Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged publica

Livraria em Connecticut se especializa na publicação de livros brasileiros

0
Livro de Machado de Assis traduzido para o inglês

Publicado no Achei USA

A Série Brasil da editora inclui volumes bilíngues de alguns dos maiores trabalhos de literatura clássica do Brasil

A New London Librarium, pequena editora literária localizada no estado de Connecticut, se tornou a principal editora de livros sobre cultura, história, literatura e temas brasileiros na América do Norte. “O Brasil ainda é um mistério para a maioria dos americanos”, disse Glenn Alan Cheney, editora-chefe da New London Librarium. “As praias, a Amazônia e algumas cidades são reconhecidas por muitos, mas as áreas mais profundas da cultura, história e literatura ainda estão fora do escopo do conhecimento geral.”

A Série Brasil da editora inclui volumes bilíngues de alguns dos maiores trabalhos de literatura clássica do Brasil. Quatro títulos são de Machado de Assis, considerado um dos maiores escritores da literatura ocidental. Outros escritores incluem Rubem Alves, um popular psicanalista e teólogo; João do Rio, um dos primeiros jornalistas literários; e Mário de Andrade, criador da ficção modernista brasileira.

Muitas das traduções foram possíveis com o apoio da Fundação Biblioteca Nacional e do Ministério da Cultura. Com esse apoio, a editora espera produzir novos títulos escritos por Monteiro Lobato e Lima Barreto em breve.

“A New London Librarium é corajosa em seu nobre esforço de trazer a literatura brasileira para o mundo fora do Brasil”, diz a doutora Ana Lessa-Schmidt, editora de tradução sênior. “Embora o público em geral tenha pouco notado, acadêmicos e brasileiros nos EUA estão demostrando muito interesse em nossa coleção.” Lessa-Schmidt traduziu os recém-lançados Good Days! Chronicles of Machado de Assis 1888-1889 (Bons Dias! Crônicas de Machado de Assis, 1888-1889). Esta coleção bilíngue de ensaios da Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro é a mais completa em qualquer idioma.

O catálogo da Série Brasil da New London Librarium pode ser baixado em NLLibrarium.com/brazil.

Mais assustador que Jack Nicholson? Urso invade hotel de O Iluminado

0

Bruno Tomé, no Observatório do Cinema

O famoso Stanley Hotel, no estado do Colorado nos Estados Unidos, que inspirou a obra O Iluminado, de Stephen King, recebeu um visitante de respeito. Câmeras de segurança do saguão flagraram o momento em que um urso invadiu o local.

Por sorte, já era noite e todos os hóspedes estavam dormindo. O urso, como pode ser visto no vídeo ao final da publicação, apenas passeou pelo saguão e foi embora. O hotel recebe muitos visitantes que são fãs de Stephen King.

Reza a lenda que o escritor se hospedou no hotel em 1974. Em uma das noites, Stephen King teve um pesadelo com o seu filho nos corredores do Stanley e então começou a escrever a obra.

A curiosidade, no entanto, é que apesar de ter inspirado o livro, o Stanley Hotel não foi usado nas gravações do filme de 1980, de Stanley Kubrick e protagonizado por Jack Nicholson. As filmagens da versão para o cinema foram realizadas em um estúdio na Inglaterra.

Tratando em versão para o cinema, vale lembrar que a continuação de O Iluminado, Doutor Sono, está sendo produzida com a direção de Mike Flanagan, tendo Ewan McGregor como protagonista. O filme deve ser lançado no dia 24 de janeiro de 2020.

Jovem com paralisia cerebral aprende a se comunicar com os olhos e publica livro

0

Publicado no IG

Jonathan Bryan é um rapaz de 12 anos, de Wiltshire, na Inglaterra, e, como a maioria dos garotos na sua idade, adora conversar e escrever. Porém, essas ações, que parecem simples e naturais para muitos, eram, até então, “impossíveis” para o menino que nasceu com paralisia cerebral grave.

