Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Revista Rolling Stone

‘Rolling Stone’ pede desculpa por artigo sobre estupro em universidade

0

Reportagem publicada em novembro trazia acusações não comprovadas.
Universidade de Virgínia diz que vai processar a revista.

rolling-stone

Publicado no G1

A revista americana Rolling Stone pediu desculpas nesta segunda-feira (6) e retirou de seu site um artigo publicado em novembro sobre acusações não comprovadas de um suposto estupro coletivo ocorrido em um campus universitário.

Em seu lugar, a revista publicou um documento produzido pela prestigiada Faculdade de Jornalismo da Universidade de Columbia, que aponta os erros evitáveis dos jornalistas que escreveram o artigo.

“É a história de um erro jornalístico evitável, um erro que inclui a reportagem, a releitura, a supervisão editorial e a verificação dos fatos”, afirma o documento de 8.000 palavras que foi encomendado pela revista, famosa por suas investigações detalhadas.

“Foi muito doloroso ler este informe, para mim, pessoalmente, e para todos na Rolling Stone”, admite o editor-chefe da revista, Will Dana, em uma nota que introduz o texto.

Publicado em novembro de 2014, o artigo relatava o estupro coletivo de uma jovem identificada como “Jackie”, que afirmava ter sido violentada no campus da Universidade da Virginia (leste) em 2012, na festa de uma irmandade.

A nota desencadeou protestos estudantis e a suspensão das irmandades nesta universidade. Também provocou um debate nacional sobre a violência sexual nos campi nos Estados Unidos.

A polícia abriu uma investigação na época, mas a veracidade dos fatos foi colocada em xeque por vários meios de comunicação, entre eles o jornal Washington Post, que expuseram as falhas jornalísticas cometidas no artigo, como a verificação das fontes.

Em março, após cinco meses de investigação, a polícia considerou que não havia elementos suficientes que pudessem confirmar a versão da suposta vítima.

frat

O chefe de polícia de Charlottesville, Virginia, Timothy Longo, afirmou “não estar em condições de concluir em um grau substancial que tenha ocorrido um incidente na casa da fraternidade Phi Kappa Psi ou em qualquer outra fraternidade”.

“Isso não significa que algo terrível não tenha ocorrido com Jackie, simplesmente não pudemos reunir dados suficientes para determinar o que ocorreu”, explicou Longo.

A irmandade em questão havia desmentido a versão de “Jackie”, negando ter organizado uma festa na noite na qual a mulher dizia ter sido agredida, um elemento confirmado pela polícia.

Atualmente, o caso está suspenso, mas não encerrado, o que deixa a porta aberta a mais investigações caso novas evidências venham à tona.

Em dezembro, a revista já havia se retratado de sua história, afirmando que havia cometido um erro ao acreditar na versão da suposta vítima sem buscar outras fontes.

Universidade ameaça processo

A divisão da fraternidade da Universidade da Virgínia envolvida no artigo “Um Estupro no Campus” da revista Rolling Stone afirmou nesta segunda-feira que planeja processar a publicação pelo que chamou de reportagem “leviana” que feriu sua reputação, mesmo após a retratação da publicação.

A divisão da Phi Kappa Psi disse em comunicado que irá buscar todas as medidas legais disponíveis, um dia após uma equipe da Escola de Jornalismo da Universidade de Columbia ter concluído que a revista não seguiu procedimentos jornalísticos básicos ao publicar a matéria.

“Está claro que nossa fraternidade e seus membros foram difamados, mas o mais importante é que tememos que o episódio todo possa levar algumas vítimas a se manter nas sombras, com medo de confrontar seus agressores”, disse Stephen Scipione, presidente da divisão da fraternidade de Charlottesville, na Virgínia, no comunicado.

Saiba quais são os clássicos da literatura que inspiraram grandes músicos

0

Debora Blezer, na revista Cifras

Livros são verdadeiras fontes de inspiração para as pessoas. Clássicos da literatura, filosofia, religião, entre inúmeros outros temas, possuem um valor inestimável para seus leitores. Como todas as artes estão ligadas, o mundo da música também é bastante influenciado pela leitura. Muitas das melhores canções da história foram inspiradas nos livros favoritos de seus compositores.

