Posts tagged Provas

‘Ninguém vai submeter alunos transexuais a situação vexatória no Enem’, garante ministro

0

Renato Janine diz que estudantes poderão se inscrever com nome social e usar banheiros segundo orientação sexual

2014_712755657-2013-11-10-1050.jpg_20140509

Publicado em O Globo

O Ministério da Educação divulgou nesta quinta-feira detalhes sobre a edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015, que acontecerá dias 24 e 25 de outubro. Durante a coletiva de imprensa realizada em Brasília, o ministro da Educação, Renato Janine, garantiu que, assim como ano passado, os candidatos transexuais poderão usar seu nome social para se inscrever na prova.

Ele também deixou claro que esses estudantes deverão ser tratados pelos nomes que indicaram na inscrição. E que eles poderão utilizar os banheiros conforme sua identidade sexual.

— Ninguém deve submeter esses alunos a situação vexatória. Isso quer dizer o seguinte: que ninguém da equipe que for aplicar o Enem pode se dirigir a pessoa por um nome que não seja o seu nome social — explicou Janine.

A afirmação gera alívio a candidatos transexuais. Em edições anteriores, muitos estudantes relataram ter sofrido contrangimento por conta de fiscais de prova que desrespeitaram sua orientação sexual. Em 2013, por exemplo, a moradora de Sete Lagoas (MG), Beatriz Marques Trindade, então cadidata, passou maus bocados. Ao entrar no local de prova, um examinador duvidou de sua identidade, alegando que sua aparência física não era compatível com o nome que constava no cartão de inscrição. Após alguns momentos esperando do lado de fora da sala, Beatriz finalmente conseguiu realizar a prova.

Taxa, horários, segurança: veja o que muda nas regras do Enem 2015

0

O MEC anunciou nesta quinta as novas regras para o Enem 2015.
Inscrições abrem em 25 de maio; provas serão em 24 e 25 de outubro.

redação-do-enem-2015

Publicado no G1

A edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já tem as datas definidas, mas, neste ano, o Ministério da Educação anunciou diversas mudanças em relação aos anos anteriores. A principal alteração é o aumento da taxa de inscrição, que desde 2004 era de R$ 35, e neste ano vai subir para R$ 63.

Nesta edição, o horário do início das provas foi alterado, mas o horário de provas dos sabatistas no sábado continua o mesmo. Candidatos transexuais também poderão ser tratados pelo nome social de sua escolha durante as provas, assim como ocorreu no ano passado.

Mas os estudantes deverão prestar atenção em outros detalhes inéditos no exame do MEC. Veja abaixo as principais mudanças:

Taxa de inscrição

COMO ERA: A taxa custava R$ 35 e só era cobrada de estudantes que estavam cursando ou tinham cursado o ensino médio na rede particular. Todos os alunos e ex-alunos de escola pública estavam isentos.

COMO FICOU: A taxa foi reajustada após 11 anos e subiu para R$ 63. Além disso, só estarão isentos os estudantes da escola pública que estejam matriculados no terceiro ano do ensino médio em 2015, e candidatos que comprovem os requisitos socioeconômicos definidos no edital.

MOTIVO: Há anos o governo federal estuda maneiras de reduzir a taxa de abstenção e os custos do exame. “Quando você deixa muito tempo fixo [o valor da taxa], o reajuste causa um choque, enquanto o reajuste deveria vir com naturalidade”, explicou o ministo. Segundo ele, a ideia é que a taxa do Enem seja reajustada “a cada dois ou três anos” a partir de agora.

Em 2013, a taxa de ausência chegou a 29% do total de inscritos, ou mais de 2 milhões de pessoas. No Enem 2014, 65% dos alunos faltosos não pagaram para se inscrever. “Houve a ideia de cancelar a isenção, optamos pela maneira mais leve”, disse ele, afirmando que estudantes isentos de pagar a taxa precisam respeitar o fato de que o custo da prova está sendo bancada com “recursos que a sociedade está pagando”. Segundo Janine, “há uma responsabilidade moral que é preciso assumir. E no escopo educacional, a ética é fundamental. Educação é também ter responsabilidade com os próprios atos”.

