Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged thalita rebouças

‘Um Ano Inesquecível’ apresenta histórias escritas por autoras de livros juvenis

0

Publicado na Folha de S.Paulo

Muitos dizem que os melhores momentos da vida são vividos na adolescência. Em uma época cheia de mudanças – e primeiros amores, encontros, festas e viagens -, são sempre os instantes inesperados que transformam um dia comum em uma lembrança especial.

“Um Ano Inesquecível” é um livro sobre esses momentos marcantes que não podem ser apagados da memória com tanta facilidade. Assinado por quatro autoras queridas entre o público jovem – Paula Pimenta, Bruna Vieira, Babi Dewet e Thalita Rebouças – a obra apresenta quatro personagens que vivem experiências e sentimentos intensos ao longo das quatro estações do ano.

No livro, Paula Pimenta traz uma história sobre uma viagem de inverno. Babi Dewet conta como um outono pode mudar tudo. Bruna Vieira mostra a paixão brotando com a primavera. E Thalita Rebouças narra um intenso amor de verão.

Paula Pimenta começou sua carreira literária em 2001. Formada em publicidade, trabalhou na Rede Minas como produtora do programa Brasil das Gerais e como assessora de marketing no Minascentro. É autora das séries “Fazendo Meu Filme” e “Minha Vida Fora de Série”.

Dona do maior blog voltado para o público adolescente do Brasil, o Depois dos Quinze, Bruna Vieira alcançou o sucesso pouco a pouco. Aos 15 anos, ela sofreu uma desilusão amorosa e decidiu usar as palavras para superar o trauma, criando o blog que fez sua vida mudar. Hoje blogueira e escritora, Bruna Vieira soma acessos que passam dos 10 milhões e recentemente atingiu a marca de 1 milhão de seguidores em seu perfil no Instagram.

Babi Dewet nasceu no Rio de Janeiro e é formada em Cinema. Começou a sua carreira escrevendo fanfics e publicou a trilogia “Sábado à Noite” em 2014. Amante de música, é apresentadora de shows e eventos de cultura coreana e pop, e possui um canal no YouTube sobre KPop e livros, além de fazer parte da equipe de vídeos do DramaFever.

Thalita Rebouças é jornalista de formação, mas abandonou as redações para batalhar por seu sonho de ser escritora, que tinha desde criança. Aos 25 anos, publicou seu primeiro livro, “Traição Entre Amigas” e, ao longo de 15 anos de carreira, a autora publicou 19 títulos, teve suas obras traduzidas no exterior e vendeu mais de 1.5 milhão de livros.

15244237

Livro traz protagonistas que vivem experiências e sentimentos intensos durante as quatro estações do ano

 

Abaixo, leia um trecho do conto escrito por Paula Pimenta.

*

Acordei no dia seguinte me sentindo bem mais animada. Eu ainda estava com a garganta meio dolorida, mas a gripe tinha passado quase totalmente. Olhei para a cama ao lado e vi que o Dudu não estava lá, provavelmente tinha ido para o quarto dos meus pais, então me espreguicei e comecei a me lembrar dos acontecimentos da noite anterior.

Depois de descermos do terraço, fomos direto para o pub, que realmente estava bem cheio. A maioria das pessoas era mais velha, mas o Ben me levou direto para uma mesa onde estavam algumas da nossa idade. Quer dizer, da idade dele. Eu certamente era a mais nova ali.

