Posts tagged páginas

7 personagens de Harry Potter que ficaram de fora dos livros

0
j._k._rowling_at_the_white_house_2010-04-05_9

A escritora britânica J.K. Rowling durante visita à Casa Branca (Foto: Wikipédia/Executive Office of the President)

 

Publicado na Galileu

Que alguns personagens do universo de Harry Potter ficaram de fora dos filmes, isso todos sabemos. Ainda estamos tentando entender o porquê de terem tirado das telas Pirraça, o hilário poltergeist que “assombrava” os corredores de Hogwarts, ou então Marietta Edgecombe, a grande dedo-duro da Armada de Dumbledore (que teve o que merecia graças à nossa bruxa favorita, Hermione Granger).

Mas você provavelmente ainda desconhece as figuras que habitaram apenas a cabeça de J.K.Rowling, mas nunca conseguiram entrar nas páginas da saga do jovem bruxo. A MentalFloss reuniu alguns dos bruxos (e trouxas) que não sobreviveram às revisões e críticas dos editores e da própria autora.

Atenção: a GALILEU adverte que essa lista possui spoilers. Não diga que não avisamos!

1 – O filho bruxo de Duda

dudleygang
(Foto: Divulgação/Warner Brothers) (Foto: Divulgação/Warner Brothers)

Segundo Rowling, ela havia imaginado a última cena de As Relíquias da Morte com um pequeno e último plot twist: Duda Dursley teria tido um filho com sangue mágico. A criança iria para Hogwarts no mesmo dia que Alvo Severo, um dos rebentos de Harry. Mas a autora descartou a ideia quando chegou à conclusão que qualquer gene mágico se desfaleceria ao entrar em contato com o DNA do tio Válter. Dessa forma, ela decidiu que um cartão de Natal por ano entre Duda e Harry seria contato o suficiente entre os dois primos.

2 – Pyrites, o capanga estiloso de Voldemort

gifit_1490809848427
(Foto: YouTube/Warner Bothers) (Foto: YouTube/Warner Bothers)

Em seus rascunhos do primeiro capítulo da série, Rowling conta que havia imaginado vários cenários para a morte dos pais de Harry. Em um deles, um dos seguidores do Lorde das Trevas é enviado para encontrar Sirius Black. Pyrites, que quer dizer “ouro de tolo”, seria um comensal da morte extremamente estiloso e bem-vestido, sempre usando luvas brancas, as quais Rowling planejava machar de sangue vez ou outra. Com o tempo, o personagem acabou tendo que ser cortado e a cena, eliminada.

3 – Professor Trocar, o vampiro de Hogwarts

Apesar de a autora ter abandonado a ideia de trabalhar com vampiros na série, visto que o tema já havia sido exaustivamente explorado em outras publicações, Rowling havia considerado colocar um sugador de sangue no corpo docente da escola. Ela explicou que seu nome, Trocar, faria referência a um antigo instrumento usado para extrair fluídos corporais. O professor, porém, foi sendo abandonado com o tempo, nem mesmo chegando a ter uma matéria para ensinar.

4 – A irmã mais nova de Hermione

hermione
(Foto: Divulgação/Warner Brothers) (Foto: Divulgação/Warner Brothers)

Rowling deu uma entrevista à BBC em 2004 na qual revelou que sempre imaginou a bruxa mais brilhante de sua época tendo uma irmã caçula. Com o tempo, porém, a autora não mencionou em nenhum momento a quarta Granger, levando-a desistir da ideia por ser tarde demais para uma introdução de personagem.

5 – Mopsus, o vidente

A ideia de ter um bruxo cego com poderes premonitórios passou pela cabeça da autora da série, como ela comentou em uma entrevista coletiva de 2005. Seu nome seria baseado na mitologia grega, e seus poderes, extraordinários. Ele nunca sobreviveu aos primeiros rascunhos de A Pedra Filosofal, já que suas habilidades de prever o futuro atrapalhariam todo o enredo, desestabilizando o suspense criado durante a história. A professora Trelawney tomou seu lugar como grande vidente mais para frente, apesar de sua má fama de charlatã. Os traços de personalidade de Mopsus, no entanto, acabram sendo transferidos para Olho-Tonto Moody.

