Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged saúde mental

Após sete suicídios, livro ’13 Reasons Why’ é banido de cidade nos EUA

1

13reasonswhy_5-750x380

Renato Marafon, no CinePop

A polêmica em torno de ‘13 Reasons Why‘ continua. Após várias escolas dos EUA anunciarem um boicote à série, o livro que deu origem à história foi banido de uma cidade no Colorado, EUA.

Após sete jovens se suicidarem em Mesa County Valley, as autoridades da cidade decidiram proibir a venda do livro ‘13 Reasons Why‘ em todas as livrarias da região.

Apesar de não saberem se os suicídios foram incentivados pela publicação, lançada em 2007, as autoridades decidiram que o livro não poderá mais ser comercializado temporariamente. Segundo eles, a trama romantiza o suicídio.

Recentemente, a série que adapta a história recebeu classificação indicativa para maiores de 18 anos na Nova Zelândia.

O Órgão de Classificação de Filmes da Nova Zelândia deu a alta classificação indicativa por registrar o maior número de adolescentes suicidas do mundo, com cerca de dois jovens cometendo suicídio por semana.

Nossos órgãos de saúde mental estão extremamente preocupados com o efeito que 13 Reasons Why pode ter na Nova Zelândia. A morte de Hannah é representada como algo lógico ao longo da série, e traz como consequência inevitável os eventos que a sucederam. Não podemos aceitar que o suicídio seja mostrado como uma opção viável. Além disso, temos uma péssima mensagem na série para os sobreviventes de violência sexual”, afirmou o Órgão de Classificação de Filmes do país.

Durante a semana, a Netfix renovou a série para sua 2ª Temporada!

Baseada no best-seller de Jay Asher, a série acompanha Clay Jensen (Dylan Minnette) que, ao voltar da escola, encontra uma caixa misteriosa com seu nome na porta de casa. Dentro dela, ele encontra fitas-cassetes gravadas por Hanna Baker – sua colega de classe e paixão secreta – que cometera suicídio duas semanas antes. Nas fitas, Hanna explica as treze razões que a levaram à decisão de acabar com a própria vida. Será que Clay foi uma delas?

A série tem produção executiva de Selena Gomez e episódios dirigidos pelo vencedor do Oscar® Tom McCarthy (Spotlight – Segredos Revelados).

Os 13 episódios deste drama jovem adulto já estão disponíveis na Netflix.

7 provas de que ler faz bem para sua saúde

0
(Foto: Reprodução/Tumblr)

(Foto: Reprodução/Tumblr)

 

Humberto Abdo, na Galileu

Além de ser uma forma de entretenimento, a leitura é uma ótima maneira de aumentar seu vocabulário e vários estudos recentes indicaram benefícios cognitivos entre aqueles que mantém o hábito de ler regularmente. Se quiser viver mais, melhorar a memória ou reduzir o estresse em 2017, considere acrescentar alguns livros para sua meta no próximo ano e confira como a leitura pode fazer bem para sua saúde:

1 – Sua empatia aumenta
Todos os tipos de narrativas, incluindo ficção, podem impulsionar nossa compreensão e empatia pelas pessoas: um estudo publicado no periódico Trends in Cognitive Sciences mostrou que a leitura nos ajuda a entender melhor o sentimento dos outros e também melhora a capacidade de mudarmos nós mesmos. Segundo a publicação, esse efeito é alcançado pelo envolvimento emocional durante uma leitura ao descobrir circunstâncias e personagens complexos.

2 – Você fortalece a criatividade
A leitura está diretamente relacionada à criatividade: um estudo do periódico Creativity Research Journal sugeriu que, após ler uma obra de ficção, as pessoas se sentem mais encorajadas a aceitar pensamentos ambíguos e passam a entender com mais clareza várias perspectivas sobre um mesmo assunto. Em outras palavras, fica mais fácil enxergar novas possibilidades em sua rotina.

3 – Os riscos de desenvolver Alzheimer ou demência após a vida adulta diminuem
Várias pesquisas indicaram que o estímulo mental da leitura ajuda a “atrasar” sintomas de doenças como demência e Alzheimer. Um estudo do jornal Neurology, de 2013, descobriu que pessoas que sustentam o hábito de ler após a vida adulta também preservam por mais tempo suas habilidades mentais.

