Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Protagonista

A matemática descobriu quem é o protagonista de ‘Game of Thrones’

0
Tyrion Lannister é (provavelmente) o protagonista de GoT, ao menos de acordo com a ciência das redes

Tyrion Lannister é (provavelmente) o protagonista de GoT, ao menos de acordo com a ciência das redes

 

Estudando os diálogos, pesquisadores encontram a resposta que pode colocar fim a uma das mais antigas discussões sobre a série

Ana Freitas, no Nexo

O seriado “Game of Thrones”, da HBO, proporciona pelo menos três primeiras impressões: há muitas cenas de violência, tantas outras de sexo e muitos, muitos personagens. O elenco principal da série tem cinquenta atores, e o elenco de apoio tem outros trinta. Os livros nos quais a série foi baseada têm muito mais.

Com o tamanho da lista não só é difícil lembrar o nome de todo mundo para discutir a série com os amigos: é quase impossível apontar o protagonista da série. Esse é, aliás, um debate antigo entre os fãs de “Game of Thrones”.

Como identificar o “herói” da história com uma narrativa tão fragmentada, que olha para tantos núcleos e personagens com a mesma atenção? Jon Snow, Daenarys Targaryen, Jamie Lannister, Bran Stark… só esses quatro já são bons candidatos.

A surpresa é que a matemática pode ter uma resposta. Pesquisadores da Universidade de Macalester usaram algoritmos e ciência de rede para apontar o personagem mais importante da série – aquele que, portanto, poderia ser considerado protagonista. O resultado: o título é de Tyrion Lannister.

O estudo, publicado na revista da Associação Matemática da América, constrói um mapa de relacionamentos na série, usando conhecimentos de sociologia, economia, ciência da computação e matemática.

mapawesteros

Os pesquisadores transformaram o universo da série em uma espécie de rede social e identificaram as ligações mais fortes e mais fracas entre os personagens, os elos de ligação e os tipos de relação.

Os elos são estabelecidos com base nos diálogos da série de livros. Quando um personagem fala com o outro, os pesquisadores colocaram um elo entre um e outro no mapa.

Matematicamente, depois desse procedimento, foi possível identificar quais os personagens que mais conhecem outros personagens da história, ou aqueles que conhecem mais gente importante dentro da rede, por exemplo. Os cientistas envolvidos fizeram vários rankings de personagens, considerando esses critérios e outros, também.

Em quase todos eles, Tyrion Lannister apareceu no topo da lista. No ranking final de importância, ele vem em primeiro lugar, seguido de Jon Snow, Sansa Stark e Arya Stark. Daenarys vem em seguida, prejudicada na rede em razão da distância geográfica, mas ainda muito importante por ser o centro das conexões em Essos.

Adolescentes recriam histórias consagradas e publicam na web

0

Escrita por uma americana de 25 anos, a fanfic ‘After’ tem apelo erótico e um protagonista ‘mulherengo e bêbado’

Roberta Salomone em O Globo

RIO – Quando encontra um nome perfeito para um personagem ou consegue imaginar um desfecho surpreendente para um novo enredo, Caroline Figueiredo corre para fazer anotações em seu caderno. Depois, a estudante, fã de comédias e filmes como “Jogos vorazes” e “Os Vingadores”, passa tudo para o computador e disponibiliza a produção na internet. Já são mais de 60 histórias acompanhadas e comentadas por leitores de várias partes do Brasil e do mundo. Todas baseadas em “The 39 clues” (“As 39 pistas’’), série de livros que Caroline nem se lembra mais de quantas vezes leu.

— O que faço é fanfiction. Me inspiro para criar novas histórias a partir de outras que gosto — explica a menina de 16 anos sobre o gênero literário nascido na web e definido como “ficção de fã”.

Caroline Figueiredo, de 16 anos, costuma escrever suas histórias em cadernos - ANTONIO SCORZA

Caroline Figueiredo, de 16 anos, costuma escrever suas histórias em cadernos – ANTONIO SCORZA

Textos sobre os mais diferentes temas que usam celebridades como personagens e repetem tramas já conhecidas viraram febre entre os adolescentes, que seguem autores novatos como Caroline em sites que abrigam milhares de histórias. Harry Potter é, disparado, o mais citado. Entre as séries de TV, “Glee” e “Doctor Who” saem na frente, já no meio musical, só dá o One Direction. Escrita por uma americana de 25 anos, a fanfic “After” tem grande apelo erótico e um protagonista “mulherengo e bêbado” batizado com o mesmo nome e sobrenome de um dos integrantes da boyband. A trama teve mais de um bilhão de visualizações e deve seguir o sucesso de “Cinquenta tons de cinza”, também originária na internet e inspirada em outra obra: “Crepúsculo.’’ Por questões legais, a versão impressa de “After” teve nomes trocados antes de chegar às livrarias e, em breve, vai virar filme.