Logo notei que o grupo era todo de brasileiros. Os primos dele estavam lá, além de alguns garotos que eu já tinha visto no café da manha do meu hotel e também algumas meninas. Assim que viram o Ben, começaram a falar alto, vibrando por ele ter chegado e perguntando por que tinha demorado tanto. Percebi que ele era muito querido por ali. Ele me apresentou rapidamente para todos, que pelo visto já sabiam sobre a minha peripécia na neve… Algumas meninas vieram me perguntar como eu havia tido coragem de ir tão alto, outras me alertaram para nunca subir em um teleférico sem saber para onde ele ia… Aos poucos fui entendendo que aquele era um grupo de amigos que passava todas as férias ali. Os pais da maioria deles esquiava – profissionalmente ou por hobby – então todos os anos eles se reencontravam. Fiquei sabendo também que, no dia em que eu tinha chegado, o Ben havia ido a Santiago apenas para encontrar os primos no aeroporto, pois ele já estava ali desde o começo do mês.

“Nos estávamos no mesmo voo que você”, o Glauco, um dos primos, me contou. “Alias, te vimos no aeroporto em São Paulo e ate comentamos que, com aquele vestido curtinho você devia estar indo para o hemisfério norte, onde agora e verão… Ficamos surpresos quando entrou no mesmo avião que a gente!”

“Ahhhh, Glauco… Quer dizer que notou a menina ainda no aeroporto…”, uma das garotas, de quem eu não lembrava o nome, brincou.

Fiquei envergonhada, mas o outro primo, que se chamava Adriano, explicou: “O irmao dela inventou de jogar futebol em plena sala de embarque, ela estava tentando ler e toda hora ele jogava a bola em cima dela, querendo atenção.

Os pais deles estavam resolvendo alguma coisa no guichê da companhia aérea, então foi a Mabel que tomou a bola do menino. Nos ate brincamos que ela era uma santa, pois eu estava vendo a hora que aquela bola ia voar no café que estávamos tomando! Mas acho que irmão dela deve ter aprontado mais depois, porque tanto no avião quanto ônibus ela ficou com a maior cara de emburrada.”.

“Por isso, quando chegamos aqui e vimos que ela estava naquela área de recreação que tem entre os hotéis, digitando alguma coisa no celular, resolvemos jogar umas bolinhas de neve nela, só pra descontrair, pra ver se ela ia toma-las da gente também! Era só uma brincadeira, mas ela apelou total, começou a xingar…”, o Glauco esclareceu. “A Mabel e muito brava, já estou avisando pra ninguém deixa-la nervosa, viu?”

Todo mundo achou graça, mas eu fingi estar realmente brava e falei: “Ah, então foi por isso que vocês ficaram jogando neve em mim! Fiquei de castigo por causa disso, sabia?”.

Uma das meninas, que ate aquele momento estava apenas ouvindo a conversa, falou: “Nossa, você ainda fica de castigo… Quantos anos tem?”.

Ela falou aquilo com tanto desdém que eu enrubesci no mesmo instante. Não queria que me achassem criança, mas eu também não achava certo mentir a minha idade.

“Tenho 14…”, confessei. “Mas facho 15 daqui a um mês, no final de agosto!”, completei depressa. “E sim, meus pais dizem que vão me deixar de castigo enquanto eu merecer, até depois que eu for maior de idade.”

Vários deles riram, dizendo que os pais de alguns ali deviam fazer o mesmo. Umas meninas falaram que eu parecia mais nova, outras disseram que eu parecia mais velha… Apenas a garota que fez a pergunta ficou calada, me olhando como se eu a tivesse ofendido por alguma razão.

O resto da noite passou rápido, pois a conversa estava muito animada e eu acabei me enturmando com facilidade. Descobri que todos ali eram muito diferentes, mas tinham uma paixão em comum: a neve. Quando faltava pouco para as dez da noite, o Ben disse que ia me levar ao meu hotel, então todos perguntaram se eu ia me juntar a eles para esquiar na manha seguinte. Totalmente sem graça, expliquei que eu não era boa no esqui, e por causa disso o Adriano falou: Ela acha que a escolinha e só para crianças…”, lembrando o que eu havia dito a eles na pista. Isso fez com que todos discordassem, me dizendo que era muito importante ter pelo menos uma iniciação, pois se tentasse esquiar sozinha, sem a menor base teórica, eu poderia até me machucar.