6 – Mopsy, a velha louca dos cachorros

padfoot
(Foto: Divulgação/Warner Brothers) (Foto: Divulgação/Warner Brothers)

Ao contrário da Sra. Figg, a vizinha de Harry louca por gatos, Rowling considerava incluir uma personagem obcecada por cães no quarto livro da saga. Mopsy — cujo nome não possui nenhuma ligação com Mopsus — viveria nos arredores de Hogsmeade, o vilarejo localizado no perímetro do castelo de Hogwarts. A personagem seria a saída encontrada pela autora para dar um abrigo a Sirius quando ele estivesse tentando visitar seu afilhado. Transformando-se em cachorro, o animago seria abrigado pela bruxa, que o confundiria com um vira-lata qualquer. Mopsy, porém, foi cortada da história, já que o editor achou que ela não acrescentava muito à trama. O padrinho de Harry, então, acabou tomando como abrigo uma caverna da região.

7 – Mafalda, a Weasley sonserina

world_cup
(Foto: Divulgação/Warner Brothers) (Foto: Divulgação/Warner Brothers)

J.K.Rowling planejava incluir em O Cálice de Fogo uma rival para Hermione. Mafalda seria a filha de um dos primos de segundo grau do Sr. Weasley e seu objetivo seria infernizar a vida dos três amigos enquanto eles estivessem indo assistir à Copa Mundial de Quadribol. Depois, a personagem teria um grande papel nas espionagens do trio. Por pertencer à Sonserina, ela conseguiria escutar as conversas dos filhos de Comensais da Morte e passaria toda informação para os amigos, na tentativa de impressioná-los. Além disso, Rowling explica que ela teria sido uma das únicas reais concorrentes de Hermione, sendo incrivelmente inteligente e, para completar, extremamente exibicionista. Apesar de gostar muito de Mafalda, a autora a descartou, já que tocar o enredo com ela mostrou-se desafiador. A autora a substituiu pela infame jornalista Rita Skeeter.

Aposentada de Rio Preto realiza sonho ao publicar livro aos 88 anos

0

Apesar de ler muito, idosa era considerada analfabeta.
Obra traz três histórias fictícias diferentes contadas em 269 páginas.

Publicado no G1

A aposentada Emília Rodrigues de Oliveira realizou aos 88 anos o sonho de se tornar escritora. Moradora de Rio Preto, ela dizia que escrever um livro seria seu ‘último feito’, mas depois de publicar o primeiro diz ter material para mais duas obras. “Três Histórias de Vida”, distribuído pela editora Vitrine Literária, tem 269 páginas e traz três histórias fictícias diferentes.

Lançado em fevereiro, o livro foi todo planejado por Emília, que começou a pensar em publicá-lo quando lembrou que tinha ido ao lançamento de um escritor. A idosa ligou para ele, pegou o telefone de um editor e combinou todos os detalhes da publicação sozinha.

Emília conta que o dinheiro da aposentadoria foi guardado justamente para o lançamento da obra. “Desde quando eu era pequena gostava de escrever, mas eu escrevi e acabei jogando muito romance fora.”

A filha de Emília, Geralda Maria de Oliveira, diz que ajudou apenas a digitar os cadernos escritos pela mãe e com o desenho da capa. “Quando ela me procurou já estava com tudo mais ou menos encaminhado. Ela disse: ‘O Paulo precisa de alguém que digite’. Ela mandou para mim os rascunhos e comecei a digitar. Digitei e desenhei a capa para ela. Também a incentivei para que fizesse realmente. A gente via que era o sonho dela, por isso a incentivamos”, diz.

Emília conta que desde quando era pequena gostava de escrever (Foto: Reprodução/TV TEM)

Emília conta que desde quando era pequena
gostava de escrever (Foto: Reprodução/TV TEM)

Emília já estreou outro caderninho e conta que está escrevendo a história da família. “O sentimento, principalmente da família, vai ser um choque. Porque vai ter muita história de todo mundo e as coisas ruins vão sair”, afirma.

Somente aos 54 anos, Emília fez o Mobral, quando conseguiu o certificado do ensino fundamental e conquistou o direito de tirar dos documentos a classificação de analfabeta, o que ela considerava uma injustiça já que lia tanto.

Apaixonada pelos livros, Emília já tinha se tornado poeta, quando seu poema “As Mãos” foi selecionado para uma antologia poética publicada pela Secretaria da Cultura de Rio Preto. Há 15 anos começou a escrever também histórias, que foram reunidas neste livro.

