Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Reino Unido

Autora de “P.S. Eu Te Amo” anuncia continuação do livro

0

“Postscript” será lançando no dia 19 de setembro no Reino Unido e na Irlanda. Ainda não previsão de lançamento aqui no Brasil.

Rayane Moura, no Poltrona Vip

A escritora Cecelia Ahern, autora do livro “P.S. Eu Te Amo”, anunciou nesta segunda-feira (11) que lançará a continuação do romance. Com o título “Postscript” (“pós-escrito”, em português), o livro estará disponível a partir do dia 19 de setembro no Reino Unido e na Irlanda.

Ainda não há previsão de lançamento do livro aqui no Brasil. Também não há confirmação se a sequência também ganhará uma versão para os cinemas. Por meio de suas redes sociais, a autora contou que a continuação já está pronta e ainda afirmou que escrever a sequência foi uma experiência emocionante:

“Eu fiz. Eu escrevi a continuação de ‘PS Eu te Amo’ e é intitulada ‘Postscript’. É o P.S ao meu P.S de 15 anos atrás e escrevê-lo tem sido uma experiência emocionante. Eu não sei como consegui manter isso em segredo por tanto tempo, mas estava explodindo para compartilhá-lo. ‘Postscript’ será publicado no dia 19 de setembro no Reino Unido e Irlanda. Eu espero que vocês recebam de volta Holly… e Gerry… e chorem durante a história como eu chorei”, finalizou Cecelia, que compartilhou um vídeo com a capa provisória na publicação.

Game of Thrones ganha coleção de selos no Reino Unido

0

Um motivo a mais para voltar a enviar cartas ou simplesmente aumentar a coleção de itens da série!

Vitoria Pratini, no Adoro Cinema

Precisando enviar um corvo com uma mensagem para os habitantes de Westeros? Só se for com os selos temáticos de Game of Thrones.

A badalada série da HBO ganhou uma coleção de selos no Reino Unido, celebrando dez dos principais personagens, além de algumas criaturas do universo de George R.R. Martin.

Daenerys Targaryen (Emilia Clarke), Jon Snow (Kit Harington), Tyrion Lannister (Peter Dinklage), Jaime Lannister (Nikolaj Coster Waldau), Arya Stark (Maisie Williams), Cersei Lannister (Lena Headey), Sansa Stark (Sophie Turner), Ned Stark (Sean Bean), Olenna Tyrell (Diana Rigg) e Tywin Lannister (Charles Dance) completam a linha de selos ao lado do Rei da Noite (Richard Brake/Vladimir Furdik), Caminhantes Brancos, gigantes, dragões, lobos gigantes e o Trono de Ferro. Vale notar que os personagens não estão com os figurinos da sétima temporada, mas são apresentados em cenários de momentos marcantes da série.

A coleção, lançada no dia 23 de janeiro, já está em pré-venda e virá em diferentes formatos colecionáveis: folhas de personagens selecionados, cartão postal, livro de selos, coleção completa, selos emoldurados e até acompanhados de medalhas temáticas das casas de GoT. Os valores variam de 3,45 libras (R$ 15,22) a 55,65 libras (R$ 245,61). Quem está fora do Reino Unido também pode adquirir os selos no site da Royal Mail. Vai que você se descobre um filatelista!

Game of Thrones retorna com novos episódios em 2019.

Casa do Harry Potter, em Londres, está à venda por quase R$ 2 milhões

0

casa-harry-potter

Diferentemente das outras locações dos filmes e dos livros, a residência existe de fato. O imóvel fica em Martins Heron, em Bracknell, cidade do Reino Unido

Leticia Carvalho no Metropoles

Estudar em Hogwarts, atravessar o Beco Diagonal e beber uma cerveja amanteigada. Todo fã de Harry Potter já sonhou em fazer alguma dessas atividades. E morar na casa dos tios do bruxo? Diferentemente das outras locações, a residência existe de fato e está à venda. O imóvel – que no livro fica na Rua dos Alfeneiros, nº 4, em Little Whinging –, na verdade, está situado em Martins Heron, em Bracknell, cidade do Reino Unido.

casa-harry-potter-2

Para ter a experiência de morar na casa onde Harry recebeu a carta de aceitação em Hogwarts, no entanto, é preciso desembolsar £475 mil libras (algo em torno de R$ 2.031.218, na cotação atual). Se a poupança não está tão grande assim, dá para matar a saudade do bruxo nos filmes ou visitar a versão cenográfica da locação, na Warner Bros Studio Tour, em Londres.

No passeio, os visitantes têm a oportunidade de conhecer não só a Rua dos Alfeneiros, mas também todas as outras locações que habitaram o imaginário dos fãs de Harry Potter ao longo dos últimos anos.

Biblioteca transforma sótão no Beco Diagonal, do universo de Harry Potter

0

1877390.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx

Vitória Prattini, no Adoro Cinema

O Centro Nacional de Livros Infantis Seven Stories, no Reino Unido – uma espécie de museu e biblioteca para livros infanto-juvenis britânicos – reabriu no final do mês de julho e traz uma novidade que vai levar os fãs de Harry Potter à loucura: uma das áreas para leitura de livros, localizada no sótão, foi transformada no Beco Diagonal!