Eye Can Talk

Jonathan Bryan, de apenas 12 anos, segura seu livro “Eye Can Talk”

Sua condição o deixou incapaz de andar ou falar, além de ter causado “deficiências profundas e múltiplas de aprendizado”, conforme diagnosticaram os médicos. No entanto, a mãe de Jonathan, Chantal não deixou que a paralisia cerebral impedisse o filho de se comunicar.

Apesar de ter sido considerado como uma pessoa “impossível de ser ensinado”, a mãe de Jonathan, se recusou a desistir e se dedicou a ensinar o filho como se comunicar. A técnica que ela desenvolveu para ajudá-lo se trata do direcionamento dos olhos do menino para algumas cartas em um quadro, formando palavras e frases.

Apenas alguns anos depois de aprender o novo método, Jonathan escreveu uma autobiografia e publicou o livro “Olhos podem escrever: Uma memória da alma silenciosa de uma criança emergente”
, ainda sem tradução para o português.

Agora, Jonathan também começou a escrever um romance. “Eu me sinto empolgado e um pouco apreensivo. Estou com medo sobre o que pode acontecer se as pessoas não gostarem do meu livro”, disse ele ao Daily Mail.

Todo o lucro do livro – que tem um prefácio de seu herói literário e autor do livro “Cavalo de Guerra”, o escritor Michael Morpurgo – vai para a instituição de caridade de Jonathan, Teach Us Too, que tem como objetivo garantir que todas as crianças sejam ensinadas a ler e escrever.

Em entrevista ao portal britânico, o garoto falou, através do quadro de letras, que seu método de escrita é lento, mas isso não foi suficiente para impedi-lo de aprender. “Eu planejo e depois escrevo. Eu não gosto de repetir a mesma palavra duas vezes, então eu sempre estou com o meu dicionário de sinônimos por perto. Demorei um pouco para fazer o livro. Escrevi quase todos os dias, mas não aos domingos nem nos feriados.”

Ele também falou sobre como é se comunicar com seus colegas e familiares. “Quando estou escrevendo, não gosto quando as pessoas tentam adivinhar a palavra que estou escrevendo antes de terminar de escrever. É muito irritante”, contou.

Para a mãe de Jonathan, ver o trabalho do filho é emocionante e motivo de comemoração. “Acho que, como família, estamos todos orgulhosos de Jonathan e do que ele conseguiu. Há algumas semanas, ele recebeu as duas primeiras cópias do livro e decidiu entregá-las a suas duas irmãs, depois de dedicar o livro a elas. Foi muito fofo”.

Paralisia cerebral e suas sequelas

Jonathan nasceu após 36 semanas de gestação, quatro dias após o útero de sua mãe se separar da placenta depois que ela sofreu um acidente de carro.

Depois que ele nasceu, os médicos descobriram o garoto, que sofreu muitos danos cerebrais
, também tinha insuficiência renal. Um médico chegou a dizer que ele tinha “uma das piores imagens de ressonância magnética que ele já havia visto”, conforme contou a mãe.

Eye Can Talk

Mesmo com o diagnóstico de paralisia cerebral, a mãe do garoto não desistiu de ensiná-lo a se comunicar com os olhos

Mesmo assim, a família insistiu para que o menino fosse à escola, e ele freqüentou uma instituição especializada em crianças deficientes, mas nunca foi ensinado a ler ou escrever.

Quando ele ainda era mais novo, a família foi visitada por um especialista, que atende várias crianças com a mesma condição de Jonathan, e o profissional sugeriu que o garoto poderia se comunicar através de seus olhos.

Chantal, que também é mãe de Susannah, de 9 anos, e Jemima, 6, conta que quando elas começaram a estudar em casa, Jonathan tinha 7 anos. Elas então começaram a ensiná-lo a soletrar, até que ele foi capaz de escolher palavras pré-selecionadas no quadro e então passou a se comunicar com os olhos
.