Horário de provas

COMO ERA: Os portões dos locais de prova sempre fechavam às 13h do horário de Brasília; as provas do primeiro dia aconteciam entre 13h e 17h30; as do segundo dia eram aplicadas entre 13h e 18h30. Os sabatistas no Acre, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Roraima poderão fazer as provas do sábado às 19h do horário local. Nos demais estados, a prova do primeiro dia para os sabatistas começa às 19h do horário de Brasília.

COMO FICOU: Os portões continuarão sendo fechados às 13h do horário de Brasília, e quem ficar de fora não poderá participar da prova. Porém, a partir de 2015 as provas começaram 30 minutos após o fechamento dos portões. No primeiro dia, o horário das provas será entre 13h30 e 18h. No segundo, será entre 13h30 e 19h.

MOTIVO: Segundo o ministro Janine Ribeiro, há duas razões para mudar esse horário: segurança e concentração dos candidatos. “Vamos supor que uma pessoa chega em cima da hora, essa pessoa vai ter que passar pelo corredor, eventualmente passar pelo detector de metal, ir ao banheiro… Isso tudo conturba a prova. Tem que ter tudo em ordem. Ter alguém abrindo pacote de provas na hora em que as pessoas estão entrando, isso não é bom pra nada. Não é bom para a segurança e não é bom para a concentração dos candidatos.”

Segurança

COMO ERA: No Enem 2014, todos os malotes com as provas tinham lacres eletrônicos que eram abertos às 13h pelo coordenador da sala.

COMO FICOU: No Enem 2015, os malotes ainda terão lacre eletrônico, mas serão abertos após as 13h e até 13h30, depois que todos os estudantes já estejam sentados, pelos coordenadores, na presença de uma terceira pessoa, para reduzir as possibilidades de vazamento das provas.

MOTIVO: “O malote será aberto com uma novidade. Mais uma pessoa estará presente na abertura do malote”, explicou o presidente do Inep, Francisco Soares. Ele diz que a ideia é aumentar a segurança em relação a possíveis vazamentos do caderno de provas. “Estamos garantindo que o malote seja aberto de maneira uniforme. Antes das 13h não terá malote aberto. Temos um grande sistema que nos protege. No instante em que abrimos, temos 850 mil pessoas. Elas não chegam por acaso, chegam por processo de verificação e segurança. É melhor termos um sistema que diga se algum malote foi aberto antes”, disse ele.

No ano passado, uma foto da página do caderno de provas que continha a proposta de redação do Enem vazou momentos antes do início do segundo dia do exame. A Polícia Federal confirmou o vazamento, denunciado inicialmente por um estudante do Piauí.

Inscrições

COMO ERA: As inscrições eram feitas exclusivamente pela internet e os estudantes precisavam informar detalhes como o CPF e o endereço residencial, além de dados pessoais, escolares e socioeconômicos. Também era possível usar o mesmo e-mail para a inscrição de mais de uma pessoa.

COMO FICOU: As inscrições continuam sendo feitas apenas pela web, mas, a partir deste ano, além dos dados já pedidos, os candidatos precisaram informar um telefone (fixo ou celular) válido, e um endereço de e-mail só poderá ser usado para efetuar uma inscrição. Ele também deverá criar uma pergunta e resposta de segurança para recuperar a senha.

MOTIVO: Segundo o ministro Janine Ribeiro, as novas instruções no sistema de inscrições servem para aumentar a segurança dos estudantes e do próprio sistema informatizado. Janine lembrou que diversos sites já pedem, no cadastro dos usuários, uma pergunta de segurança, com uma resposta que deve ser do conhecimento apenas do próprio usuário, para que seja mais fácil a recuperação da senha para efetuar o login.

Cartão com o local de provas

COMO ERA: Poucas semanas antes das provas, o governo começava o processo de entrega dos cartões e confirmação do local de prova a cada um dos candidatos. Até 2014, era possível acessar o cartão no site do Enem, ou esperar até que os Correios entregassem o cartão impresso no endereço indicado no formulário de inscrições.

COMO FICOU: Em 2015, o MEC decidiu acabar com a entrega do cartão de confirmação na versão impressa. Neste ano, os candidatos só poderão checar seu local de provas acessando o site oficial do Enem, e fazendo o login no sistema.

