Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Prêmio Jabuti

Editora Unesp sobe duas vezes ao palco do Prêmio Jabuti

0

unnamed

O diretor-presidente da Fundação Editora da Unesp, Jézio Gutierre, subiu duas vezes ao palco para receber os troféus por dois livros premiados, na cerimônia realizada na noite de quinta-feira, 3 de dezembro, no Ibirapuera, em São Paulo.

 

Um dos principais prêmios literários do País, o Jabuti bateu recorde de inscrição este ano – 2.573 obras disputaram o troféu em 27 categorias. A Editora Unesp conquistou dois: na categoria Arquitetura, Urbanismo, Artes e Fotografia, com o livro Os pioneiros da habitação social – volume 1 – Cem anos de política pública no Brasil, de Nabil Bonduki; e na categoria Ciências Humanas, com Políticas culturais e povos indígenas, organizado por Pedro de Niemeyer Cesarino e Manuela Carneiro da Cunha.

Confira alguns dos momentos da maior festa do livro e da leitura.

unnamed1
Solenidade foi realizada no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo.

unnamed2

Na abertura do evento, o presidente da Câmara Brasileira do Livro, Luís Antonio Torelli anunciou que em 2016 a entidade terá um concurso literário voltado a estudantes. Ele também criticou os cortes de verbas e atrasos no pagamento por parte dos governos, que tornaram este ano ainda mais difícil para o mercado editorial.

unnamed3

A curadora Marisa Lajolo destacou as inovações introduzidas no Prêmio em 2015, como a inclusão da categoria Adaptações e reconhecimento de um gênero moderníssimo e polêmico, o livro digital. “Outra inovação significativa do Jabuti ao longo deste ano foi levar a um horizonte mais largo o mundo dos livros e dos autores. Levou autores e livro anteriormente premiados para encontros com leitores, reunidos em bibliotecas, escolas, livrarias, e eventos”, disse. Lajolo é também autora da Editora Unesp, vencedora do Melhor Livro de Não-Ficção do Jabuti em 2009, com o livro Monteiro Lobato, livro a livro.

unnamed4

Os pioneiros da habitação social, de Nabil Bonduki, uma coedição da (mais…)

Jabuti divulga os dois melhores livros do ano

0
Divulgação/CBL

Divulgação/CBL

 

Publicado no Diário de Pernambuco

Os grandes vencedores do Prêmio Jabuti 2015 foram anunciados na noite desta quinta-feira (3/12), no Rio de Janeiro. A Casa da Vovó – Uma Biografia do DOI-CODI (1969-1991), O Centro de Sequestro, Tortura e Morte da Ditadura Militar, de Marcelo Godoy,venceu na categoria Livro do Ano de Não Ficção. Já a segunda categoria principal, a de Livro do Ano de Ficção, ficou com Quarenta dias, de Maria Valéria. A autora viveu na rua para passar pelas mesmas experiências de sua personagem, uma mulher que sai em busca de um rapaz desaparecido em uma cidade que desconhece. Cada autor embolsou R$ 35 mil.

Promovido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), o Jabuti tem 27 categorias e o primeiro lugar de cada uma ganha um troféu e um prêmio de R$ 3.500,00. É o menor valor entre os prêmios literários realizados no Brasil. Veja abaixo a lista completa de vencedores.

Romance
Quarenta Dias, de Maria Valéria Rezende (Alfaguara)
Caderno de um Ausente, de João Anzanello Carrascoza (Cosac Naify)
Os Piores Dias de Minha Vida Foram Todos, de Evandro Affonso Ferreira (Record)

Contos e Crônicas
Sem Vista para o Mar – Contos de Fuga, de Carol Rodrigues (Edith)
Dez Centímetros Acima do Chão, de Flavio Cafiero (Cosac Naify)
Olhos D’água, de Conceição Evaristo (Pallas)

Poesia
Corpo de Festim, de Alexandre Guarnieri (Confraria do Vento)
Clio, de Marco Lucchesi (Globo)
A Comedia de Alissia Bloom, de Manoel Herzog (Patuá)