A mãe recorda emocionada o momento em que conseguiu se comunicar mais diretamente com o filho. “O enchi de perguntas e, de certa forma, foi muito reconfortante perceber que conhecíamos ele o tempo todo. Perguntei-lhe qual era a coisa mais frustrante para ele e esperava que dissesse não poder falar. Mas ele disse que era quando eles lavavam seu rosto”.

Método de se comunicar com os olhos

Jonathan usa três placas de madeira com letras, números e pontuação, que são retidas na frente dele, para que ele possa fazer uma seleção com os olhos. Ao escrever o livro, parentes e amigos digitavam suas palavras em um computador, conforme ele ia se comunicando.

O garoto começou a escrever o livro de 192 páginas depois de terminar seus exames finais da escola, em junho do ano passado. O primeiro manuscrito foi para as editoras perto do Natal.

Sua versão final foi aprovada em maio e ele recebeu a primeira cópia em capa dura no mês passado, antes do lançamento nas principais livrarias que deve acontecer nesta quinta-feira (12).

“Olhos podem escrever: Uma memória da alma silenciosa de uma criança emergente” é um livro publicado pela editora Bonnier Publishing. A obra do menino com paralisia cerebral
está disponível para compra na Amazon e em todas as principais livrarias da Inglaterra.

Dica para TCCs: 7 melhores sites de pesquisa acadêmica

0

Rodney Eloy, no Pesquisa Mundi

Conheça algumas das mais eficientes ferramentas para buscas científicas

Daniel Ribeiro | TechTudo

Trabalhos acadêmicos, como monografia e TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), devem ser fundamentados por referências teóricas de publicações científicas. Por isso, sites de buscas como Google, Bing ou DuckDuckGo não são a melhor alternativa para quem quer concluir a graduação. Sites como SciELO, periódicos., da CAPES, e até o Google Acadêmico são os mais recomendados na hora de encontrar artigos, periódicos e bases de dados confiáveis para usar em um trabalho. Veja a seguir os sete melhores sites para pesquisas acadêmicas.

1. SciELO
A plataforma SciELO (http://www.scielo.br/), sigla para Scientific Electronic Library Online, é uma biblioteca eletrônica com um acervo selecionado de periódicos científicos brasileiros. Desenvolvida pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e a BIREME (Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde), essa ferramenta conta com o suporte do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

A pesquisa pela SciELO oferece acesso a coleções de periódicos como um todo, com informações que vão desde estatísticas de publicação até os fascículos de cada periódico, oferecendo ainda os textos completos de cada artigo. Além disso, o usuário pode visualizar uma série de dados sobre cada revista cientifica, tais como: ISSN, a missão, o corpo editorial etc.

Com uma interface simples e prática, a plataforma de pesquisa apresenta três categorias principais de busca: por periódicos, por artigos e por relatórios. Cada uma oferece listas e índices em ordem alfabética, com informações objetivas sobre resultados e eficientes recursos para separar artigos e periódicos encontrados.

2. ERIC
ERIC (https://eric.ed.gov/), sigla para Educational Resources Information Center, é uma base de dados desenvolvida pelo Departamento de Educação dos EUA que oferece acesso a conteúdo da área da educação e temas relacionados. O acervo disponibiliza artigos de periódicos, anais de congresso, conferência, documentos governamentais, teses, dissertações, relatórios, bibliografias, livros e monografias.

Apesar de só oferecer suporte para o inglês, a plataforma tem uma interface que destaca e prioriza sua ferramenta de busca. O usuário tem duas opções de pesquisas pelo ERIC: buscar por coleção de artigos reunidos em seu acervo ou navegar por suas variedades temáticas dos assuntos em seu tesauro.

A apresentação dos resultados de pesquisas exibe diversos filtros para marcar artigos, tais como: pela data ou tipo de publicação, por assuntos específicos, pelos periódicos de origem, por autores etc. Além disso, cada item apresenta o nome dos autores, o periódico e o ano de publicação, além de trechos do resumo, descritores temáticos e informações ou links sobre o texto completo do artigo.

