Posts tagged Stephen Chbosky

Autor de As Vantagens de Ser Invisível, Stephen Chbosky lança primeiro livro em 20 anos

0

Famoso por “As Vantagens de Ser Invisível”, Stephen Chbosky lança novo livro – Reprodução/Twitter/Divulgação

O livro foi lançado na terça-feira (1º), nos Estados Unidos

Publicado no Exitoína

Em fevereiro de 1999, Stephen Chbosky lançou seu primeiro livro. Nele, um garoto se comunicava, através de cartas, com um correspondente desconhecido enquanto descobria formas de lidar com o suicídio do melhor amigo e tentava criar novas amizades e amores para lidar não só com a tragédia, mas antigos traumas também.

Anos depois, As Vantagens de Ser Invisível tornou-se popular ao ser adaptado para um filme estrelado por Logan Lerman, Emma Watson e Ezra Miller, com roteiro e direção do próprio Chbosky, que também roteirizou a adaptação cinematográfica do sucesso off-Broadway Rent, em 2005, e foi responsável pelo roteiro e direção do longa Extraordinário, com Jacob Temblay, Julia Roberts e Owen Wilson no elenco.

Agora, vinte anos depois, o escritor e roteirista lançou um novo livro, batizado de Imaginary Friend (Amigo Imaginário, em tradução livre), na última terça-feira (1º). A publicação conta a história de Christopher, um garoto disléxico de sete anos que, após mudar-se com a mãe, Kate, busca um lugar para se encaixar.

Na tentativa, o menino recebe orientações de alguém que se materializa como um rosto no céu ou uma voz no vento e diz ao garoto para que construa uma casa da árvore na floresta enquanto conta a ele os segredos enterrados da cidade.

Em entrevista ao Entertainment Weekly, Chbosky descreveu o livro como misterioso e com um toque de horror, mas que não deixa de lado os elementos que fizeram de seu primeiro livro um sucesso. “Ele tem o coração, a alma e os componentes emocionais que As Vantagens tinha e, em muitos casos, é sobre muitos dos mesmos temas”, conta. “Há uma história épica sobre uma cidade pequena. Há muitos sustos divertos. Mas, no fundo, é uma história sobre uma mãe e um filho e sobre ser jovem e vulnerável”.

Ainda não há informações sobre quando o livro deve ser lançado no Brasil.

As Vantagens de Ser Invisível, um livro para ficar sempre na memória

0

as-vantagens-de-ser-invisivel-770x405

“Não há nada como a respiração profunda depois de dar uma gargalhada. Nada no mundo se compara à barriga dolorida pelas razões certas ” 

Paula Ramos, no Poltrona Nerd

Faz muito tempo desde que adicionei As Vantagens de ser Invisível a minha lista de leitura. Me encantei pelo filme de 2012 e desde então só venho ouvido comentários positivos a respeito da obra literária original. E todos estavam certos.

O livro é contado por Charlie, um solitário adolescente de 15 anos, começando a amadurecer e conhecer os prazeres e decepções da vida. Desde a primeira morte de um amigo ao primeiro amor, o jovem vivencia as típicas aventuras da adolescência e expressa suas opiniões em uma espécie de diário, a quem chama de amigo. A grande busca de Charlie é em relação a sua existência : Quem sou eu ? Por que eu sou assim ? Através de suas histórias, ele nos mostra não apenas as respostas, mas também um novo lado de sua personalidade. É através da amizade entre Sam e Patrick, dois irmãos dispostos a viver todas essas aventuras e mais um pouco, que o menino encontra o que precisava : amigos e oportunidades.

tumblr_mdjpgg0IGu1qdoyv4o1_500

As Vantagens de Ser Invisível é um livro que nos faz pensar, em todos os parâmetros possíveis. Até que ponto estamos certos ou errados em formar opiniões precoces sobre os outros ? Charlie é extremamente inteligente, porém inocente, o que o faz enxergar toda e qualquer situação com o coração aberto. Ele tem sua rotina modificada por Sam e Patrick, mas se propões até mesmo a fumar para se integrar no grupo dos amigos. O processo de aprendizagem, mudança e transformação de Charlie é o carro chave do livro, e a maneira como ele lida com isso é que nos ensina um pouco mais sobre a vida.