MOTIVO: A principal razão desta mudança, segundo o ministro, é a economia de gastos com a impressão de envelopes e dos cartões. “São quase R$ 18 milhões nessa operação”, explicou ele. Segundo o presidente do Inep, Francisco Soares, a mudança não deverá ter grande impacto nos hábitos dos candidatos. “O número de pessoas que baixavam o cartão já era um número muito alto. A gente não está mudando muito a rotina. Frequentemente as pessoas utilizavam as duas, esperava chegar em casa e depois baixa.”

Para além dos testes

0

Avaliações de aprendizado são limitadas, mas pensar o papel da escola de forma ampla não justifica esquecer que é função dela ensinar o básico

como-funciona-a-avaliação-prova-brasil

Antônio Gois, em O Globo

“Sempre estudei em escola pública e tive professores incríveis. Hoje, as coisas que mais valorizo em mim — minha imaginação, minha paixão por atuar e escrever, minha curiosidade e prazer em aprender — são resultado da maneira como fui criado e ensinado. Nenhuma dessas qualidades que me fizeram ser tão bem-sucedido poderiam ser avaliadas por testes.” A declaração é do ator Matt Damon, e foi feita num encontro de professores nos Estados Unidos, em 2011. Não foi a primeira vez em que ele usou seu prestígio para criticar os testes padronizados nos EUA. A militância de Damon no tema é explicada por ser filho de uma especialista em educação infantil, Nancy Carlsson-Paige, bastante crítica do uso desses exames para avaliar professores e escolas.

O debate segue acalorado lá. Há duas semanas, o apresentador da CNN e colunista do “Washington Post” Fareed Zakaria escreveu no jornal americano um artigo em que criticava a prioridade dada ao ensino de ciências, tecnologia, engenharia e matemática naquele país, em detrimento da área de humanidades. Zakaria argumentou que os EUA sempre se saíram mal em testes internacionais de aprendizado, mas que nem por isso deixaram de ser a economia mais dinâmica, inovadora e empreendedora do mundo.

Para ele, isso acontece exatamente por causa do tipo de educação que agora estariam tentando defenestrar: “Essa abordagem mais ampla ajuda a desenvolver o pensamento crítico e a criatividade. Ciência e tecnologia são componentes cruciais desse tipo de ensino, mas também o são filosofia e inglês. Americanos devem ser cautelosos antes de imitar sistemas asiáticos bem-sucedidos na memorização de conteúdos avaliados em testes”.

Por outro flanco, os testes padronizados já eram alvo no mundo acadêmico desde que o prêmio Nobel de economia James Heckman, da Universidade de Chicago, passou a criticá-los com o argumento de que eles deixam de medir, segundo seus estudos, características da personalidade. São habilidades como persistência, motivação, capacidade de superar obstáculos e frustrações, de trabalhar em grupo, tão ou mais essenciais para o sucesso na vida adulta quanto o aprendizado de disciplinas tradicionais.

Em certa medida, o debate também acontece no Brasil. O novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, tratou do assunto em algumas entrevistas. Sem entrar em detalhes de como colocaria em prática a ideia, ele afirmou que uma de suas prioridades será estimular a criatividade em sala de aula, “para tornar a educação mais prazerosa”. Disse que avaliações nacionais são importantes, mas que não medem a contribuição das escolas para a formação ética e psicológica do aluno.

A pressão por bons resultados em exames cresceu no Brasil depois que a imprensa passou a fazer rankings de escolas a partir das notas divulgadas pelo MEC. Muitos diretores relatam histórias de famílias que, já desde a educação infantil, cobram do colégio bons resultados no Enem.

Reduzir a avaliação de um colégio a uma nota ou posição em ranking é mesmo um erro. Além de testes medirem apenas uma dimensão do aprendizado, seus resultados são influenciados por variáveis — especialmente o nível de pobreza e escolaridade das famílias — que nada têm a ver com o trabalho em sala de aula. A reflexão crítica sobre essas avaliações é necessária para melhorarmos a maneira como interpretamos seus resultados.