3. Google Acadêmico
Lançado em 2004, o Google Acadêmico (https://scholar.google.com.br/) é uma ferramenta de pesquisa de publicações científicas que apresenta e discrimina resultados em trabalhos acadêmicos, literatura escolar, periódicos de universidades, capítulos de livros e artigos variados.

A ferramenta tem uma interface simples e objetiva, apresentando resultados de buscas de forma clara e prática. Os itens listados têm informações sobre o tipo de material encontrado, a autoria, a data de publicação e a quantidade de citações. Além disso, o usuário pode aplicar filtros no material encontrado para separá-los por data, relevância ou idioma.

Com sofisticados recursos para pesquisadores e autores, o Google Acadêmico exibe ainda uma série de informações sobre as métricas de citação de periódicos e artigos. Da mesma forma, a plataforma também pode ser integrada uma conta do Gmail, garantindo o acesso a um perfil especial, a biblioteca para guardar resultados e a alertas de publicações de artigos de assuntos específicos.

4. periodicos (Portal da CAPES)
Desenvolvido pela CAPES, que é a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, o portal .periodicos. (http://www.periodicos.capes.gov.br/) disponibiliza o texto integral de artigos de milhares de revistas científicas brasileiras e internacionais. Além disso, a plataforma também conta com mecanismos de busca que pesquisam em dezenas de bases de dados, ampliando bastante a abrangência de seus resultados.

Totalmente em português e com um visual sofisticado, a interface apresenta alternativas para pesquisar por assuntos, periódicos, livros ou bases de dados. Da mesma forma, a plataforma também apresenta notícias, agenda de eventos científicos e opções para navegar por conteúdos em diferentes tipos de mídias.

Os resultados de buscas no .periodicos. são apresentados de forma clara e objetiva, destacando uma série de informações sobre os artigos, bem como diversos filtros para especificar as pesquisas por data, assunto, autoria etc.

5. BDTD

Desenvolvida pelo IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia), a BDTD, sigla para Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (http://bdtd.ibict.br/vufind/), reúne um acervo com milhares de publicações de trabalhos acadêmicos, integrando o sistema de dezenas de instituições de ensino e pesquisa do Brasil.

Destacando o recurso de buscas, a plataforma exibe o resultado com informações de forma clara e prática sobre a autoria e a data da defesa. Com fácil acesso ao texto integral de cada item, o usuário ainda pode refinar suas pesquisas com os diversos filtros na parte esquerda da interface.

A BDTD também oferece um recurso de busca avançada com vários mecanismos para conectar diferentes termos e assuntos, bem como autores, tipos de documentos e palavras em resumos. Além disso, este tipo de pesquisa permite limitar os resultados a datas, idiomas e categorias documentais.

6. Science.gov
A plataforma Science.gov (https://ciencia.science.gov/) é uma iniciativa integrada de dezenas de agências e órgãos dos EUA que oferece pesquisas em mais de 60 bases de dados e em mais de 2.200 sites governamentais. Com uma versão em inglês e outra em espanhol, o portal refina resultados de buscas em milhões de páginas cientificas dos Estados Unidos e de países da Europa.

O motor de pesquisa do Science.gov é poderoso e tem tradução para os dois idiomas do site, apresentando os assuntos, a autoria e informações sobre a publicação de cada item.

A interface apresenta abas de categorias com os tipos de documentos encontrados e resumos com informações sobre as buscas. Da mesma forma, o usuário ainda pode navegar por uma moderna apresentação visual que exibe os principais assuntos encontrados.

7. ScienceResearch.com
Desenvolvido por uma associação de instituições de pesquisa, o portal ScienceResearch.com utiliza uma tecnologia de pesquisa que faz buscas através da “deep web”, apresentando uma enorme quantidade de resultados.