Biografia
Luís Carlos Prestes – Um Revolucionário Entre Dois Mundos, de Daniel Aarão Reis (Companhia das Letras)
Nise da Silveira: Caminhos de Uma Psiquiatra Rebelde, de Luiz Carlos Mello (Automática Edições – Hólos)
Francisco Julião – Uma Biografia, de Cláudio Aguiar (José Olympio)

Reportagem e Documentário
A Casa da Vovó – Uma Biografia do Doi – Codi (1969-1991), o Centro de Sequestro, Tortura e Morte da Ditadura Militar, de Marcelo Godoy (Alameda)
1964 na Visão do Ministro do Trabalho de João Goulart, de Almino Affonso (Imprensa Oficial do Estado e FUNDAP)
Brado Retumbante, de Paulo Markun (Benvirá)

Comunicação
Gestão dos Jornais Brasileiros na Internet: Um Estudo Sobre os Fatores de Aceitação, Impactos e Oportunidades no Ambiente Digital, por Renato Fonseca Alves de Andrade (SESI-SP)
Imagem Contestada – A Guerra do Contestado pela Escrita do Diário da Tarde(1912-1916), de Karina Janz Woitowicz (UEPG)
Cartas a Lula – o Jornal Particular do Presidente e sua Influência no Governo do Brasil, de Bernardo Kucisnski (Edições de Janeiro)

Didático e Paradidático
Arte é Infância, de Vivian Caroline Lopes (Ciranda Cultural)
Almanaque da Banda Gigante, de Lu Lopes (SESI – SP)
Por Toda Parte – Volume Único, de Solange Santos Utuari Ferrari, Daniela Leonardi Libâneo, Fábio Sardo e Pascoal Fernando Ferrari (FTD Educação)

Ilustração
Claudius, de Claudius Ceccon (SESI-SP)
Lobisomem sem Barba, de Wagner Willian (Balão Editorial)
Labirinto, de Alex Cerveny (Neotropica)

Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil
A Força da Palmeira, de Anabella López (Pallas)
Os Três Ratos de Chantilly, de Alexandre Camanho (Pulo do Gato)
O Livro do Acaso, de Nelson Cruz (Abacatte Editorial)

Infantil
A História Verdadeira do Sapo Luiz, de Luiz Ruffato (DSOP)
A Roupa Nova do Arco-da-velha, de Flávia Savary (Cidade Nova)
A Raiva, de Blandina Franco (Zahar)

Infantil Digital
Meu Aplicativo de Folclore, de Ricardo Azevedo (Ática)
Via Láctea de Olavo Bilac, de Samira Almeida e Fernando Tangi (Storymax)
Flicts, de Ziraldo (Melhoramentos/Engenhoca)

Juvenil
A Linha Negra, de Mario Teixeira (Scipione)
Os Olhos Cegos dos Cavalos Loucos, de Ignácio de Loyola Brandão (Moderna)
Memórias Quase Póstumas de Machado de Assis, de Álvaro Cardoso Gomes (FTD) (mais…)

Professor e escritor Joel Rufino dos Santos morre no Rio

0

Joel Rufino dos Santos

Historiador era diretor do Tribunal de Justiça do Rio, que lamentou a morte.
Autor foi premiado por obras como ‘Uma Estranha Aventura em Talalai’.

Publicado no G1

O professor, escritor, jornalista e historiador Joel Rufino dos Santos morreu nesta sexta-feira (4), por complicações de uma cirurgia cardíaca realizada no dia 1º de setembro. Rufino era diretor-geral de comunicação e de difusão do conhecimento do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, que lamentou o falecimento. Ele estava internado na Clínica de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul.

Rufino ganhou o Prêmio Jabuti em 1979 e em 2008 (com as obras “Uma Estranha Aventura em Talalai” e “”O Barbeiro e o judeu da prestação contra o Sargento da Motocicleta”, respectivamente).