“Todo mundo aqui passou pela escola de esqui…”, uma das meninas, a Renata, acrescentou. E em seguida se virou para o Ben, dizendo: “Se ela não quer praticar lá, por que você não da umas aulas particulares pra ela? E ate bom, porque individualmente da pra aprender mais rápido”.

Ele, que havia ficado meio calado a noite toda, apenas balançou os ombros, dizendo: “Se ela topar, eu ensino com o maior prazer…”.

Todos insistiram para que eu fizesse isso, então no fim das contas acabei prometendo que ia tentar fazer uma aula com ele, apenas como experiência. Mas se eu não gostasse, encerraria minha carreira de esquiadora ali mesmo.

Por isso, agora, deitada na cama e olhando as montanhas branquinhas lá fora, eu estava sentindo uma mistura de expectativa e ansiedade. Eu realmente achava que não tinha nascido para aquilo, e também ainda não tinha superado o trauma do dia do teleférico. Mas eu havia gostado muito do pessoal na noite anterior, não queria que eles pensassem que eu era uma medrosa, que desistia sem nem tentar…

Sendo assim, me levantei e avisei para os meus pais que eu ia fazer uma aula particular com o Ben naquele dia. Eles adoraram a notícia e falaram que tinham certeza de que eu acabaria amando aquele esporte.

No horário marcado, encontrei com ele na frente do lounge. Como combinado, eu não ia ter aulas no lugar da escola de esqui, por isso ele me levou ate uma área plana que ficava um pouco abaixo dos hotéis.

“Primeiro sem os esquis”, ele começou a explicar. “Vamos apenas treinar os movimentos dos bastões, pois quero que você observe a posição do seu corpo. Finja que você vai começar a esquiar… Como você faria?”

Eu mostrei para ele, que na mesma hora disse que eu estava com a postura muito ereta. Ele me fez flexionar os joelhos e inclinar o corpo para a frente.

“Agora vamos tentar com os esquis”, ele falou, quando achou que eu já estava com o porte adequado. Ele então os acoplou as minhas botas e me ajudou a ficar em pé Em seguida falou para eu ficar na mesma posição que ele tinha me mostrado antes.

Thalita Rebouças é uma das atrações da 3ª Feira do Livro de Franca, SP

0
Thalita Rebouças é uma das autoras de maior sucesso atualmente entre o público juvenil (Foto: Bárbara Raso/Divulgação)

Thalita Rebouças é uma das autoras de maior sucesso atualmente entre o público juvenil (Foto: Bárbara Raso/Divulgação)

Evento acontece de terça-feira (22) a domingo (27) e a entrada é gratuita.
Feira recebe palestras, oficinas, bate-papos e espaço para professores.

Publicado no G1

Palestras, bate-papo com escritores e oficinas são algumas das atividades da 3ª edição da Feira do Livro, que começa nesta terça-feira (22) em Franca (SP). O evento segue até domingo (27) na Praça Nossa Senhora da Conceição, e a entrada é gratuita.

A feira deste ano tem como patrono o escritor Everton de Paula. Natural de Franca, de Paula tem 65 anos e é professor e fundador e membro da Academia Francana de Letras. Especialista em Língua Portuguesa, ele escreveu dezenas de obras de ficção e didáticas.

Outros destaques da programação são as escritoras Thalita Rebouças e Carla Caruso.

Conhecida pela obra infanto-juvenil, a jornalista carioca Thalita Rebouças é autora dos livros da série “Fala Sério”, que reúne crônicas bem-humoradas do cotidiano da personagem Maria de Lourdes, a Malu, com o pai, a mãe, o professor, a amiga. Thalita faz palestra na sexta-feira (25), às 9h.