“Só preciso saber que existe alguém que ouve e entende, e não tenta dormir com as pessoas, mesmo que tenha oportunidade. Preciso saber que essas pessoas existem. “

Não pensem que Charlie é puro por ter vivido pouco, pois enfrentou situações que muitos a sua volta não vivenciaram, como o suicídio do melhor amigo e a morte da tia, de quem ele era muito próximo. O menino aprendeu a viver a vida de sua própria maneira, internalizando suas emoções e passando-as para seu melhor amigo. A maneira de narrar de Charlie é tão simples e bonita, que nos sentimos parte de seu dia a dia, a medida que as páginas vão passando.

download-2

Não pensem, porém, que estamos lidando com um livro infantil. Stephen Chbosky conseguiu abordar temas complicados e polêmicos, como homossexualidade, gravidez na adolescência e violência doméstica, sem perder a principal essência da história. A maneira como Charlie lida com todos esses impasses faz parte da construção de sua imagem, defrontando-se com os problemas e resolvendo-os de sua maneira. Para ele, o bem estar de seus amigos é muito importante, por mais que as vezes ele haja por impulso.

— Posso fazer uma pergunta?
— Sim, Charlie.
— Porque as pessoas legais escolhem amar as pessoas erradas?
Silêncio.
— Bem… Nós aceitamos o amor que achamos merecer.

Algumas questões ficaram em aberto no fim, deixando até mesmo um lado negativo na maneira como tudo terminou. Temas não abordados completamente, mas que foram onipresentes durante toda a trama, permaneceram sem resposta, como por exemplo, o fato de Charlie ter ou não alguma doença. Mais de uma vez ele apresentou crises e foi parar no hospital, porém, até hoje não sabemos o real motivo das mesmas. Ficou claro desde o início que ele era diferente dos outros, por meio de sua maneira de pensar e enxergar as coisas, mas isso se retém apenas ao lado psicológico ou existe uma razão física para tal ?

As Vantagens de Ser Invisível é um livro simples, porém cheio de conteúdo. Foi muito bem adaptado ao cinema, o que só aumentou a grandiosidade que a obra adquiriu. São poucas as páginas que a compõe, entretanto, as mesmas transbordam pureza e maestria pelas palavras de Chbosky. Todos deveríamos ter um amigo como Charlie, ou até mesmo, ter um lado Charlie dentro de nós. As vezes, as soluções são as mais simples possíveis, nós é que tendemos a complicá-las.

giphy-71

“Eu sei que tudo isso serão apenas histórias algum dia. E nossas fotos se tornarão velhas fotografias. E todos nós nos tornaremos mãe ou pai de alguém. Mas agora, exatamente agora, esses momentos não são histórias. Está acontecendo. Eu posso ver. E nesse momento, eu juro, nós somos infinitos.”

3 livros para ler no feriado e depois ver o filme

0

Nossa editora Isabella D’Ercole faz uma listinha de livros que viraram filmes: escolha uma dupla para curtir no feriado!

Isabella D’Ercole, na revista Claudia

Quem nunca se apaixonou pelos personagens de um livro? E, depois, ficou ainda mais feliz porque os personagens iam ganhar um filme só deles? Acho que todo mundo pode levantar a mão e admitir que já passou por isso. Tem aquela coisa de você ter imaginado o personagem um pouquinho diferente e aí chega aquele gato (tipo o Leonardo DiCaprio) e se prova muito melhor do que sua imaginação. Ou tem vezes que o livro não é tão fiel ao filme e ficamos chateadas, nos sentindo traídas pelo diretor. Com esses três livros que eu escolhi, essa segunda alternativa não acontece. Os filmes são fiéis e levam para a tela três histórias maravilhosas. Nenhum deles é novo, então dá para encontrar com facilidade, assim como os filmes. Eu sugiro ler o livro antes e depois sentar no sofá pra curtir as versões hollywoodianas. A garantia é: os três são tão bons que vai dar pra ler e assistir pelo menos um durante o feriado prolongado que vem aí.