Joel nasceu em 1941, em Cascadura, no Subúrbio do Rio. Mudou-se para o bairro da Glória e cursou História na Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil, onde começou a dar aulas. Por conta do golpe militar de 1964, que implementou a ditadura, Joel deixou o Brasil. Morou na Bolívia e no Chile.

De volta ao Brasil, chegou a ser preso por conta da perseguição política. Como autor, venceu o Prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura infanto-juvenil. Casado com Teresa Garbayo, ele deixa dois filhos e quatro netos. Ainda não há informações sobre o velório e funeral. Em 2008, Joel foi entrevistado para o blog Máquina de Escrever, de Luciano Trigo. Confira algumas das respostas.

G1: Você viveu exilado no Chile e na Bolívia após o golpe de 64. Conte alguns episódios e encontros que o marcaram, no exílio.

RUFINO: Dos poucos meses que passei na Bolívia, me impressionou a mudez de seus índios. Logo compreendi que era uma defesa antiga, vinda da época da Conquista: eles só eram mudos com os que vinham de fora. O altiplano, para brasileiros, é fantástico: as neves eternas, os lagos gelados, as aldeias esparsas… Vi de perto a combatividade das suas lideranças camponesas. Quanto ao Chile, se tornou minha segunda pátria, embora me sinta internacionalista. Ali conheci Thiago de Mello, nosso adido cultural na época, um semeador de amizades. Tínhamos um time, o Pedaço de Mundo. No Chile conheci também Pelé, que tem a minha idade, numa excursão do Santos. Achei que se, além de tudo, ele fosse politizado, seria Deus.

G1: Após voltar ao Brasil, veio a prisão. Que resumo pode fazer dessa experiência?

RUFINO: Voltei do exílio em 1966. Até 1972, conhecei prisões breves e leves. De 1972 a 1974, cumpri pena da Justiça Militar. Passei pelo Doi-Codi, em São Paulo, assisti à morte na tortura de Carlos Nicolau Danielli, vi e ouvi dezenas de outros presos sendo torturados. Tive o meu quinhão de socos e choques elétricos, mas não conheci o pior, a “cadeira do dragão”. É uma experiência inenarrável, no limite do humano. Quem a experimentou, em si ou nos companheiros, não sabe dizer qual é a natureza do torturador. Agora que a Justiça começa a julgá-los, alegam que torturaram em defesa da pátria. Que criaturas são essas?

G1: Nos últimos anos o debate sobre racismo tem crescido no Brasil. Como avalia esse tema, especialmente em relação à questão das cotas?

RUFINO: A ação afirmativa, que serve de base aos sistemas de cotas regionais, raciais, de gênero etc é um princípio democrático. O Estado corrige injustiças ao estabelecer condições justas de concorrência na luta pela vida. Sou, portanto, a favor, embora reconheça efeitos colaterais indesejáveis na aplicação do sistema. Mas um jovem branco que se sinta preterido pelas cotas é, por isso mesmo, capaz de entender a histórica preterição do negro na universidade, na diplomacia, na política e na iniciativa privada.

Prêmio Jabuti bate recorde de inscrições na edição de 2015

0

prêmio Jabuti

No total, 2.573 títulos estarão na disputa da estatueta

Publicado no Divirta-se[via O Estado de Minas]

Um dos mais abrangentes prêmios literários do País, que reconhece o trabalho de toda a indústria do livro – do autor da obra ao designer gráfico, do tradutor ao ilustrador, do livro de biologia ao romance – o Jabuti recebeu um número recorde de inscrições nesta sua 57ª edição.

No total, 2.573 títulos vão disputar a estatueta este ano nas 27 categorias. O vencedor de cada uma delas ganha, ainda, R$ 3.500 e pode concorrer ao Livro do Ano, no valor de R$ 35 mil. No ano passado, foram inscritas 2.240 obras; em 2013., 2.124 e em 2012, 2.257. Marina Colasanti e Laurentino Gomes ganharam o Livro do Ano de ficção e não ficção, respectivamente, em 2014.