— Fanfic não é só sacanagem não — avisa Babi Dewet, de 28 anos, autora da trilogia “Sábado à noite’’, que vendeu mais de dez mil cópias e fala sobre a banda britânica pop McFly.

Babi Dewet ganhou fama na internet com suas “fanfics”, que viraram livros - ANTONIO SCORZA

Babi Dewet ganhou fama na internet com suas “fanfics”, que viraram livros – ANTONIO SCORZA

O primeiro livro de Babi foi bancado pela mãe. Hoje, ela está entre as escritoras mais populares do gênero por aqui. É formada em Cinema, coleciona seguidores no Twitter e no Instagram e com seus longos cabelos com pontas azuladas, dificilmente passa despercebida. Nos braços carrega nove tatuagens, entre elas um Yoda de “Star Wars”, os símbolos das relíquias da morte de “Harry Potter”, e uma estrela igual à do líder do grupo preferido.

Ainda que não tão estilosas como Babi, muitas outras meninas (sim, elas são maioria esmagadora no mundo das fanfctions) sonham em trilhar o mesmo caminho e não medem esforços para isso. Sabem que fórmula pronta não existe, mas reconhecem que há algumas maneiras de fisgar novos leitores na web. Escrever ou pelo menos pensar num título em inglês, por exemplo, pode despertar uma maior curiosidade e resultar num maior número de visualizações.

Enquanto uns acham que usar enredos já conhecidos ou nome de famosos não passa de plágio, há quem veja a produção como uma homenagem.

— Ninguém é verdadeiramente famoso hoje em dia se não tiver sua obra recriada por dezenas, centenas e milhares de fãs — afirma Cristiane Costa, autora de “Sujeito oculto”, livro escrito a partir de uma colagem de diferentes títulos. — O mercado passou a olhar este tipo de literatura com outros olhos. O que chama atenção é o número de visualizações e seguidores. É um tipo de autor que já vem com seu próprio público a tiracolo.

Marcela Moreira (à direita) e Leticia Black fazem parte do Clube das Autoras, site que tem 30 mil leitores - ANTONIO SCORZA

Marcela Moreira (à direita) e Leticia Black fazem parte do Clube das Autoras, site que tem 30 mil leitores – ANTONIO SCORZA

Foi exatamente o que aconteceu com Letícia Black, também conhecida como ” Leka Judd. No currículo da escritora de 24 anos há 90 fanfics espalhadas pela internet e o recém-lançado “Garota de domingo”, que fala sobre o conturbado romance entre Pam e Davi. O livro de Letícia está nas estantes de grandes livrarias dividindo espaço com séries best sellers internacionais como “Diário de um banana”.

Marcella Moreira tem 19 anos e é autora de 18 fanfics (“Eu escrevo muito e muito devagar”, confessa). Como Letícia, Cell é uma das participantes do Clube das Autoras, site que existe há dois anos, tem 30 mil leitores e cerca de 200 textos disponíveis.

— Os homens têm preconceito com o nosso trabalho. Acham que só escrevemos sobre bandas com garotos bonitinhos. Mas não sou dessas que ficam apaixonadas por qualquer um. Meu coração bate mais forte é pelo Fluminense — conta Marcella, que não tem namorado e é autora de alguns contos indicados apenas para maiores de idade por relatarem triângulos amorosos, traições e vinganças.

Beatriz Sosinho, de 16 anos, também fala e escreve sobre esses e outros assuntos, em tese “proibidos” para menores como ela. Prefere usar títulos em inglês e sempre cita bandas e cantores em seus textos. A ideia de “The fox and the snake” veio de “Hey you”, do Pink Floyd, e a história medieval “Stairway to heaven” foi batizada como a música do Led Zeppelin.

— Conheci o Sex Pistols lendo fanfics, sabia? — comenta Beatriz, a BJ Stewart.

Da esquerda para a direita, Beatriz Sosinho, Giovana Rita e Giovanna Lobo passam noites em claro lendo e escrevendo suas histórias - ANTONIO SCORZA

Da esquerda para a direita, Beatriz Sosinho, Giovana Rita e Giovanna Lobo passam noites em claro lendo e escrevendo suas histórias – ANTONIO SCORZA

Enquanto alguns carregam o laptop para a cama para acompanhar as aventuras de seus personagens favoritos, outros leitores chegam a imprimir páginas e mais páginas de textos como uma forma de driblar o controle dos pais.