Livro Três Histórias de Vida foi lançado pela editora Vitrine Literária com 269 páginas (Foto: Reprodução/TV TEM)

Livro Três Histórias de Vida foi lançado pela editora Vitrine Literária com 269 páginas (Foto: Reprodução/TV TEM)

Editoras mais populares no Facebook (15)

0

Ranking Julho

.
1.   2.400.000 Chiado

2.      952.000 Intrínseca

3.      885.000 Saraiva

4.      688.000 Record

5.      565.000 Arqueiro

6.      487.000 Rocco

7.      476.000 Cia das Letras

8.      443.000 Darkside Books

9.      330.000 Novo Conceito

10.    272.000 Sextante

11.    219.000 Universo dos Livros

12.    208.000 Leya Brasil

13.    203.000 Impetus

14.    184.000 CPAD

15.    175.000 Suma de Letras

16.    162.000 Casa Publicadora

17.    155.000 Mundo Cristão

18.    148.000 Galera Record

19.    144.000 L&PM Editores

20.    121.000 Hagnos

ranking atualizado em 31/7

Amazon começará a pagar autores por quantidade de páginas lidas pelas pessoas

0

amazon

Publicado no Boa Informação

A Amazon anunciou que irá pagar os autores que disponibilizarem suas obras no Kindle Unlimited e no Kindle Owners’ Lending Library baseado na quantidade de páginas que os usuários lerem. A ideia é implementar este novo modelo a partir do próximo dia 1º de julho.

Em teoria, a mudança parece beneficiar os escritores que realizam trabalhos de melhor qualidade, incentivando todos os escritores a trabalharem melhor suas histórias e priorizarem títulos mais longos a fim de deixar os leitores mais interessados em continuar a acompanhar a história.

Para evitar que os escritores possam se aproveitar de alguma forma para ganharem mais dinheiro, a Amazon utilizará um sistema de contagem de páginas que requer um mínimo de conteúdo em cada página. Isso evita que escritores possam usar fontes maiores ou espaçamentos extras para que os leitores leiam mais páginas. O sistema utiliza a mesma proporção, independentemente do layout utilizado.

A Amazon não revelou muitos detalhes sobre como essa nova fórmula funcionará. No entanto, o que também se sabe é que as imagens continuarão a fazer parte das obras, sendo consideradas como parte do conteúdo, o que impedirá que autores de HQs, Mangás e Graphic Novels sejam prejudicados por este modelo.

Para a gigante do varejo, a nova estratégia deve reduzir os gastos com pagamentos para escritores, visto que, no processo anterior, a comissão dos autores era repassada de acordo com o número de títulos baixados, independente se o comprador iria ler o livro ou não.

Apesar das vantagens, o novo modelo de pagamento pode prejudicar autores de tutoriais, guias, livros didáticos e obras que não se tratem de narrativas. Além disso, a escrita também pode ser prejudicada, visto que os autores podem mudar sua maneira de escrever e impedir que as histórias tenham finais inesperados ou sejam propositalmente mais longas.

Fonte: Amazon

Concurso Cultural Literário (119)

31

 

jardimdecores

Inspire-se na beleza e na vitalidade da Mãe Natureza com este lindo livro ilustrado. Deixe o seu lado criativo vaguear livremente enquanto você celebra as maravilhas do nosso ambiente natural.

Você vai relaxar enquanto desfruta este livro, repleto de ilustrações impressionantes, cheias de flores, jardins e muito mais.

Vamos sortear 3 exemplares de “Um jardim de cores“, lançamento megadesejado da Gutenberg.

Para concorrer, responda na área de comentários a pergunta abaixo. Use no máximo 3 linhas:

Como é possível colorir a vida?

Se participar via Facebook, pfvr deixe seu e-mail de contato.

Para ficar sempre por dentro das novidades e promoções, sugerimos que curta as páginas dos envolvidos neste concurso cultural:

O resultado será divulgado dia 28/5 neste post.

Boa sorte! :-)

 

ATENÇÃO PARA OS SORTEADOS!

 

Fernanda Cuminesi

“Colorimos com palavras! É com um caloroso ‘tenha um ótimo dia’ pela manhã, um gentil ‘que tal uma ajudinha?’ durante a tarde, e um arriscado ‘eu te amo mais que tudo’ quando o crepúsculo cai. Afinal, o que é a vida senão um jardim que cultivamos com carinho?”

Cássio Dalmo

“Colorir a vida é fazer aquilo que voce quer do jeito que voce quer. É não se prender a limites e descobrir que podemos ir mais além das nossas possibilidades.”

Suzany Almeida

“Um gesto de gentileza, um sorriso sincero, uma palavra amiga, demonstrando amor, perdoando, sendo compreensível, dando o exemplo, ninguém está bem todos dias, todos temos problemas. mas o importante é não deixar os dias ruins dominarem a capacidade de sorrir e ser feliz.”

 

Parabéns aos ganhadores! Até o próximo Concurso Cultural!

Go to Top