Nesta edição, foram incluídas as seguintes categorias: Adaptações (textos transformados em quadrinhos e vice-versa) e Infantil Digital.

Marina Colasanti e Laurentino Gomes são vencedores do Prêmio Jabuti

0
Em nota, Laurentino chamou a atenção para a importância de ler sobre a história do país

Em nota, Laurentino chamou a atenção para a importância de ler sobre a história do país

Além da estatueta Jabuti dourada, os vencedores receberam prêmio de R$ 35 mil

Vanessa Aquino, no Divirta-se

O livro infantil ‘Breve história de um pequeno amor’, de Marina Colasanti, e o livro-reportagem ‘1889’, de Laurentino Gomes, foram os vencedores do 56º Prêmio Jabuti, anunciado na noite da última terça-feira no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo. O primeiro foi eleito Livro do Ano de Ficção, e o segundo, Livro do Ano de Não-Ficção. Os dois vencedores, escolhidos pelo júri formado por associados da Câmara Brasileira do Livro, receberam a estatueta Jabuti dourada e um prêmio de R$ 35 mil.

Obras de 27 categorias concorriam aos dois prêmios principais. Apenas os ganhadores de cada uma delas disputaram o troféu de Livro do Ano. Anunciados em 16 de outubro, eles subiram ao palco do Auditório do Ibirapuera nesta terça para receber suas respectivas estatuetas. Também levaram R$ 3,5 mil. No total, 2.240 títulos disputaram o Jabuti 2014.

Em nota divulgada pela assessoria de imprensa do Prêmio Jabuti, Laurentino Gomes falou sobre o que ele chama de “intolerância” do Brasil atual, citando especificamente recentes manifestações pela volta dos militares ao poder. “É preciso saber o que ocorreu no Estado Novo, de Getúlio Vargas, e no regime militar, ter consciência de que pessoas foram presas e torturadas e de tudo o que ocorreu.” O escritor também defendeu o estudo da história: “Somente assim poderemos construir um futuro de modo mais organizado e menos barulhento e intolerante.”

Marina Colasanti comemorou o anúncio do prêmio a uma obra infantil

Marina Colasanti comemorou o anúncio do prêmio a uma obra infantil

Em entrevista, Marina disse que recebeu o anúncio do prêmio com surpresa. “Eu não estava esperando nada. É muito difícil que olhem para literatira infantil com igualdade de condições, por causa de pequenos ou grandes deslises de preconceito. No entanto, é uma literatura que nos dá reconhecimento no mundo, nós somos mais reconhecido por ela que por outras literaturas.”

Veja a lista completa dos ganhadores do 54º Jabuti:

Romance
1º Lugar – Título: “Reprodução” – autor: Bernardo Carvalho – Editora: Companhia Das Letras
2º Lugar – Título: “A maçã envenenada” – Autor: Michel Laub – Editora: Companhia Das Letras
3º Lugar – Título: “Opisanie swiata” – Autora: Veronica Stigger – Editora: Cosac & Naify

Contos e Crônicas
1º Lugar – Título: “Amálgama” – Autor: Rubem Fonseca – Editora: Nova Fronteira
2º Lugar – Título: “Você verá” – Autor: Luiz Vilela – Editora: Editora Record
3º Lugar – Título: “Nu, de botas” – Autor: Antonio Prata – Editora: Companhia Das Letras
3º Lugar – Título: “Um solitário à espreita” – Autor: Milton Hatoum – Editora: Companhia Das Letras

Biografia
1º Lugar – Título: “Getúlio – Do governo provisório à ditadura do Estado Novo (1930-1945)” – Autor: Lira Neto – Editora: Companhia Das Letras
2º Lugar – Título: “Wilson Baptista: O samba foi sua glória!” – Autor: Rodrigo Alzuguir – Editora: Casa da Palavra
3º Lugar – Título: “O castelo de papel” – Autora: Mary del Priore – Editora: Editora Rocco

