Escola E3

Posts tagged série de TV

 

Série baseada nos livros de Elena Ferrante é comprada pela HBO

0
Capa de 'A amiga genial', de Elena Ferrante - Reprodução

Capa de ‘A amiga genial’, de Elena Ferrante – Reprodução

 

Produção italiana será dirigida por Saverio Costanzo

Publicado em O Globo

RIO – A adaptação da tetralogia napolitana de Elena Ferrante para a TV já tem um lar. A HBO anunciou nesta quinta-feira que adquiriu os direitos de exibição da série, capitaneada pelas produtoras italianas Wildside (também responsável por “The young pope”) e Fandango. O primeiro livro, “A amiga genial”, será transformado em uma minissérie de oito episódios dirigidos por Saverio Costanzo.

As filmagens começam no meio do ano na Itália — a série será toda falada em italiano, aliás. As atrizes que interpretarão as amigas Lenu e Lila ainda não foram escaladas. No momento, Costanzo trabalha no roteiro ao lado da própria Elena Ferrante, além dos roteiristas italianos Francesco Piccolo (“Habemus papam”) e Laura Paolucci (“Gomorrah”).

“A série vai explorar a complicada intensidade da amizade entre mulheres”, disse Casey Bloys, presidente de programação do canal americano, que divulgou a sinopse da primeira temporada:

“Quando sua amiga mais importante desaparece sem deixar rastros, Elena Greco, agora uma mulher idosa, imersa em uma casa cheia de livros, liga o computador e começa a escrever a história da amizade das duas. Ela conheceu Raffaella Cerullo, a quem ela sempre chamou de Lila, no primeiro dia de aula em 1950. Passada na perigosa e fascinante Nápoles, a história das duas cobre mais de 60 anos da vida delas, tentando descrever o mistério de Lila, a amiga genial de Elena e, de certa forma, sua pior inimiga”.

Ao todo, a série deve ter 32 episódios de 50 minutos cada, que cobrirão os quatro livros. Recentemente, um jornalista italiano causou polêmica ao investigar transações bancárias na tentativa de descortinar o verdadeiro nome por trás do fenômeno, chegando até a tradutora Anita Raja. A informação nunca foi confirmada.

“As personagens são tão bem contadas, com tantos detalhes, que todos nos identificamos com elas e com o desejo de elas se emanciparem. Elena Ferrante deu um jeito de contar em primeira pessoa coisas que são muito íntimas, arriscadas, coisas que todos nós sentimos, mas que precisam de muita coragem para se admitir”, disse Costanzo.

Segundo o diretor, a série será feita “como um grande filme”. “Para mim a diferença entre a TV e o cinema é muito sutil. As grandes séries atuais são cinematográficas”.

O quarto e último volume da saga de Elena, “A história da menina perdida”, será lançado no Brasil ainda no primeiro semestre deste ano pela editora Biblioteca Azul.

 

5 Curiosidades sobre a produção de “Os 13 Porquês”

0

selena-13-reasons-why

Beatriz Souza, no Cabana do Leitor

A série “Os 13 Porquês” baseado nos livros best-sellers escritos por Jay Asher, “13 Reasons Why“ acompanha o adolescente Clay Jensen (Dylan Minnette) quando volta à sua casa após a escola e encontra uma caixa misteriosa com seu nome. Dentro da caixa descobre fitas cassete gravadas por Hannah Baker – sua colega de escola e amor platônico – que se suicidou duas semanas antes. Nos áudios, Hannah explica que há treze razões pelas quais decidiu terminar com a sua vida.

A produção estreia na Netflix dia 31 de março e, enquanto isso, confiram as curiosidades sobre os bastidores desse novo show.

1 – Antes de se tornar uma série, “Os 13 Porquês” seria um filme

Em 08 de fevereiro de 2011 a Universal Studios anunciou que o romance de Jay Asher seria desenvolvido em um filme, com Selena Gomez como protagonista. O projeto não foi pra frente, mas em 2015 foi anunciado que a adaptação se tornaria uma série oficial da Netflix.

Apesar de Selena não interpretar Hannah, a cantora quis fazer parte da produção por sua história notável e disse que Katherine Langford foi a melhor escolha para o papel. Esse é o primeiro trabalho televisivo da atriz.

2 – A série foi filmada no Norte da Califórnia no verão de 2016

As gravações da série duraram 6 meses e, durante esse tempo, a protagonista precisou viajar das locações para Los Angeles diversas vezes para gravar a voz de Hannah nas fitas. Além das viagens, a gravação também não era simples. Katherine é australiana e precisava garantir que seu sotaque não apareceria, pois a personagens é estadunidense.

3 – Selena Gomez não esteve presente na maior parte das gravações

Apesar de ser produtora executiva do show, Selena estava em turnê do seu álbum “Revival” e precisou se afastar do público em uma clinica de reabilitação para tratar do Lúpus. Gomez ficou 90 dias internada, mas disse que a experiência foi importante, pois viu de perto pessoas reais que passaram por problemas semelhantes aos da Hannah na série.

Mesmo assim, o elenco falou em entrevista que Selena sempre manteve contado e ajudou muito durante todo o processo.

4 – A divulgação criativa

Fizeram 100 cópias de uma edição especial do livro “Os 13 Porquês” com a capa da série e esconderam no metrô de Nova Iorque. O projeto é que quem achasse o livro, deveria ler e passar pra outra pessoa.

O ator Dylan Minnette (Clay) comentou em uma entrevista que acabou amassando a capa de um dos exemplares, então quem achou provavelmente sabe que foi o dele.

5 – Por que fitas e não algo mais atual?

Esse tópico não é exatamente uma curiosidade, pois o autor explica nas “13 Perguntas para Jay Asher” ao final do livro. Mas para quem não leu, a dúvida ainda permanece.