O Grande Gatsby

gastby

O americano F. Scott Fitzgerald é um dos meus autores preferidos, mas a lista de livros recomendados fica para outro post. Agora, sugiro este, que é um de seus títulos mais famosos. A história é de um homem tão obcecado por sua paixão de adolescência, a Daisy. No filme, Gatsby é o Leo DiCaprio e a Daisy é a Carey Mulligan. Gatsby muda sua vida, corre atrás de acumular uma fortuna e se torna popular para impressionar Daisy. Os dois vivem uma paixão louca e arrebatadora, mas Daisy é casada, o que acaba mudando os planos do casal. Não vou dar mais detalhes da história, mas digo que é merecido. Nessa versão do filme, dirigida por Baz Luhrmann, os cenários são deslumbrantes, a música é moderna e tudo brilha. Se você se apaixonar pela história (como eu), sugiro emendar a versão de 1974, com Robert Redford e Mia Farrow. Vale a pena. Ah, como o Leonardo DiCaprio é lindo demais, segue outra foto dele:

gatsby

 

Orgulho e Preconceito

orgulho-e-preconceito

Elizabeth Bennet é uma das personagens mais marcantes da literatura. Criada pela britânica Jane Austen, ela é forte, feminista, poderosa. E se apaixona pelo charmoso Sr. Darcy. Só que ele não é uma figura fácil. Tímido, demora a responder aos sentimentos da Srta. Bennet. Nesse meio tempo, ela precisa lidar com as loucuras que fazem suas quatro irmãs e a mãe. A família vive no interior da Inglaterra, no final do século 18. No cinema, Elizabeth é interpretada por Keira Knightley e o Sr. Darcy por Matthew MacFadyen. Fora a bela história, o filme tem cenários lindos, planos-sequência de deixar o queixo caído e uma trilha sonora que acalma. Vale ler e depois assistir uma, duas, três, mil vezes…

As Vantagens de Ser Invisível

as-vantagens-de-ser-invisivel

Escrito por Stephen Chbosky, esse livro lançado em 1999 causou furor no público juvenil. Mas, na verdade, ele é tão profundo e revelador que pode ser muito bem aproveitado por um adulto. Conta a história de Charlie, um adolescente com personalidade inconstante e dificuldade de se relacionar. Logo após passar pelo trauma do suicídio do melhor amigo, ele entra em uma nova escola e é obrigada a lidar com uma realidade totalmente diferente. Para sorte de Charlie, alguns colegas são tão diferentões quanto ele e o abraçam sem hesitar. O livro é curtinho e pode ser lido em uma sentada. No filme, Charlie é interpretado por Logan Lerman, mas no elenco estão Emma Watson e Ezra Miller. Só um aviso: não é exatamente feliz, tá? Capaz de você terminar mais reflexivo do que relaxado.

As Vantagens De Ler “As Vantagens De Ser Invisível”

0

11111

Davi Medeiros, no Docas Pop

Quem já leu “As vantagens de ser invisível” certamente se encantou pela história e personalidade do Charlie e saiu recomendando para todo mundo. De autoria de Stephen Chbosky, o livro é um dos mais icônicos da juventude atual e, além de ser sensível e bonito, marca de várias formas a vida de quem o lê. A seguir, separamos algumas das vantagens de ser leitor de As Vantagens ser invisível.

1. Você conhece músicas maravilhosas.

The Smiths, David Bowie, Sonic Youth e Dexy’s Midnight Runners são algumas das bandas e cantores que se conhece através do livro ou do filme. Quem não se emociona com “Heroes” no final, ou com “Asleep”, a música preferida de Charlie? E eu não poderia deixar de comentar que “Come on Eileen”, do Dexy’s, é a melhor música do mundo para festas!!!

2. O Charlie cita ótimos livros.

Todos sabem que o Charlie tem um professor de Inglês muito bacana e que os dois acabam se tornando amigos. Essa amizade resulta na leitura de livros que agregam muito à vida do garoto, como “O sol é para todos”, de Harper Lee, e “O Grande Gatsby”, do Fitzgerald. De todos os livros, com certeza “O apanhador no campo de centeio” é o mais marcante. Não há dúvidas que muitas pessoas tenham lido esse livro por recomendação do Charlie. “Bill me deu um livro para ler durante as férias. O apanhador no campo de centeio. Era o livro favorito de Bill quando ele tinha a minha idade. Ele disse que era o tipo de livro feito para nós. Li as primeiras vinte páginas. Não sei como me senti em relação a ele, mas parecia apropriado naquele momento.”