Poesia
1º Lugar – Título: “Bernini – Poemas 2008-2010” – Autor: Horácio Costa – Editora: Horácio Costa
2º Lugar – Título: “Jardim das delícias” – Autor: Marcus Vinicius Quiroga – Editora: Marcus Vinicius Quiroga
3º Lugar – Título: “Ximerix” – Autor: Zuca Sardan – Editora: Cosac & Naify

Capa
1º Lugar – Título: “A São Paulo de German Lorca / The São Paulo of German Lorca” – Capista: Edson Lemos – Editora: IMESP
2º Lugar – Título: “Graffiti fine art” – Capista: Raquel Matsushita – Editora: SESI
3º Lugar – Título: “Maquiagem, de Marcos Costa” – Capista: Luciana Molisani, Paschoal Rodriguez – Editora: Luste Editores

Ilustração
1º Lugar – Título: “BRASIL – Imagens sob a Ótica da Artista Meire de Oliveira” – Ilustradora: Meire de Oliveira – Editora: Empresas das Artes
2º Lugar – Título: “Storynhas” – Ilustradora: Laerte Coutinho – Editora: Companhia das Letras
3º Lugar – Título: “Decameron: Giovanni Boccaccio” – Ilustrador: Alex Cerveny – Editora: Cosac Naify

Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil
1º Lugar – Título: “Bárbaro” – Ilustrador: Renato Moriconi – Editora: Companhia das Letras
2º Lugar – Título: “Naninquiá – A moça bonita” – Ilustradora: Ciça Fittipaldi – Editora: Editora DCL
3º Lugar – Título: “Conselho” – Ilustrador: Odilon Moraes – Editora: Escrita Fina Edições / Tinta Negra Bazar Editorial

Arquitetura e Urbanismo
1º Lugar – Titulo: “As minas de ouro e a formação das capitanias do sul” – Autor: Nestor Goulart Reis Filho – Editora: Via das Artes
2º Lugar – Titulo: “Preservação e restauro urbano: Intervenções em sítios históricos industriais – Autora: Manoela Rossinetti Rufinoni – Editora: Editora Fap-Unifesp / EDUSP
3º Lugar – Titulo: “Cidadela da liberdade: Lina Bo Bardi e o Sesc Pompeia” – Autores: Andre Vainer e Marcelo Ferraz – Editora: Edições Sesc SP

Artes e Fotografia
1º Lugar – Título: “Cenografia brasileira: Notas de um cenógrafo” – Autor: José Carlos Serroni – Editora: Edições Sesc SP
2º Lugar – Título: “Walter Zanini: Escrituras críticas” – Autora: Cristina Freire (Organizadora) – Editora: Annablume Editora e Comunicação
3º Lugar – Título: “Theatro da Paz” – Autores: Org. Paulo Chaves Fernandes e Rosário Lima – Editora: Secretaria de Cultura do Pará

Ciências Exatas, Tecnologia e Informática
1º Lugar – Título: “Estrutura atômica, ligações e estereoquímica” – Autor: Henrique Eisi Toma – Editora: Editora Edgard Blucher
2º Lugar – Título: “O cerne da matéria – A aventura científica que levou à descoberta do Bóson de Higgs” – Autor: Rogério Rosenfeld – Editora: Companhia das Letras
3º Lugar – Título: “Ciência do futuro e futuro da ciência: Redes e políticas de nanociência e nanotecnologia no Brasil” – Autor: Jorge Luiz dos Santos Junior – Editora: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Ciências Humanas
1º Lugar – Título: “O mapa que inventou o Brasil” – Autora: Júnia Ferreira Furtado – Editora: Versal Editores
2º Lugar – Título: Atlântico: A história de um oceano” – Autores: Francisco Eduardo Alves de Almeida, Francisco Carlos Teixeira da Silva e Karl Schurster de Sousa Leão – Editora: Editora Civilização Brasileira
3º Lugar – Título: “Compêndio de ciência da religião” – Autores: Frank Usarski e João Décio Passos – Editora: Editora Paulinas