Com centenas de coleções de acervo de ciência e tecnologia, além de ferramentas de buscas simples e avançadas, o ScienceResearch.com apresenta itens com texto integral, elimina conteúdos duplicados e classifica a relevância dos termos da pesquisa.

A ferramenta de busca avançada do ScienceResearch.com permite persquisar em coleções de acervo de ciência e tecnologia

Os mecanismos do ScienceResearch.com para refinar resultados são sofisticados e bem variados. O usuário pode utilizar filtros de artigos por assunto, autoria, periódico e data, selecionar uma coleção temática especifica do portal ou ranquear a apresentação dos itens encontrados pela relevância, data, titulo e nome do primeiro autor.

Com inúmeros filtros, ranqueamentos e informações sobre a pesquisa, o ScienceResearch.com é um excelente motor de buscas científicas (Foto: Daniel Ribeiro)

Divulgada data de publicação e capa de “Rainha do Ar e da Escuridão”

0

Graziele Fontes, no Cabana do Leitor

A autora Cassandra Clare anunciou no último sábado, no Yallfest, a capa do 3º livro “Rainha do Ar e da Escuridão” (em tradução livre), da série Os Artifícios das Trevas e, além de enlouquecer os fãs da autora e, claro, da série, Cassie disse que o livro só será lançado em 04 de dezembro de 2018, mas a situação é ainda pior, pois não há data de lançamento aqui no Brasil ainda, mas estamos torcendo para que seja lançamento simultâneo.

CAPA

A capa é maravilhosa, não é? Os fãs estão torcendo para que a capa seja igual aqui no Brasil!

Cassie além de nos matar com essas informações, liberou um trecho do livro para matar seus fãs só mais um pouquinho. Confira:

Ele queria perguntar a Ty se ele estava bem, mas sabia que o outro garoto não iria querer. Ty estava olhando para o mercado, tenso com a curiosidade. Kit voltou-se para o phouka.
“Porteiro“, disse ele. “Solicitamos entrada no mercado das sombras.”
O olhar de Ty chamou a atenção. O phouka era alto, escuro e magro, com fios de bronze e ouro entrelaçados pelos longos cabelos. Ele usava calças roxas e sem sapatos. O poste que ele se apoiou estava entre duas barracas, bloqueando perfeitamente o caminho para o Mercado.
“Kit Rook“, disse o Phouka. “Que elogio é ser reconhecido por alguém que nos deixou para habitar entre os anjos.”
“Ele conhece você,” murmurou Ty.
“Todo mundo no Mercado das Sombras me conhece.” disse Kit, esperando que Ty estivesse impressionado.
O phouka apagou o cigarro. Ele soltou um cheiro fraco e doce de ervas carbonizadas. “Senha.” disse ele.
“Eu não vou dizer isso.” disse Kit. “Você acha que é engraçado tentar fazer as pessoas dizerem isso.”
“Dizer o que? Qual é a senha?“, Ty quis saber.
O phouka sorriu. “Espere aqui, Kit Rook,” disse ele, e se misturou de volta às sombras do mercado.
“Ele vai conseguir o Hale.” disse Kit, tentando ocultar os sinais de nervosismo.
“Eles podem nos ver?” Disse Ty. Ele estava olhando para o Mercado das Sombras, onde grupos de seres do submundo, bruxas e outros membros variados do submundo mágico se moviam entre o tumulto. “Lá fora?”
Era como ficar de fora de uma sala iluminada no escuro, pensou Kit. E, embora Ty possa não pudesse expressar dessa maneira, Kit suspeitou que ele sentiu o mesmo.
“Se puderem, eles nunca mostrariam isso.” disse ele.

Nada mais foi divulgado e agora só resta esperar. Caso não tenha lido os livros da série Os Intrumentos Mortais ainda, estão todos disponíveis nas livrarias do país, inclusive, há uma série baseada nos livros de Cassandra Clare, que está sendo transmitida na Netflix Brasil denominada de Shadowhunter, confira!

Go to Top