3. Em alguns casos, o leitor se torna menos tímido.

O Charlie começa o livro todo tímido e invisível, nada participativo e sem amigos (seu único amigo tinha acabado de cometer suicídio). No entanto, logo ele conhece o Patrick e a Sam e sua vida muda completamente. Muitos adolescentes se veem assim no início do ensino médio, exceto talvez a parte do suicídio. O que o livro ensina é que nós temos que aproveitar a vida, ou melhor, a adolescência, ao máximo ao lado dos nossos amigos. Não podemos só observar tudo sem nunca participar. Ser jovem é curtir e ser sensível ao mesmo tempo. P.s.: empreste o livro para um amigo e veja ele se tornar menos tímido também.

12884345_1065539123518421_1011448203_n

4. Nos proporciona reflexões.

“Eu sei que tudo isso serão apenas histórias algum dia. E nossas fotos se tornarão velhas fotografias. E todos nós nos tornaremos mãe ou pai de alguém. Mas agora, exatamente agora, esses momentos não são histórias. Está acontecendo. Eu posso ver. E nesse momento, eu juro, nós somos infinitos.” Ler As Vantagens esquenta nosso coração. O livro é narrado de forma tão simples e tocante que por diversas vezes nos sentimos como o personagem. Momentos bons que poderiam durar para sempre, mas um dia serão apenas lembranças. Ou aquela foto que um dia não foi só uma foto: um dia aconteceu. Como não ser contagiado pela nostalgia do Charlie? A adolescência é o período de maior instabilidade da vida, e o autor do livro conseguiu captar muito bem os nossos sentimentos. Todos sabemos como é ter uma Sam na vida: uma pessoa de quem gostamos muito, mas que nunca será nossa.

5. “As vantagens de ser invisível” muda nossas vidas.

Por fim, é válido dizer que ninguém é o mesmo após o término da leitura. O Charlie vai ser para sempre um dos melhores amigos de quem o acompanhou por algumas centenas de páginas. Seja pela música, pelos livros ou citações, nossas vidas sempre vão ter aquele pedacinho da história do escritor e também diretor do filme Stephen Chbosky, e talvez você possa ser que você esteja relendo o livro aos 80 anos pela centésima vez e se sentindo jovem e infinito.

Acompanhe esse clipe que preparamos com algumas cenas do Filme que conta com atores como Emma Watson (“Harry Potter”), Logan Lerman (“Percy Jackson”) e Ezra Miller (“Precisamos Falar Sobre Kevin”)

Escritores da literatura de Sick-lit

1

Ana Lucia Santana, na InfoEscola

O mercado literário vive de temas que por algum tempo mobilizam a atenção do leitor. No início de 2013 notou-se uma prevalência de narrativas tristes, melancólicas, algumas até bem depressivas. Os primeiros lugares dos mais vendidos em veículos como “The New York Times” foram cedidos para livros como ‘A culpa é das estrelas’, de John Green, e As vantagens de ser invisível, de autoria de Stephen Chbosky. Críticos e classificadores de plantão já colaram uma etiqueta não muito lisonjeira nestas obras – sick-lit, que no idioma português pode ser traduzido como ‘literatura enferma’ ou ‘doentia’. Cabem neste segmento enredos protagonizados por criaturas mergulhadas em enfermidades sérias, jovens depressivos, anoréxicos, pelos que já cederam à tentação do suicídio, ou por qualquer outro distúrbio que atinja crianças e adolescentes. Nesta etapa existencial conhecida como adolescência, garotos e garotas passam por sofrimentos muitas vezes difíceis de suportar. Com histórias como estas, eles podem ter uma ideia de como outros jovens agem quando atravessam contextos semelhantes ou até mesmo testemunhar dores mais atrozes que as suas.

Autores e Obras

John Green: A Culpa é das Estrelas; Quem é você, Alasca?; O Teorema Katherine; Cidades de Papel.
Stephen Chbosky: As Vantagens de Ser Invisível.
Jenny Downham: Antes de Morrer; You Against Me.
Joanna Kenrick: Red Tears; Screwed; Baby Father; Out; Mine; Mind Set.
R. J. Palacio: Extraordinário.
Natalie Standiford: Como Dizer Adeus em Robô.
Lou Aronica: A Garota que Semeava.
Sophie van der Stap: A Garota das Nove Perucas.
Boris Vian: A Espuma dos Dias.

dica da Judith Almeida

Go to Top