Ciências Naturais
1º Lugar – Título: “Livro vermelho da flora do Brasil” – Autores: Gustavo Martinelli e Miguel Avila Moraes (Orgs.) – Editora: Andrea Jakobsson Estúdio Editorial
2º Lugar – Título: “Peixes do rio Madeira” – Autor: Vários – Editora: Dialeto Latin American Documentary
3º Lugar – Título: “Guia dos anfíbios da Mata Atlântica” – Diversidade e Biologia – Autor: Célio F. B. Haddad Et Al. – Editora: Anolis Books

Ciências da Saúde
1º Lugar – Título: “Tratado de oncologia” – Autor: Paulo Marcelo Gehm Hoff – Editora: Editora Atheneu
2º Lugar – Título: “Medicina respiratória” – Autor: Carlos Alberto de Castro Pereira – Editora: Editora Atheneu
3º Lugar – Título: “Medicina intensiva fundamento e prática – Autor: Dante Senra – Editora: Editora Atheneu

Comunicação
1º Lugar – Título: “Mídia e política na América Latina – Globalização, democracia e identidade” – Autora: Carolina Matos – Editora: Editora Civilização Brasileira
2º Lugar – Título: “Comunicação ubíqua: Repercussões na cultura e na educação” – Autora: Lucia Santaella – Editora: Paulus
3º Lugar – Título: “O rosto e a máquina: O fenômeno da comunicação visto dos ângulos humano, medial e tecnológico” – Autor: Ciro Marcondes Filho – Editora: Paulus

Didático e Paradidático
1º Lugar – Título: “Alfabeto escalafobético” – Autores: Claudio Fragata e Raquel Matsushita – Editora: Jujuba Editora
2º Lugar – Título: “Para ler e ver com olhos livres” – Autoras: Flávia Aidar e Januária Cristina Alvesibi – Editora: Nova Fronteira
3º Lugar – Título: “Crônicas da norma – Pequenas histórias gramaticais” – Autores: Blandina Franco, José Carlos Lollo e Gabriel Perissé – Editora: Callis Editora

Direito
1º Lugar – Título: “Como decidem as cortes? Para uma crítica do direito (Brasileiro)” – Autor: José Rodrigo Rodriguez – Editora: Fundação Getúlio Vargas
2º Lugar – Título: “Série IDP – Comentários à constituição do Brasil” – Autores: Ingo Wolfgang Sarlet, Lenio Luiz Streck, Gilmar Ferreira Mendes, J.J. Gomes Canotilho e Léo Ferreira Leoncy (Coords.) – Editora: Editora Saraiva / Coedição: Almedina
3º Lugar – Título: “Fundamentos para uma teoria jurídica das políticas públicas” – Autora: Maria Paula Dallari Bucci – Editora: Saraiva

Economia, Administração e Negócios
1º Lugar – Título: “Os limites do possível – A economia além da conjuntura” – Autor: André Lara Resende – Editora: Companhia das Letras
2º Lugar – Título: “O futuro da indústria no Brasil” – Autores: Edmar Bacha e Monica de Bolle – Editora: Editora Civilização Brasileira
3º Lugar – Título: “Monarquia, liberalismo e negócios no Brasil: 1780-1860” – Autoras: Izabel Andrade Marson; Cecília H. de S. Oliveira – Editora: Editora da Universidade de São Paulo

Educação
1º Lugar – Título: “Tenho um aluno surdo, e agora? Introdução à libras e educação de surdos” – Autoras: Cristina B F Lacerda e Lara F Santos (Orgs) – Editora: Editora Da Universidade Federal De São Carlos
2º Lugar – Título: “Aberturas para história da educação” – Autor: Dermeval Saviani – Editora: Autores Associados
3º Lugar – Título: “Na trilha da gramática” – Conhecimento linguístico na alfabetização e letramento” – Autor: Luiz Carlos Travaglia – Editora: Cortez