Já a escritora e ilustradora Carla Caruso recebeu o prêmio Jabuti, em 2010, pela obra “Almanaque dos Sentidos”. Ela participa da feira na quarta-feira (23), às 8h, quando ministra a palestra “A língua da poesia”. Os trabalhos mais recentes publicados pela autora são “Pulo de Bicho”, “Casa de Bicho” e “ Sono de Bicho”.

A diretora de Arte e Cultura de Franca, Karina Gera, afirma que o objetivo da feira é estimular a leitura a fazer com que os professores estejam cada vez mais comprometidos a incentivar os alunos a ler. “Este ano, além de colocarmos atrações para o público infanto-juvenil e adulto, a gente também fez algumas palestras voltadas para os educadores. O professor vai poder prestigiar e ter palestras específicas para ele, abordando principalmente a parte de ensino e também para a área de tecnologia”, diz.

Karina explica que outra novidade é o espaço dedicado para a captação de livros usados, o “Livrômetro”, no qual os visitantes podem doar exemplares para o projeto Roda Livro.

A Feira do Livro de Franca conta ainda com trabalhos em parceria com o Sesc Ribeirão e com a Oficina Cultural Candido Portinari.

Confira a programação completa da 3ª Feira do Livro de Franca:

Dia 22
-10h: Abertura com “Musicalis – Quinteto de Cordas”- Projeto Bolsa Cultura
-14h: Oficina: “Onde as histórias se escondem”
Escritora: Maria Amália Camargo
-16h às 18h: Plantão de Informação DST/AIDS
-16h: Oficina: marcador de livros
-18h: Noite de autógrafos com escritores francanos
-19h: Oficina dança: Prática-teórica “Canteiro de Obras”
Grupo: SP Cia de Dança/ministrada por Marcela Benvegnu
Local: Ballet Carla Pacheco (Rua Campos Salles, 1416, Centro)
-19h30: Bate-papo: “Entendeu ou quer que eu desenhe?”
Escritor: André Neves
-20h30: Oficina dança: Técnica de Balé Clássico
Grupo: SP Cia de Dança/ministrada por Guivalde Almeida
Local: Ballet Carla Pacheco (Rua Campos Salles, 1416, Centro) (mais…)

Thalita Rebouças comemora 15 anos de carreira: ‘ Nunca me senti tão bem’

0
Thalita Rebouças posa na varanda de seu apartamento em São Conrado, Zona Sul do Rio (Foto: Isac Luz / EGO)

Thalita Rebouças posa na varanda de seu apartamento em São Conrado, Zona Sul do Rio (Foto: Isac Luz / EGO)

Aos 40 anos, a escritora conta que vai estrear como atriz e diz que não sonha com a maternidade: ‘Ser mãe é muito difícil e requer muita dedicação’

Luisa Girão, no EGO

Faz exatamente 15 anos que a escritora Thalita Rebouças subiu em uma cadeira na Bienal do Livro do Rio e começou a gritar: “Gente, eu sou escritora. Um dia vou ser famosa e vocês terão meu autógrafo!”. O impulso aconteceu depois de uma tarde inteira no estande da editora, sem nenhuma atenção do público.

De lá para cá, muita coisa mudou. Hoje, aos 40 anos, Thalita tem 20 livros publicados e bateu a marca de um 1,5 milhão de exemplares vendidos. Marca singular para qualquer escritor. “Me sinto tão realizada. Nunca achei que fosse viver de literatura. O que vivo hoje é melhor do que meu melhor sonho”, afirma ela, em entrevista ao EGO, em sua casa em São Conrado, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

O sucesso é tanto que a autora é comparada até com popstars. “Um menino me disse que eu era a Madonna dos livros”, diverte-se ela, acrescentando: “Já falaram até que sou os Beatles dos livros com aquele bando de adolescente correndo atrás. Eu adoro! Não sou uma atriz, cantora ou ‘youtuber’ que escreveram livros após ficarem famosas. Eu sou escritora e fiquei conhecida por isso, o que me dá um orgulho maior ainda”.