Há, no entanto, um cuidado a tomar: pensar o papel da escola de forma mais ampla não justifica esquecer que é função dela também ensinar o básico. E, no Brasil, nem isso estamos fazendo a contento em disciplinas de matemática, português, ou outras tradicionalmente avaliadas que, sim, são fundamentais na garantia do direito de aprendizado de todas as crianças.

Veja dicas de como se preparar às vésperas da segunda fase da Fuvest 2015

0

Veja dicas de como se preparar às vésperas da segunda fase da Fuvest 2015

Agora é hora de deixar o estudo de lado e relaxar para chegar no domingo (4) com força total

Publicado no Guia do Estudante

A segunda fase do vestibular da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) começa neste domingo (4). No total, 29.698 candidatos estão concorrendo a 11.057 vagas em 249 cursos da USP e 120 vagas no curso de Medicina da Santa Casa.

Serão três dias de prova – praticamente uma maratona para o estudante. Separamos algumas dicas para conter o nervosismo e para se preparar às vésperas do exame. Confira!

 

DICA: Estudar coisas novas a essa altura do campeonato não vale mais a pena. Se você sente a necessidade de ainda ficar perto dos livros, opte por ler resumos. Tópicos mais visuais (tabelas, mapas, linhas do tempo) também valem. Mas o importante é confiar em você mesmo. Tudo o que você já aprendeu durante o ano está aí, dentro da sua cabeça, em algum lugar. 😉

Relaxe!

Desencane! O dia da prova é só mais um dia na sua vida. É um dia importante? Sim, mas a vida continua depois do vestibular. Por isso, aproveite esses últimos momentos para fazer coisas que o deixem à vontade: vá ao cinema, passeie com amigos, saia com o(a) namorado(a). Descanse a sua mente.

Se você acha que isso o fará ficar com a consciência pesada (“sou-desses-que-precisa-estudar-até-o-último-minuto”), reserve um tempo para, pelo menos, conhecer o local de prova com antecedência. Essa dica, aliás, é importante para todos. Conheça o endereço da sua prova! Descubra como chegar lá e veja quanto tempo gasta. Se todo ano aparecem por aí notícias de vestibulandos que chegaram atrasados é porque isso existe, não é? Não despreze o risco de também acontecer com você.

CONHEÇA O LOCAL DE PROVA! (repetimos mais uma vez para não esquecer). Atenção! Veja se no domingo, segunda e terça não existirão problemas no transporte, como vias interditadas ou metrô/trem/ônibus fora de operação).

Na véspera

– Aproveite o tempo antes do dia da prova para preparar o seu material, sem pressa. Desse modo, a chance de você esquecer fica bem mais difícil (veja abaixo o que levar e o que deixar em casa).

– Cuide da alimentação. Nada de abusar no almoço e fuja das gorduras e frituras ou alimentos que você não está acostumado a consumir.

– Durma cedo! Nada de balada ou papo com os amigos até altas horas da noite (deixe para conversar depois da prova, você vai ter mais assunto também).

O que levar

– Documento de Identidade: RG, CNH… (lista completa no manual)

– Caneta esferográfica de tinta azul ou preta (leve mais de uma para garantir)

– Lápis nº 2

– Borracha

– Régua graduada (para as provas que contenham questões de Matemática, poderá levar também esquadros, transferidor e compasso)

– Água e alimentos leves

– Foto 3×4 recente (ela deverá ser entregue no 1º dia de prova, quando solicitada pelo fiscal da sala)

O que não levar

– Qualquer tipo de equipamento eletrônico

– Material impresso ou para anotações

– Canetas que não as recomendadas

– Gorros, bonés etc.

– Comidas barulhentas e/ou com cheiro forte (evite o mau-olhado dos concorrentes hehe)

No dia da prova

– Acorde num horário em que você consiga se arrumar, comer e ainda dê tempo de chegar ao local (não precisa madrugar, mas também não precisa sair de pijama para a prova).

– Coma alimentos leves. Veja aqui algumas dicas do que comer antes da prova.

– Antes de sair de casa, dê uma última conferida no material que separou no dia anterior.

– Saia de casa cedo. Nos três dias de prova os portões abrem às 12h30 e serão fechados às 13h.

– Respire fundo e encare o desafio!

Como é a prova

Nos três dias os candidatos terão que responder a questões “analítico-expositivas” (dissertativas). Todas as provas terão 4h de duração.