É isso mesmo! Agora, além de visitar o parque The Wizarding World of Harry Potter, da Universal Studios em Orlando, que possui seu próprio Beco Diagonal, os fãs do bruxinho criado por J.K. Rowling poderão conhecer o local dentro de uma biblioteca!

As paredes do sótão da Seven Stories foram decoradas com a incrível arte que Jim Kay fez para o livro ilustrado de capa dura “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, que será publicado pela editora Bloomsbury em outubro. A atração já é um sucesso, sediando eventos de leitura e apresentações musicais e teatrais infantis, que, é claro, contaram com a presença de inúmeros fãs de Harry.

Ficou incrível! Confira na galeria acima e conte para a gente o que achou. A imagem completa do artista pode ser vista aqui.

E não se esqueça que Animais Fantasticos e Onde Habitam, filme baseado no livro usado por Harry em Hogwarts, chega aos cinemas em 2016.

E aí, #partiuReinoUnido?

 

1667390.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx

1670510.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx

1672080.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx

1673640.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx

(mais…)

‘Estudantes devem consultar o Google em provas’, diz diretor de conselho de exames do Reino Unido

0
Estudantes prestando um exame A Level em um colégio britânico - CHRIS RATCLIFFE / BLOOMBERG NEWS

Estudantes prestando um exame A Level em um colégio britânico – CHRIS RATCLIFFE / BLOOMBERG NEWS

Mark Dawe, diretor executivo da Oxford Cambridge and RSA, afirma que método de avaliação está ficando descolado da realidade

Publicado em O Globo

RIO — Uma declaração dada pelo diretor executivo da Oxford Cambridge and RSA (OCR), Mark Dawe, está causando polêmica entre os britânicos. Em entrevista ao jornal “Telegraph”, o especialista em educação defendeu que os estudantes deveriam poder consultar o Google durante exames de certificação do ensino secundário. A OCR, ligada à tradicional Universidade de Cambridge, é uma das cinco principais bancas de avaliação de ensino do Reino Unido.

— Todo mundo tem um computador à disposição para resolver um problema, mas cabe a eles saberem como interpretar o resultado. Nós temos ferramentas, como o Google, por que excluí-lo da educação dos estudantes — disse Dawe, em matéria publicada na quinta-feira. — É claro que quando se está em sala de aula, todos usam o Google se existir uma questão. É mais sobre compreender os resultados do que você busca do que armazenar todo o conhecimento na sua cabeça, porque não é mais como o mundo moderno trabalha.

Ele comparou a ideia de introduzir o Google nos exames com o velho debate sobre deixar ou não que os alunos consultem livros durante as provas. Segundo Dawe, “na realidade, você não tem muito tempo para consultar o livro e você tinha que aprender de qualquer maneira”. Em artigo publicado em blog da própria OCR nesta sexta-feira, o especialista voltou a defender sua posição:

“É 2015. Por mais quanto tempo exames com papel e caneta serão o único meio que usamos para testar nossos jovens? Eu não quero alarmar os estudantes que vão fazer o GCSE (General Certificate of Secondary Education) ou o A Level no dia 11 de mais — eles não serão pedidos para usar o Google —, mas os exames precisam mudar para complementar como a educação trabalha no século 21 e as habilidades que esperamos que nossos jovens desenvolvam”.

Para o especialista, os estudantes dessa geração cresceram usando a tecnologia em sala de aula para o aprendizado, mas isso não é replicado nos exames. “O ensino e a avaliação do ensino estão ficando desarticulados”.

“Para que servem os exames? Não são para regurgitar fatos. Nós estamos interessados em avaliar a habilidade desses jovens em interpretar e analisar as informações”, disse Dawe. “Pesquisar na internet é uma habilidade chave que os jovens devem desenvolver. Nós fazemos isso o tempo todo no trabalho. Técnicas de julgamento, solução de problemas e tomadas de decisão são qualidades importantes que os jovens precisam desenvolver para florescerem e serem bem sucedidos”.

“Então, o uso de motores de busca na internet como o Google em exames, para mim, é óbvio. Eu não estou falando sobre pedir aos estudantes respostas para uma simples questão factual. (…) Estou falando sobre pedir aos estudantes em um exame de Geografia, por exemplo, para escreverem um relatório sobre a economia de um país em desenvolvimento usando a internet para selecionar materiais apropriados”, explicou Dawe.

A posição foi bastante criticada por outros especialistas. Chris McGovern, presidente da organização não-governamental Campaign for Real Education, disse em entrevista à rádio BBC 4 que tal ideia seria um “emburrecimento das normas”.

— É um absurdo. Nós temos uma crise nos padrões deste país. Nós estamos três anos atrás dos chineses aos 15 anos, nós temos universidades dando cursos de recuperação. Nós temos empregadores dizendo que muitos jovens não têm condições de serem empregados. E aqui temos o conselho da OCR dizendo: “vamos emburrecer as coisas ainda mais”. Você pode ter um exame sobre como usar o Google, mas isso não é o mesmo que ter exames de história e geografia. Exames devem ser sobre conhecimento e compreensão. Eles incluem o conhecimento, portanto, temos que testar o que as crianças estão carregando em suas cabeças — disse McGovern.

Go to Top