E não é só nas livrarias que ela faz sucesso. A escritora virou um fenômeno também em redes sociais: “Acho importante eu ter uma boa relação com as redes sociais porque é um caminho direto para os meus leitores. Ultimamente, estou viciada no Snapchat. Relutei a entrar, mas agora meus fãs até me apelidaram de ‘rainha do Snap’. É muito divertido, é como se cada um tivesse seu próprio Big Brother”.

Fã de reality show
A comparação não é por menos. Fã de Érico Veríssimo, Fernando Sabino e Jorge Amado, a escritora confessa que também curte um reality show. “Eu adoro ‘The Biggest Loser’, as Kardashians e até o da Lindsay Lohan eu vi… E olha que ela é chata, hein?”, brinca ela, que confessa que pensa em escrever uma história sobre esse universo. “O cotidiano, as pessoas e a busca pela fama são temas que me inspiram. Quero muito escrever algo sobre reality show para adolescente, mas não posso contar porque se não vão pegar a minha ideia”, diz.

E não é só na carreira que a escritora comemora a boa fase. Aos 40 anos, ela diz estar em um de seus melhores momentos na vida pessoal. “Acho que a crise dos 30 foi bem pior. Não sei nem dizer o porquê, mas bateu uma insegurança de ver o tempo passando… Quando fiz 40, bateu uma neurose, mas passou logo. Acho que nunca me senti tão bem comigo, com a minha cara e com o meu corpo”, fala ela, que mantém a boa forma com treinos funcionais e corrida na areia da praia.

Aos 40 anos, Thalita Rebouças afirma que está em sua melhor fase: "Nunca me senti tão bem" (Foto: Isac Luz / EGO)

Aos 40 anos, Thalita Rebouças afirma que está em sua melhor fase: “Nunca me senti tão bem” (Foto: Isac Luz / EGO)

Solteira, após o fim do casamento de 18 anos com o escritor Carlos Luz, Thalita diz que não pensa em ser mãe. “Eu não sinto nenhum tipo de pressão e não tenho vontade. Ser mãe é muito difícil e requer muita dedicação. Para ser mãe nas coxas, como vejo muitas mulheres sendo, não vale a pena. A maternidade é algo tão nobre”, explica.

No entanto, ela não descarta adotar uma criança. “Acho que se tiver um filho, um dia, vou fazer que nem a Astrid Fontenelle ou a Glória Maria, que adotaram e fizeram essa coisa linda. Não vou ficar congelando óvulos, ficar sofrendo com inseminação artificial. Nossa, eu adotaria feliz. Mas nunca tive vontade, nem sei se vou ter. E ainda tem o Lindão, né?”, diz ela, sobre o cachorro de estimação.

Atriz?
Enquanto o desejo da maternidade não vem, a escritora aproveita para focar suas forças na carreira. Ela conta que já foi convidada para escrever para TV e cinema, mas não topou. “Recebi propostas boas, mas neguei todas. Não quero me meter com essa coisa de ibope, de mudar a minha identidade como escritora e ter que mudar algo pela audiência. Ia me sentir violentada”, afirma.

Thalita ainda contou que se prepara para estrear numa carreira: a de atriz. Até o final do ano ela vai entrar em uma websérie. “Eu não sou atriz, mas no projeto eu vou me interpretar. É sobre minhas andanças de escritora, as coisas que passo”, adianta.

Neste sábado, 12, e no domingo, 13, a escritora estará novamente na Bienal do Livro, para autografar seus mais recentes livros: “Fala sério, irmão!” e “Um ano inesquecível”: “Às vezes, eu não acredito que isso é meu trabalho, que ganho para isso. É difícil, mas hoje me sustento com o dinheiro dos livros. Luxo é poder viver de literatura e receber esse carinho dos fãs”.