“Essa é uma das razões pelas quis as usei. Com a tecnologia mudando tão rapidamente, é impossível um romance ambientado nos dias de hoje permanecer atual se os personagens utilizam o equipamento mais moderno. Assim, em vez de fazer Hannah postar seus motivos online, usei uma forma de gravação muito mais antiga, fazendo os personagens reconhecerem isso. Quando é algo antiquado, e os personagens lidam com esse fato numa boa, o livro repentinamente se atualiza. […] Eu também gostava de imaginar Clay perambulando pela cidade com sua mochila carregada de fitas cassete, colocando-as e tirando-as do walkman. Isso deu á história dele detalhes interessantes para desenvolver na própria narrativa, como a necessidade de descobrir uma maneira de escutar as fitas”

Essa é a explicação que o autor deu.

E, também, Hannah queria que o conteúdo das fitas fosse escutado apenas pelos nomes na lista. Uma gravação em mp3 poderia facilmente ser compartilhada e ridicularizada online.

Informações retiradas de entrevistas e das redes sociais oficiais do elenco e da série.

Confira abaixo um vídeo por trás das câmeras e o trailer da série que chega na Netflix dia 31 de março.

 

Benedict Cumberbatch fará adaptação televisiva de romance do escritor de Desejo e Reparação

0

Pedro Prado no Pipoca Moderna

O ator Benedict Cumberbatch reforçou seus laços com a rede BBC. O astro da série “Sherlock” vai estrelar e produzir a adaptação televisiva do romance “The Child In Time”, do célebre escritor britânico Ian McEwan.

Celeber-ru-Benedict-Cumberbatch-2015-66369-original-cbffe76701

Publicado em 1987, o romance gira em torno de Stephen Lewis, um autor de livros infantis de sucesso, cuja filha desaparece repentinamente, devastando seu casamento e sua vida.

Cumberbatch descreveu seu entusiasmo pelo projeto em comunicado. “Eu li o romance anos atrás e ele ficou comigo – profundo, bonito e muito comovente. Só Ian McEwan poderia escrever sobre a perda com tal honestidade”, disse.

O telefilme será a segunda vez que Cumberbatch atuará numa história original de McEwan. Um dos primeiros papéis notáveis do ator foi na adaptação do livro mais conhecido do escritor, “Desejo e Reparação”, há exatamente 10 anos.

O roteiro está sendo escrito por Stephen Butchard (criador da série “The Last Kingdom”) e a direção ficou a cargo de Julian Farino (“A Filha do Meu Melhor Amigo”), mas ainda não há previsão de estreia.

 

Arquivo X | Livros com Mulder e Scully adolescentes serão lançados no Brasil

0

 

arquivo-x-10a-temporada-01

Kami Garcia e Jonathan Maberry são os autores dos lançamentos da HarperCollins Brasil

Caio Soares, no Omelete

O reboot de Arquivo X foi um dos grandes assuntos do mundo da televisão no ano passado e, de olho em uma possível renovação, dois livros com Mulder e Scully adolescentes serão lançados no Brasil. Advogado do diabo, de Jonathan Maberry, e Agente do Caos, escrito por Kami Garcia, chegam às livrarias em março pela HarperCollins Brasil.

collage_iigRovU

Nas obras, os fãs da saga conhecerão o passado de Dana Scully e Fox Mulder. Fox e Scully no terreno do oculto, e as origens do que viria a ser o icônico departamento responsável por casos inexplicáveis dentro do FBI. A obra se passa em 1979. Em entrevista ao Entertainment Weekly (via Nerdist), Kami falou sobre a oportunidade de explorar o passado dos personagens:

“Como fã de carteirinha da série, a oportunidade de criar histórias sobre as origens de Mulder e Scully é como um sonho realizado. De onde vêm o otimismo de Mulder? E o ceticismo de Scully? Agora os fãs poderão descobrir”, comentou.

Originalmente exibida entre 1993 e 2002, Arquivo X ganhou seis novos capítulos em 2016.

 

‘A Passagem’: Livro de Justin Cronin sobre “vampiros” vai virar série de TV

0

A-Passagem-750x380

Matheus Machado no Cine Pop

O ComingSoon (via The Hollywood Reporter) informou que o canal FOX (EUA) encomendou o piloto de ‘The Passage‘, adaptação do best-seller homônimo de Justin Cronin.

A série será produzida por Ridley Scott, que além de estar envolvido com ‘Alien: Covenant‘, também está produzindo a minissérie britânica ‘Taboo‘.

Scott tenta adaptar a trilogia de livros escritos por Cronin desde de 2007.

Em 2011, um filme sobre a história foi anunciado, mas o projeto não vingou. Na ocasião, o roteiro estava sendo escrito por John Logan (‘Penny Dreadful‘) – que também roteirizou ‘Alien: Covenant‘.

O livro ‘A Passagem‘ apresenta uma história que se desenvolve ao decorrer de mais de um século. Na trama, o governo americano conduz uma série de testes com um vírus capaz de curar diversas doenças, mas os teste fogem do controle e soltam uma praga apocalíptica. Os pacientes, em que o vírus foi aplicado, adquirem uma força incrível, aumentam a sua capacidade mental e desenvolvem uma grande sensibilidade ao sol, porém, ao mesmo tempo sentem uma enorme sede de sangue.

Liz Heldens (‘Friday Night Lights‘) escreve o roteiro do piloto.

A imprensa americana rotula a série como “uma nova ‘The Walking Dead“, mas se for fazer comparações, a trama é mais similar com o drama apocalíptico do FX, ‘The Strain‘.

‘The Passage‘ ainda não tem data de estreia.

Go to Top