— Já fiz isso, mas hoje prefiro ler no celular mesmo. Aí sei que ninguém vai implicar comigo. Se pudesse, passava noites em claro lendo, mas tenho que acordar cedo para ir para a escola — reclama Giovana Rita, de 17 anos, fã de mitologia grega e autora de cinco fanfics.

Um dos segredos do sucesso das “ficções de fãs” é a possibilidade de dar ao leitor a chance de “customizar” o que vai ler. Antes do acesso ao texto, muitas delas permitem que se escolha o nome, cor dos olhos e cabelos do protagonista, além do nome do melhor amigo ou pretendente. É uma maneira de ser inserido no cenário e fazer parte do universo que tanto gosta.

Nos Estados Unidos, só o site Fan Fiction tem cinco milhões de textos em 30 idiomas, e um dos principais no Brasil, o Fanfic Obsession, disponibiliza mais de oito mil histórias de diferentes gêneros, tem 18 mil acessos todos os dias de 25 países e 97% dos leitores do sexo feminino, entre 14 e 21 anos. Vislumbrando um mercado dos mais lucrativos, a Amazon permite desde o ano passado que fanfics sejam vendidas através do Kindle Worlds. Lá, a regra é clara: os lucros com as vendas devem ser divididos com os autores das obras originais.

— Acho o máximo participar de tudo isso e não ligo para quem diz que o que a gente faz é plágio. Esta é uma forma de incentivar a leitura e fazer novos amigos — acredita Giovanna Lobo, de 16 anos, que tem 36 textos publicados e um deles, “Anjo imperfeito”, com partes inteiras copiadas em outra fanfic na semana passada. — Não tem jeito. Até a gente corre esse risco.

J. K. Rowling publica nova história da série ‘Harry Potter’ no Halloween

0

Publicado por Folha de S.Paulo

A autora de Harry Potter, J. K. Rowling, vai publicar uma nova história da série no dia 31 de outubro —quando é comemorado o Halloween.

O conto será publicado no site Pottermore.com e trará como protagonista a professora Dolores Umbridge, que apareceu pela primeira vez em “A Ordem da Fênix”, quinto livro da série, publicado em 2003, e é umas personagens mais detestadas pelos fãs.

A atriz Imelda Staunton, como a personagem Dolores Umbridge em cena do filme "Harry Potter e a Ordem da Fênix (Divulgação)

A atriz Imelda Staunton, como a personagem Dolores Umbridge em cena do filme “Harry Potter e a Ordem da Fênix
(Divulgação)

“Além de ser uma das personagens mais maquiavélicas da série, ela é a única além de Voldemort que deixou uma marca permanente em Harry”, diz o anúncio postado no site nesta sexta (24). No livro, Umbridge obriga Harry a escrever cem vezes a frase “eu não devo contar mentiras” —com uma pena mágica que entalha as palavras em seu pulso.

Segundo o site, o novo material de Rowling terá 1.700 palavras e mesclará a história da professora com reflexões da autora sobre a personagem.

‘Game of thrones’: Fotos revelam diferenças entre livros e série

0

George R.R. Martin odeia seus leitores

1

Eduardo Rodrigues em O Globo

Quando ele lançou seu primeiro livro de grande repercussão (“Guerra dos Tronos”, o primeiro volume da “Saga de gelo e fogo”, lá em 1996), surpreendeu a todos matando alguns dos personagens mais queridos do público e até mesmo o principal protagonista.

No terceiro livro, destruiu nossos corações com o “Casamento Vermelho”, mas os leitores passaram por aquele teste de fogo e seguiram querendo mais. Aí ele mudou a estratégia: para nos matar de curiosidade e ansiedade, aumentou para cinco ou seis anos o intervalo entre as obras.

Em 2011 o número de fãs cresceu exponencialmente com o lançamento da aclamada série da HBO e agora o que os fãs antigos mais temiam está acontecendo: a delonga fez com que a história contada na série comece a ultrapassar os livros. Essa preocupação ganhou força no início do ano, quando foi ao ar a quarta temporada e a aventura de Bran Stark ao norte do Norte foi muito além do que poderíamos imaginar.

* * * E A PARTIR DAQUI TEM SPOILERS * * *

A série atualmente está sendo filmada na Espanha, onde são gravadas as cenas de Dorne, terra natal do finado Oberyn Martell. A imagem mais marcante a surgir até agora mostra Daenerys Targaryen assistindo a um combate, sentada ao lado de Hizdahr zo Loraq e… Tyrion Lannister! Loraq é um nobre local com quem ela se casa para tentar controlar a cidade.