Em sua 17ª edição, Bienal dá mais espaço para os adolescentes

0
 Thalita Rebouças vai falar amanhã na Bienal Foto:  Divulgação

Thalita Rebouças vai falar amanhã na Bienal. Foto: Divulgação

Jovens dominam o mercado dos livros

Publicado em O Dia

Rio -Em grupos, com sacolas cheias de livros, promovendo encontros e lotando as filas de autógrafos, os jovens são a cara da Bienal do Livro. Em sua 17ª edição e homenageando os autores argentinos, o maior evento literário do país não para de crescer, fisicamente e em conteúdo. Com mais espaço — os pavilhões cresceram em 25 mil m² — e mais de 200 escritores convidados, sendo 27 deles estrangeiros, as novidades foram direcionadas, em sua maioria, para os adolescentes.

De acordo com Tatiana Zaccara, diretora da Bienal, os jovens leitores foram o próprio motor da expansão da feira. “O movimento do mercado editorial é em torno do segmento de literatura para jovens. Tínhamos várias programações desse gênero acontecendo no mesmo dia e simultaneamente, e com isso vimos a necessidade de crescer”, diz Tatiana. Para preencher os novos ambientes, o evento espera um público de 600 mil pessoas, mas esse número pode inflar com o feriado de segunda-feira. “A ideia é que a Bienal seja um programa para passar o dia, que tenha mais áreas livres para as pessoas aproveitarem, como as esteiras no jardim.”

Foi com isso em mente que o público adolescente ganhou mais um centro de atividades, além da tradicional Conexão Jovem. Projetada para ser uma grande estrutura quadrada, a Cubovoxes teve curadoria de João Alegria, historiador e diretor do Canal Futura. “O Cubovoxes foi pensado entendendo o jovem leitor como um sujeito ativo na sociedade. Além de consumidor de cultura e narrativas, ele as produz”, diz o curador. Assim, temas como violência, família e participação política serão abordados por convidados que não necessariamente atuam na literatura. “O símbolo do cubo é o de uma caixa de som. Ela reúne as ideias em um lugar para propagar mais alto”, explica João, que também é curador do Bamboleio, espaço infantil da Bienal.

Com mais de 1,5 milhão de livros vendidos, a escritora Thalita Rebouças é líder de vendas no segmento de literatura jovem. Na Bienal deste ano, ela comemora 15 anos de carreira com o lançamento de dois títulos: ‘Fala Sério Irmão/Irmã’ e ‘Um Ano Inesquecível’, volume de contos escrito a quatro mãos, junto a Paula Pimenta, Bruna Vieira e Babi Dewet. Apesar de ter transitado na escrita adulta e infantil, Thalita não abre mão do público que a consagrou: “Os jovens estão lendo cada vez mais e isso é muito evidente. É um público muito fiel.” As redes sociais, supostamente os vilões da concentração, são aliados de Thalita. “Essas ferramentas só facilitaram a aproximação com os leitores. Não tem essa. Quando o livro é bom, eles param para ler”, afirma a autora.

O homenageado do ano também irá atrair o público juvenil. Mauricio de Sousa, que completa 80 anos em outubro, vai se reunir com fãs na segunda-feira. ‘’Estou orgulhoso dessa homenagem, ainda mais na Bienal, onde posso estar perto dos meus leitores. E vem mais por aí. Pretendo lançar a Turma da Mônica adulta. Os personagens envelheceriam junto com os leitores’’, adianta Mauricio.

Em época de crise econômica, a Bienal respira tranquila. “Acreditamos muito na Bienal e decidimos que ela não precisaria perder nada, só crescer”, declara a diretora Tatiana.

PROGRAME-SE

SEXTA-FEIRA
PEDRO BANDEIRA — O premiado autor da série ‘Os Karas’ fala sobre a psicologia em seus livros. Fórum de Educação, 10h15.