A Revista Rolling Stone fez uma seleção com os dez livros que abriram a mente de alguns artistas.

Confira e aproveite as sugestões de leitura.

Neil Young – As Brumas de Avalon

Em sua autobiografia lançada em 2012, Neil Young revela alguns de seus favoritos na música e no cinema. O cantor também fala de literatura e aponta seu livro preferido: As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley. “Há muito neste livro que tem a ver comigo pessoalmente”, conta.

Jay-Z – The Seat of the Soul

O rapper aponta The Seat of the Soul, do norte-americano Gary Zukav, como seu livro predileto. Na obra, o autor argumenta que a alma desenvolve de acordo com o desenvolvimento dos poderes latentes de uma pessoa. Jay-Z diz ter se inspirado muito com o livro. O livro ainda não ganhou edição brasileira.

Nick Cave – O Evangelho Segundo Marcos

A influência da religião é notável na carreira de Nick Cave, e não surpreende que um de seus textos preferidos seja O Evangelho Segundo Marcos, segundo livro do Novo Testamento. Cave tem uma interpretação bastante interessante sobre o livro, dizendo que este é o único evangelho em que Cristo é mostrado comprometido com sua luta épica, em vez de só observar calado o que acontecia. Existem vários livros que analisam detalhadamente este evangelho, como este escrito por Steiner.

Mandy Moore – Um Amor Para Recordar

A cantora leu Um Amor Para Recordar, escrito pelo romancista Nicholas Sparks, ao ser escolhida para interpretar a protagonista Jamie no cinema (no filme Um Amor Para Recordar). A obra tornou-se o livro de cabeceira da cantora.

Mick Jagger – O Mestre e a Margarida

O Mestre e Margarida é um dos preferidos do vocalista dos Rolling Stones. O romance de Mikhail Bulgakov explora a visita do diabo a cidade ateia de Moscou. O livro foi um presente de Marianne Faithfull, quel Mick namorou entre 1966 e 1970, e até serviu de inspiração para a música “Sympathy for the Devil”.

Robert Smith – O Estrangeiro

O hit polêmico do The Cure, “Killing an Arab”, sempre foi associado com racismo e preconceitos contra árabes, mas a verdade é que Robert Smith quis reunir os melhores momentos de angústia espiritual capturados pela obra O Estrangeiro, de Albert Camus, um de seus livros prediletos. A canção não integra mais o repertório do The Cure e nem foi inclusa nas reedições especias do álbum.

Beyoncé – Waiting to Exhale

Seu livro de cabeceira é Waiting to Exhale, de Terry McMillan, cuja adaptação para o cinema ganhou o título de Falando de Amor. É um livro sobre amigas que perdem a esperança em encontrar o homem de seus sonhos.

Morrissey – Junto a Grand Central Sentei-me e Chorei

Ele trabalhou em biblioteca e é completamente devoto do escritor Oscar Wilde, mas seu livro preferido é By Grand Central I Sat Down and Wept, ou em português, Junto a Grand Central Sentei-me e Chorei, de Elizabeth Smart. Trata-se de um romance no formato de poesia em prosa sobre o affair da autora com o poeta George Baker, com quem foi casada. A obra, publicada em 1945, foi considerada um clássico do gênero.

Jack White – Harpo Speaks

Para o músico, o livro que fica no topo de sua lista é Harpo Speaks, autobiografia de Harpo Marx (dos irmãos Marx) escrita em parceria com Rowland Barber. Nas palavras de Jack White: “É o melhor livro que já li, apesar de que não ser para qualquer um”. Detalhe: Harpo era o personagem que nunca falava nos filmes dos irmãos.

Cazuza – O Lobo da Estepe

Em uma entrevista para uma revista adolescente nos anos 80, o cantor brasileiro declarou que O Lobo da Estepe, de Herman Hesse, era seu livro favorito. Mais: tinha mudado sua vida. O livro conta a história de Harry Haller, um alcoólatra de cinquenta anos, intelectualizado, angustiado e que não vê saída para sua tormentosa condição. É um dos clássicos do escritor.

Go to Top