Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Reciclagem

Professor cria jogos educativos com material reciclável em Guaratinguetá

1

Jogos aumentam o rendimento dos alunos sala de aula, diz educador.
Ele criou um grupo na internet para compartilhar ideia com outros educadores.

10498050_602179793235532_7423290325032236116_o
Publicado no G1

Um professor de matemática de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, utiliza a criatividade para ensinar matemática aos seus alunos. Com materiais recicláveis, ele confecciona jogos para atrair a atenção das crianças e transformar as aulas teóricas em práticas.

O educador George Washington Leite, de 42 anos, atua na profissão há 10 anos e dá aula de matemática para alunos do 6° ao 9° ano em uma escola particular da cidade. Seu projeto recebeu o nome de ‘Sucesso da Matemática’ e também já conquistou outros alunos da escola. Segundo ele, outros professores de matemática o convidam para aplicar os jogos para turmas do 1º ao 5º ano.

“Meu projeto deu tão certo que os professores me convidam e passam o conteúdo que está trabalhando em sala, e então eu penso em um jogo que aborde aquele conteúdo de uma maneira mais simples”, disse. Em dois anos de projeto, ele já notou diferença no rendimento e nas notas dos alunos.

“Estamos melhorando o rendimento dos nossos alunos, tentando resgatar a aprendizagem e o interesse pela matemática. Muitos tinham medo de se envolver com a matemática, mas estou mostrando que pode ser fácil e divertido. O jogo é uma estratégia para um melhor aprendizado”, afirmou. Entre os jogos, há atividades de tabuada, adição, subtração e frações. O grau de dificuldade varia de acordo com a série do aluno.

Mãe de uma aluna do 4° ano, Patrícia Fernandes, conta que a filha agora se interessa mais pela matemática. “Minha filha estuda com mais prazer, ela aprende se divertindo. Ela adora os jogos e algumas ideias ela traz para a casa e montamos um jogo para jogar em casa. O trabalho e o cuidado do professor é maravilhoso”, afirmou.

cortada_1

Sustentabilidade
Além do cuidado em criar os jogos de acordo com o que é desenvolvido em sala, George avalia que mais que contribuir na educação dos seus alunos, também ajuda o meio ambiente.

“Estamos na era da sustentabilidade, os materiais ficavam jogados em casa. Então resolvi aproveitar e utilizar nos jogos. Os alunos também ficam curiosos em ver o que pode ser reaproveitado”, disse.

Para montar os jogos, ele utiliza tampinhas de refrigerante, garrafas de leite, jornais e caixas de ovos.

Multiplicando a ideia
O professor também utiliza as redes sociais para levar a ideia a professores de outras cidades. Neste ano, ele criou um grupo para trocar experiências com outras pessoas. “Esse é o maior presente pra mim, ver professores do outro lado do Brasil trabalhando com algo que nasceu em casa. É uma ideia simples mas que pode fazer a diferença”, disse.

George conta que alguns de seus jogos foram adaptados para crianças com deficiência. “Uma professora de Blumenau adaptou alguns jogos para alunos com deficiência visual. Sempre digo que de uma boa ideia, nascem outras boas ideias”, afirmou.

Em menos de nove meses, o grupo já atingiu mais de mil membros, com professores do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Campinas, Mato Grosso do Sul e até de Portugal. “Eu poderia criar os jogos e utilizar apenas com os meus alunos, mas decidi compartilhar com outros professores e trocar ideia em nome da educação”, disse.

Brasileiro acha mais de US$ 20 mil escondido em livro e busca dono

0

Publicado no Jornal Dia a Dia

O brasileiro Carlos, de Ipatinga, Minas Gerais, afirma ter encontrado entre US$ 20 mil (R$ 41 mil) e US$ 30 mil (R$ 62 mil) em dinheiro enquanto visitava uma loja de reciclagem nos EUA e que aguarda contato do dono da quantia.

Em conversa por telefone com o G1 nesta segunda-feira (19), Carlos, que prefere que seu sobrenome não seja divulgado, disse que trabalha limpando residências em Marlborough, no estado de Massachusetts, e relata que tem “uma vida tranquila”. “US$ 20 mil iam me ajudar? Claro que sim. Não sou milionário, muito menos rico”, conta.

Carlos visitava o estabelecimento da cidade próxima de Wellesely no dia 12 de outubro para abastecer sua coleção de revistas sobre natureza – na loja, é possível trocar ou pegar itens antigos que iriam para a reciclagem.

“Quando encontrei o livro, saí correndo para o carro”, disse. “Minha mulher quase teve um troço”, conta.

Ele relata que gostaria de devolver o dinheiro e ponderou o que fazer. Ele entrou em contato com a polícia e com um advogado, que disseram que, como o valor estava em dinheiro, o brasileiro teria direito a ele 30 dias após a ocorrência ser registrada.

O mineiro também entrou em contato com a imprensa local, que fez matérias e divulgou o e-mail dele.

Ele conta que os filhos só souberam do dinheiro por meio da repercussão da mídia. “Fiz isto para não deixar eles com esperança” (de ficar com o dinheiro), conta.

Go to Top