma celebridade. É incrível.

MEC distribui 2 milhões de senhas para cursos on-line gratuitos

1
Programa é para estudantes de escolas públicas e universitários / Leandro Moraes/ Folhapress / Arquivo

Programa é para estudantes de escolas públicas e universitários / Leandro Moraes/ Folhapress / Arquivo

Publicado por Band

Programa Inglês Sem Fronteiras oferecerá cursos pela internet voltados para estudantes de graduação e pós-graduação

O MEC (Ministério da Educação) identificou que a falta do domínio de uma língua estrangeira tem sido barreira para os universitários brasileiros conseguiram bolsas de estudo no exterior e lançou ontem a primeira etapa do programa Inglês Sem Fronteiras.

Serão distribuídas 2 milhões de senhas para alunos de graduação e pós-graduação matriculados em universidades públicas ou estudantes de universidades particulares que tenham alcançado no mínimo 600 pontos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em alguma edição a partir de 2009.

Ocurso será on-line e usará uma plataforma internacional. Em paralelo, os alunos serão submetidos a provas e, de acordo com o desempenho, poderão receber convites para aulas presenciais. O governo colocará à disposição dos estudantes 250 mil testes Toefl, exame com reconhecimento internacional que mede a proficiência em inglês.

Ainda no primeiro semestre, 200 professores de universidades dos EUA serão contratados para ministrar cursos para os 20 mil estudantes com melhor resultado. A meta do MEC é distribuir cinco milhões de senhas e, inclusive, incluir num segundo momento a possibilidade de participação dos alunos do ensino médio nos cursos on-line.

A distribuição de novas senhas deverá ocorrer até junho. O domínio do inglês é pré-requisito para concorrer a bolsas de estudo de graduação, mestrado e doutorado em universidades estrangeiras que participam do Ciência Sem Fronteiras.

Lançado em julho de 2011, o programa já ofereceu 22.646 bolsas de graduação e pós-graduação em 38 diferentes países.

Intrínseca, nota 10!

0

Cassia Carrenho, no PublishNews

Editora levou as quatro primeiras posições

1Desde o começo do ano, o megasucesso de vendas de 2012, a trilogia Cinquenta tons de cinza (Intrínseca), vem demonstrando um declínio nas vendas. Mas isso ainda não foi suficiente para tirá-la do topo. Esta semana, o primeiro livro da série vendeu menos de 10 mil exemplares (foram 9.421, para ser preciso). Juntos, os três livros venderam 25.261 exemplares. Dizem os invejosos que esse declínio no desempenho era mais do que esperado. Vinte e oito semanas sem sair de cima… Até Mr. Grey cansa.

Mas a Intrínseca parece que ainda tem muito fôlego. Levou as quatro primeiras posições, sendo que a quarta foi o romance bipolar O lado bom da vida. O resultado foi que a editora ficou em terceiro lugar no ranking. Dos dez livros da Intrínseca que entraram em alguma das listas, sete estão entre os 20 mais vendidos na lista geral.

A lista de ficção também veio recheada de novidades que prometem bagunçar o topo nas próximas semanas: O príncipe da névoa (Suma de Letras), Escondida (Novo Século), O inferno de Gabriel (Arqueiro) e No limiar do desejo (LeYa). Em não ficção, o polêmico Julian Assange chegou ao 10º lugar com o livro Cypherpunks (Boitempo). Na lista de autoajuda, Os oitos pilares de prosperidade (Clio) e A arte de ganhar dinheiro (Campus Elsevier) mostram que, para muita gente, o bem-estar ainda começa pelo bolso. E, como em todo começo de ano, o famoso Vade Mecum Saraiva (Saraiva) apareceu na lista de negócios.

No ranking das editoras, a Sextante ficou em primeiro lugar, com 15 livros. A briga pelo segundo lugar continua boa: Ediouro com 11 e Intrínseca com 10. Em quarto lugar, vem a Santillana, que subiu duas posições da semana passada e emplacou 8 livros.

Go to Top