LEANDRO NARLOCH,JOSÉ ANDARILLO, ZOARA FAILLA E VIVIANE SALES — A discussão debate o papel do jovem como consumidor e produtor de literatura. Fórum de Educação, 11h30.

YASMIN THAINÁ, SILVANA BAHIA E BRUNO DUARTE — Três jovens criadores falam sobre suas narrativas engajadas. Cubovoxes, 15h.

SÁBADO
THALITA REBOUÇAS — Comemorando 15 anos de carreira, a autora conversa com os fãs. Conexão Jovem, 11h.

JULIA QUINN — Mesa com a americana que criou a série best-seller ‘Os Bridgertons’. Conexão Jovem, 13h.

MARIANA ENRÍQUEZ E LUIZ EDUARDO MATTA — Conversa com dois jovens escritores, um brasileiro e uma argentina. Cubovoxes, 15h.

WILL CONRAD — Um dos mais consagrados cartunistas brasileiros fala sobre a sua trajetória. Cubovoxes, 17h.

DAVID NICHOLS — O autor do best-seller ‘Um Dia’ divulga o lançamento ‘Nós’. Conexão Jovem, 18h.

DOMINGO
EDUARDO SPOHR — O criador da trilogia ‘Filhos do Eden’ fala sobre o sucesso na internet. Conexão Jovem, 14h.

MARCUS FAUSTINI E RAFAEL DRAGAUD — A mesa discute a relação dos jovens com as novas tecnologias. Cubovoxes, 15h.

Confira a programação completa no site oficial: http://www.bienaldolivro.com.br/

BIENAL DO LIVRO. Riocentro. Av. Salvador Allende 6.555, Barra da Tijuca (3035-9348). Funcionamento: Seg, dia 7 de setembro, das 10h às 22h. De ter a sex, das 9h às 22h. Sáb e dom, das 10h às 22h. R$ 16. Até dia 13.

Bienal do Livro do Rio investe em jovens e reúne estreantes e veteranos

0
A escritora Thalita Rebouças, uma das autoras de maior sucesso entre o público juvenil, vai lançar dois livros na Bienal do Rio (Foto: Bárbara Raso/Divulgação)
A escritora Thalita Rebouças, uma das autoras de maior sucesso entre o público juvenil, vai lançar dois livros na Bienal do Rio (Foto: Bárbara Raso/Divulgação)

Evento homenageará a Argentina em sua 17ª edição.
Obra de Maurício de Sousa terá exposição especial.

Cristina Boeckel, no G1

A 17ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro abre as portas nesta quinta-feira (3), reunindo mais de 200 autores autores brasileiros e estrangeiros, estreantes e experientes, de diversos estilos. Entre os principais destaques está a atenção dada à literatura jovem, que reúne nomes consagrados como Thalita Rebouças, até estreantes como Pathy dos Reis, que ficou conhecida no YouTube.

Thalita Rebouças lançará dois livros no evento. “Fala sério, irmão! Fala sério, irmã!”, é o sétimo da série que a consagrou como uma das principais autoras para adolescentes do país. Ela também lança “Um ano inesquecível”, em parceria com as autoras Paula Pimenta, Bruna Vieira e Babi Dewet. Contando com os lançamentos, já são 20 livros na carreira. Ela se considera uma “rata de Bienal” e acredita que boa parte de seu sucesso se deve ao evento.

“Eu amo ir à Bienal porque é uma oportunidade de conhecer os leitores. Porque geralmente eles nos conhecem, mas nós não os conhecemos. É o momento de receber o carinho deles, de olhar no olho,” afirma Thalita, que lançou seu primeiro livro na edição de 2001 da Bienal do Rio.

Thalita estará no evento no sábado (5), na segunda-feira (7), no sábado (12) e no domingo (13). Para ela, a Bienal tem, cada vez mais, um público adolescente.

“Acho que os leitores já estão se renovando há algum tempo. Desde que comecei, vi o público adolescente crescer e ter uma presença cada vez mais maciça. Eles leem cada vez mais”, disse.