1

A foto é um spoiler não só para espectadores da série, mas também os leitores. No quinto livro, Daenerys luta para controlar a cidade de Meereen, enfrentando a aristocracia local. Tyrion, por outro lado, está perdido em meio a sua fuga de King’s Lading, após matar o pai. Todos esperam que o encontro vá acontecer — mas ele ainda não aconteceu, pelo menos não nos livros.

As surpresas não terminam aí. No duelo que Dany e Tyrion assistem, um dos combatentes é Jorah Mormont, o conselheiro que perdeu as graças da Mãe dos Dragões. Ele sim encontra com Tyrion no quinto livro, mas agora precisamos saber como essa história será resumida na série (o que é uma boa notícia, pois a parte do Anão no quinto livro é uma das mais chatas da saga).

1

Outro encontro inesperado que deve acontecer já na quinta temporada será entre Jaime Lannister e as Serpentes de Areia, como são conhecidas as filhas de Oberyn Martell. O ator Nikolaj Coster-Waldau foi visto entrando no Palácio de Alcázar, em Sevilha, que está sendo usado para gravar cenas do palácio de Dorne.

A questão é que nos livros Jaime não vai a Dorne em nenhum momento. Então o que vai acontecer por lá é uma completa surpresa. Ele tem motivos para a viagem, pois sua filha Myrcella foi enviada para lá por Tyrion, há duas temporadas (lembram?). Mas a interação com a família Martell certamente não será amigável. As primeiras imagens das Serpentes de Areia também apareceram nesta semana pela primeira vez.

1

Modelo matemático prevê quem pode viver ou morrer em Game of Thrones

0

1

Maria Luciana Rincon, no Mega Curioso

Se você é fã de Game of Thrones, já deve ter aprendido que é melhor não se apegar muito a nenhum dos personagens, não é mesmo? Afinal, você provavelmente assistiu atônito à morte de mais de um protagonista pelo qual você nutria algum tipo de carinho! Pois — caso você não tenha lido os livros que inspiraram a série — talvez exista uma maneira de prever quem será o próximo a desaparecer da trama.

De acordo com o site Wired, Richard Vale — professor de estatística da Universidade de Canterbury, localizada na Nova Zelândia — decidiu aplicar seus conhecimentos para criar um modelo matemático capaz de prever quem vai viver ou morrer em Game of Thrones. E o abstract do estudo inclusive contém um alerta de spolier!

Chutes informados

1

Vale se apoiou na estatística bayesiana para prever quais personagens receberão mais atenção nos próximos dois livros que serão lançados por R.R. Martin. Assim, considerando que a trama é contada em capítulos, e que cada capítulo é descrito sob o ponto de vista de personagens específicos, o matemático se baseou no número de capítulos dedicado a cada protagonista nos cinco livros que já foram lançados para antecipar o andamento da obra.

O modelo não permite que Vale preveja trechos específicos ou mudanças repentinas na trama, mas possibilita que façamos alguns “chutes” informados. Portanto, segundo o modelo, a morte de um personagem significa que não existirão novos capítulos contados sob seu ponto de vista no futuro. Dessa forma, podemos deduzir quais são os protagonistas que — potencialmente — encontrarão suas mortes.

Alertas de spoiler!

1

O modelo de Vale prevê, por exemplo, que existe uma chance de 38% de que Jon Snow não tenha um capítulo no sexto livro, com essa probabilidade aumentando para 67% com respeito ao sétimo. E você já deve ter deduzido o que isso significa, não é mesmo? Mas não fique triste, pois o próprio matemático prefere olhar para os resultados com certo pessimismo, e admite que o modelo só revela possibilidades e pode não ser tão preciso assim.

1

Conforme explicou, isso se deve ao fato de não existem muitos dados disponíveis para que o matemático possa “brincar” com o modelo, apesar de os cinco primeiros livros somarem mais de 5 mil páginas. Além disso, não há nenhuma razão para acreditar que existe um padrão que permita prever quantos capítulos serão contados por cada personagem antes de sua morte — sem falar que o modelo não leva em consideração o conteúdo dos primeiros cinco livros.

Para piorar, existem rumores de que R.R. Martin deseja mudar essa história de escrever os capítulos como se eles fossem contados sob o ponto de vista de personagens, o que invalidará o modelo! Por sorte, ele não foi criado para ser levado muito a sério, e surgiu como uma forma divertida de Vale explicar a seus alunos técnicas de análise exploratória, assim como para demonstrar como os matemáticos estimam previsões quando não há muitos dados disponíveis. Supernerd, você não acha?

Go to Top