– Primeiro dia (domingo): 10 questões de interpretação de texto, gramática e literatura e uma redação.

– Segundo dia (segunda-feira): 16 questões de história, geografia, matemática,
física, química, biologia, inglês (sendo algumas delas questões interdisciplinares)

– Terceiro dia (terça-feira): 12 questões, com duas ou três disciplinas, dependendo da carreira escolhida. Se forem duas disciplinas, serão seis questões em cada uma delas. Se forem três disciplinas, serão quatro questões em cada uma delas.

Na hora da prova os fiscais darão mais orientações sobre como realizar o exame. Você poderá deixar o local de prova a partir das 15h. Recomendamos que você aproveite bem o tempo para fazer as questões. Comece à lápis e depois passe à caneta, para dar chance de revisar algum errinho que você perceba. Se já tiver começado à caneta, faça um traço na palavra incorreta e continue escrevendo. É importante que você respeite a normal culta (sem gírias e abreviações).

Resultado

Em 31 de janeiro será divulgada a primeira chamada com a lista de convocados para a matrícula. .

Para mais informações, acesse o manual do candidato na íntegra ou entre em contato com a Fuvest:

Endereço: Rua Alvarenga, 1945/51 – esquina com a Av. Prof. Afrânio Peixoto (Portaria 1 da USP).

Telefone: (0xx11) 3093-2300

Site: www.fuvest.br

Horário de Atendimento: dias úteis, das 9h às 12h e das 13h às 17h

E-mail: [email protected]

Os 10 mandamentos para o Enem

0

Enem

Saiba o que fazer na véspera e no dia das provas do Enem

Publicado no Administradores

Neste sábado e domingo, 8 e 9 de novembro, cerca de 8,7 milhões de estudantes irão participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ao todo, serão 180 questões de múltipla escolha e uma redação de caráter dissertativo-argumentativo. Educadores do Grupo A Educacional, que reúne cinco escolas espalhadas pela cidade de São Paulo, elaboraram 10 mandamentos para os estudantes, todos voltados aos momentos que antecedem e aos dias de prova.
1 – Arejar a cabeça na véspera das provas

Não adianta se desesperar e começar a folhear livros aleatoriamente; o momento agora é de distrair-se com outras atividades. O nervosismo só atrapalha;

2 – Alimentação adequada

Na véspera da prova, se alimentar com comidas leves e no dia é muito importante comer corretamente, sem sair de casa de barriga vazia e nem exagerar; frutas e sanduíches leves são recomendados;

3 – Chegar adiantado ao local da prova

Principalmente se você não conhece o trajeto até o local onde fará a prova, é muito importante que saia de casa com cerca de 3 horas de antecedência, considerando que pode acontecer imprevistos durante o caminho, principalmente se você mora na zona sul de São Paulo, pois ocorrerá o Grande Prêmio de Formula 1 em Interlagos.

4 – Focar em você

Pode ser que o seu vizinho de prova esteja tranquilo, escutando música, ou pode ser que ele esteja devorando livros. Não se deixe contaminar pelo comportamento dos outros, foque na sua preparação;

5 – Começar pela redação

Vale iniciar a prova por esta tarefa para aproveitar que a mente não está tão cansada. Capriche no raciocínio e na gramática correta;

6 – Eliminar as questões das áreas que você domina

Se você é fera em exatas, por exemplo, comece por as matérias desta área; deixe as que requerem mais tempo para o final;

7 – Distribuir bem o tempo

Calcule o tempo da prova e divida-o pelo número de questões, assim terá uma média de quanto tempo pode demorar em cada teste;

8 – Fazer um intervalo durante a prova

Pode parecer arriscado, mas às vezes o simples fato de ir rapidamente ao banheiro e lavar o rosto pode renovar o ânimo;

9 – Não tentar calcular a nota

Ao final da prova, é bem provável que a maioria dos estudantes estejam discutindo quais questões acertaram e erraram. Não tente adivinhar a sua nota, você já deu o seu máximo;

10 – Acreditar em você

Onervosismo é natural, mas lembre-se que você se preparou para esta prova da melhor maneira. Mantenha o otimismo

Go to Top