No outro extremo está Pathy dos Reis, de 26 anos, dona de um canal no YouTube com mais de um milhão de inscritos, que aposta na ficção policial na sua primeira incursão pelo mundo da literatura. Ao lado de Maria Carolina Passos, também de 26 anos, que é roteirista do programa na internet, ela assina a autoria de “Blasfêmia”.

O canal de Pathy na internet tem um público formado por jovens adultos, em sua maioria, com idade entre 18 e 25 anos. Ela acredita que o livro tem uma maior abrangência e deva atingir pessoas entre 16 e 30 anos.

Pathy tenta disfarçar o nervosismo da estreia, mas não consegue esconder a ansiedade do encontro com o público.

“Estamos bem ansiosas. Não consigo imaginar como vai ser. É um evento muito grande. Ir como participante e compartilhar a nossa história é muito empolgante”, disse ela.

Pathy e Maria Carolina estarão na Bienal do Livro do Rio no domingo (13), às 13h.

Pathy Reis, à esquerda, e Maria Carolina Passos estreiam romance policial na Bienal do Livro do Rio (Foto: Pathy Reis/Arquivo pessoal)

Pathy Reis, à esquerda, e Maria Carolina Passos estreiam romance policial na Bienal do Livro do Rio (Foto: Pathy Reis/Arquivo pessoal)

Argentina homenageada
O país homenageado é a Argentina, que tem um estande de 400 metros quadrados e um auditório batizado como Manuel Puig, em homenagem ao autor de “O beijo da mulher-aranha”, que foi transformado em filme por Hector Babenco, com Sônia Braga, Raul Julia e William Hurt no elenco.

A delegação argentina tem 15 autores, que mostrarão um pouco da literatura que é feita pelo país vizinho. Entre eles destaca-se Eduardo Sacheri, autor de “O segredo dos seus olhos”, que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2010. Outros destaques são Martín Kohan, Tamara Kamenszain, Claudia Piñero, Mariana Enríquez, Mempo Giardinelli e Sérgio Olguín.

Entre os nomes internacionais de outros países estão Jeff Kinney, autor da série de livros “Diário de um banana”, e Sophie Kinsella, autora da série de livros que consagraram a personagem Becky Bloom. Ambas as obras têm versões cinematográficas.

Mauricio de Sousa ganha exposição
A Bienal também vai homenagear Maurício de Sousa, que comemorará 80 anos no evento e ganhará uma exposição especial com 190 metros quadrados. Os visitantes poderão ver uma retrospectiva com a evolução dos desenhos de seus principais personagens e terão um canto de leitura com vários lançamentos do autor, entre eles uma versão de “O pequeno príncipe”. Mauricio de Sousa receberá o Prêmio José Olympio, por seu trabalho na promoção da leitura.

O Café Literário, espaço para discussões sobre cultura, debaterá as relações do Rio de Janeiro com as letras, entre outros assuntos. Serão 33 debates ao longo de todo o evento, que termina no domingo (13).

As crianças também terão atrações especiais durante a Bienal, com brincadeiras que envolvem a cultura de vários países. Os pequenos poderão participar dos Jogos Literários da Bienal com as famílias, em disputas sobre a língua portuguesa, que envolvem atores circenses. Crianças e adultos também poderão se transformar em contadores de histórias com a ajuda de acessórios em cabines de leitura.

SERVIÇO
17ª Bienal do Livro Rio
Onde
Riocentro
Avenida Salvador Allende 6555, Barra da Tijuca

Quando
De 3 a 13 de setembro
Dia 3, de 13h às 22h
Dias de semana, de 9h às 22h
Fins de semana, 10h às 22h

Preços
Inteira, R$ 16; meia-entrada, R$ 8
Estacionamento, R$ 22 para 12 horas de permanência

Mais informações
Site da Bienal, clique aqui

Go to Top