4 – Sua expectativa de vida aumenta
Um estudo publicado no periódico Social Science and Medicine revelou que quem lê livros regularmente consegue viver por muito mais tempo. Em testes com mais de três mil voluntários, aqueles que dedicaram cerca de três horas por semana à leitura viveram pelo menos dois anos a mais do que os participantes que não costumavam ler com frequência.

5 – A leitura também reduz alguns preconceitos
Aprender sobre o universo de outras pessoas pode ajudá-lo a ter menos preconceitos. Um estudo baseado na saga de livros de Harry Potter sugeriu que eles podem reduzir significativamente o preconceito contra homossexuais, refugiados e imigrantes.

6 – …e os níveis de estresse
Uma pesquisa feita em 2009 pela Universidade de Sussex revelou que ler por apenas seis minutos já ajuda a reduzir em até 68% os níveis de estresse. Esse tempo foi suficiente para que os voluntários diminuíssem a frequência cardíaca e aliviassem a tensão dos músculos. “Perder-se em um livro é o maior estágio de relaxamento possível”, opinou o neuropsicólogo David Lewis, que conduziu o teste. “Não importa qual é o livro, apenas o processo de escapar das preocupações do mundo cotidiano já é uma forma de relaxar.”

7 – Existe até um tipo de terapia feita com livros
A biblioterapia é um conceito antigo que envolve o uso de leituras terapêuticas para reduzir o estresse, sintomas de distúrbios como depressão ou alguma perturbação emocional. Seu uso clínico pode incluir a leitura de ficção e não-ficção e leva em consideração a relação do paciente com o conteúdo de cada livro.

Livros de fantasia podem “danificar o cérebro de crianças”

2
 Harry Potter Foto: Divulgação

Harry Potter
Foto: Divulgação

 

Diretor de escola disse que livros como ‘Harry Potter’, ‘Game of Thrones’ e ‘Jogos Vorazes’ são prejudiciais à saúde mental das crianças

Publicado no Terra

Diretor de escola inglesa quer banir livros como Harry Potter , Game of Thrones e Jogos Vorazes . Ele acredita que pode “danificar o cérebro de crianças”, afirmou um professor de uma escola particular do Reino Unido. As informações são do site The Independent .

Recentemente, o diretor Graeme Whiting publicou um extenso post intitulado A Imaginação da Criança no site da escola Acorn, em que argumenta que os pais devem proibir que seus filhos leiam “textos místicos e assustadores” que ele acredita conter “material profundamente insensível e viciante”.

Whiting, que se considera uma representante dos “valores da literatura tradicional”, escreveu que a compra desses livros é como “alimentar as crianças com um monte de açúcar”. O professor ainda pediu que os responsáveis “protejam” os pequenos da “literatura demoníaca, feita com magias e histórias assustadoras de fantasmas” e expressou sua indignação com uma falta de “licença especial” para produzir estes contos.

“Quero que as crianças comecem a ter literaturas propícias para suas idades e deixem os textos místicos e assustadores para quando puderem discernir a realidade. Harry Potter , Senhor dos Anéis , Game of Thrones e Jogos Vorazes são alguns dos livros do mundo moderno que contém material profundamente insensível e viciante e que estou certo de que incentivam o comportamento difícil das crianças. Mas, mesmo assim, eles podem ser comprados sem uma licença especial, e isso pode danificar o cérebro e o subconsciente das crianças e jovens, muitos dos quais podem ser adicionados às estatísticas atuais de crianças com doenças mentais”, escreveu.

“Para muitos jovens adultos, essa literatura pode ser entendida pelo que é, e essa é uma escolha deles”, disse. O professor também listou como Wordsworth, Keats, Shelley, Dickens e Shakespeare, como seus autores favoritos. “As crianças são inocentes e puras e não precisam ser maltratadas com essa imaginação que se encontra dentro dessas coisas inapropriadas”, concluiu.

Go to Top