Gastronomia
1º Lugar – Título: “Expedição Brasil gastronômico – MG-RJ-PE-CE-RN-AM” – Autores: Guta Chaves, Dolores Freixa e Rodrigo Ferraz (idealizador) – Editora: Editora Melhoramentos / Editora Boccato
2º Lugar – Título: “Os banquetes do imperador’ – Autores: Francisco Lellis e André Boccato – Editora: Senac / Editora Boccato
3º Lugar – Título: “Sou barista” – Autoras: Concetta Marcelina e Cristiana Couta – Editora: Senac

Infantil
1º Lugar – Título: “Breve história de um pequeno amor” – Autor: Marina Colasanti – Editora: Editora FTD
2º Lugar – Título: “Da guerra dos mares e das areias: Fábula sobre as marés” – Autor: Pedro Veludo – Editora: Editora Quatro Cantos
3º Lugar – Título: “Poemas que escolhi para crianças” – Autora: Ruth Rocha – Editora: Editora Salamandra

Juvenil
1º Lugar – Título: “Fragosas brenhas do mataréu” – Autor: Ricardo Azevedo – Editora: Ática
2º Lugar – Título: “As gêmeas da família” – Autora: Stella Maris Rezende – Editora: Globo
3º Lugar – Título: “Uma escuridão bonita” – Autor: Ondjaki – Editora: Pallas

Psicologia e Psicanálise
1º Lugar – Título: “O avesso do imaginário” – Autora: Tania Rivera – Editora: Cosac Naify
2º Lugar – Título: “Antígona e a ética trágica da psicanálise” – Autora: Ingrid Vorsatz – Editora: Zahar
3º Lugar – Título: “Onde tudo acontece – Cultura e psicanálise no Século XXI” – Autora: Giovanna Bartucci – Editora: Civilização Brasileira

Reportagem
1º Lugar – Título: “1889” – Autor: Laurentino Gomes – Editora: Globo
2º Lugar – Título: “Holocausto brasileiro” – Autora: Daniela Arbex – Editora: Geração Editorial
3º Lugar – Título: “Um gosto amargo de bala” – Autora: Vera Gertel – Editora: Editora Civilização Brasileira

Teoria/Crítica Literária
1º Lugar – Título: ‘Fervor das vanguardas” – Autor: Jorge Schwartz – Editora: Companhia das Letras
2º Lugar – Título: “Abençoado & danado do samba: Um estudo sobre o discurso popular” – Autor: Ricardo Azevedo – Editora: Editora da Universidade de São Paulo
3º Lugar – Título: “Melancolias, mercadorias” – Autor: Walter Garcia – Editora: Ateliê Editorial

Projeto Gráfico
1º Lugar – Título: “Decameron: Giovanni Boccaccio” – Responsáveis pelo projeto gráfico: Elaine Ramos; Nathalia Cury; Zansky – Editora: Cosac Naify
2º Lugar – Título: “Esopo – Fábulas completas” – Responsável pelo projeto gráfico: Flávia Castanheira – Editora: Cosac Naify
3º Lugar – Título: “Marcello Grassmann 1942-1955” – Responsáveis pelo projeto gráfico: Eunice Liu; Carla Fernanda Fontana – Editora: EDUSP

Tradução
1º Lugar – Título: “A anatomia da melancolia” – Tradutor: Guilherme Gontijo Flores – Editora: Editora UFPR
2º Lugar – Título: “Antologia da poesia clássica chinesa” – Tradutores: Ricardo Primo Portugal e Tan Xiao – Editora: UNESP
3º Lugar – Título: “O Capital: Crítica da economia política, livro I: O processo de produção do capital” – Tradutor: Rubens Enderle – Editora: Boitempo

Tradução de Obra Literária Inglês-Português
1º Lugar – Título: “Vênus e Adônis” – Tradutor: Alípio Correia de Franca Neto – Editora: Leya
2º Lugar – Título: “Contos da cantuária” – Tradutor: José Francisco Botelho – Editora: Companhia das Letras
3º Lugar – Título: “Ao farol” – Tradutora: Denise Bottmann – Editora: L&PM

Go to Top