notícias

O que você precisa saber para assistir His Dark Materials

0

Nova série da HBO é inspirada na franquia literária Fronteiras do Universo

Camila Sousa, no Omelete

Uma das grandes apostas da HBO para a nova temporada de séries é His Dark Materials, série inspirada na franquia de livros Fronteiras do Universo. Com a segunda temporada já garantida pelo canal, a atração tem no elenco nomes como Dafne Keen (Logan) no papel principal de Lyra Belacqua, Ruth Wilson (The Affair) como Marisa Coulter e James McAvoy (Fragmentado) como Lord Asriel.

Confira abaixo o que você precisa saber para assistir à série. O lançamento está marcado para 4 de novembro.

Quem é Lyra?

His Dark Materials/HBO/Divulgação

Vivida por Dafne Keen, Lyra Belacqua é a protagonista da história. Com 11 anos no começo da história, ela é uma órfã que foi criada na universidade de Oxford por professores e reitores do local. Seu único parente conhecido é o tio, Lord Asriel, que já foi interpretado nos cinemas por Daniel Craig e agora é vivido por James McAvoy na série da HBO.

Também conhecida nos livros como Lyra da Língua Mágica, a protagonista é descrita como curiosa e destemida. Por não ter um tutor muito próximo – seu tio a deixa na universidade para realizar grandes viagens – Lyra cresce com muita liberdade pelo campus e por isso aprende a escalar janelas e muros para saber tudo o que está acontecendo. A jovem também conhece todos os funcionários da universidade e se torna grande amiga de Roger, outra criança do local.

Daemons e a conexão com humanos

His Dark Materials/HBO/Divulgação

No universo de His Dark Materials, as almas dos seres humanos se manifestam em seres em forma de animais que existem fora de seus corpos, os daemons. Cada pessoa tem um daemon, que possui nome e conversa com o humano ao qual pertence. As pessoas enxergam os daemons umas das outras, mas não é permitido tocar o daemon do outro. Quando dois humanos se encontram e passam algum tempo juntos, é comum que seus daemons interajam entre si, algo permitido pelas regras.

Os daemons acompanham os humanos durante toda a vida e por isso se tornam grandes amigos. Durante a infância, eles não possuem uma forma física fixa, refletindo a personalidade ainda não formada da pessoa. No caso de Lyra, por exemplo, seu daemon Pantalaimon aparece como diversos animais durante a história. É no período da adolescência que o daemon assume uma forma física fixa para o resto da vida, refletindo a personalidade firmada pelo seu dono.

Além desse grande laço emocional entre daemons e humanos, há também uma ligação física. Com a exceção de feiticeiras e pajés, todos precisam ficar próximos fisicamente de seus daemons. Grandes distâncias causam dor e agonia nas duas partes. Daemons também sentem as dores físicas afligidas em seus donos e vice-versa.

O Magisterium

His Dark Materials/HBO/Divulgação

O universo de Lyra possui uma grande instituição religiosa, o Magisterium, que coordena a sociedade em questões sociais, religiosas e políticas. Na história, o Magisterium tem algumas características próximas da igreja católica, apesar de ser formado pela união de vários órgãos religiosos. Exatamente por isso existem várias disputas internas de poder, já que cada liderança tem interesses próprios.

O poder do Magistério no universo de His Dark Materials é enorme. Um dos maiores exemplos é o controle da instituição sobre a ciência, chamada até mesmo de “teologia experimental”. A organização permite que estudos científicos sejam feitos, desde que eles se enquadrem nas doutrinas e não tentem contradizer suas regras.

Pó, heresia e inocência

His Dark Materials/HBO/Divulgação

Um bom exemplo de como o Magisterium age é sobre o Pó, uma substância presente no universo de His Dark Materials, mas que não pode ser citada por regras da instituição. O Pó é constituído de minúsculas partículas douradas que se fixam em seres vivos, especialmente nos humanos durante a adolescência. Embora algumas criaturas possam enxergar o Pó a olho nu, os humanos só conseguem fazer isso com a ajuda de alguns instrumentos específicos.

Na história, é observado que as crianças não possuem o Pó, que é mais comum em adultos que já passaram pela juventude. O Pó começa a ficar presente no corpo das pessoas na mesma época da juventude em que os daemons fixam sua forma. O Magisterium considera que o Pó é a representação direta do pecado e por isso não é permitido falar ou pesquisar sobre a substância. Para a instituição, o Pó simboliza a perda da inocência das crianças e há quem acredite que deveria haver uma forma de impedir que isso aconteça com elas.

Com tantos paralelos sobre o posicionamento de algumas instituições religiosas, a obra de Philip Pullman foi duramente criticada por algumas organizações ao longo dos anos, incluindo o Vaticano e a Liga Católica dos EUA, que fez campanha contra a adaptação aos cinemas lançada em 2007.

A Bússola de Ouro

His Dark Materials/HBO/Divulgação

Este é o nome do primeiro livro da trilogia e também da adaptação aos cinemas e por isso um dos mais conhecidos pelo público. Dentro da história, a bússola é um aletiômetro, um artefato capaz de mostrar a verdade para quem aprender a usá-lo. A bússola é um dos vários objetos importantes do universo de His Dark Materials, ao lado da Faca Sutil e da Luneta mbar, que dão nome aos outros dois livros principais da franquia.

A protagonista Lyra recebe o aletiômetro do reitor da universidade Jordan logo no começo da história, pois ele acredita que ela será capaz de interpretar o que o objeto tem a dizer. A leitura acontece quando o usuário aponta três agulhas do objeto para diferentes símbolos, mentalizando o que deseja saber. Em seguida, uma quarta agulha aponta para a imagem que significa a resposta. Há vários símbolos dentro da bússola, como a Ampulheta, Caldeirão, Coruja, Espada, entre outros e interpretá-los é a chave para saber a verdade.

O aletiômetro é um objeto raro e extremamente poderoso. Apenas seis foram criados em toda a história e o Magisterium destruiu quatro, preocupado com sua capacidade de falar a verdade. Logo, quando Lyra o recebe, precisa escondê-lo, já que ela pode se tornar alvo da instituição se alguém souber que ela está com ele. Outra preocupação do Magisterium sobre a bússola é porque ela utiliza do Pó para saber e dizer a verdade ao usuário e, como descrito acima, utilizar a substância é considerada uma heresia.

Futuro

His Dark Materials/HBO/Divulgação

O universo de His Dark Materials é vasto e a HBO tem material para trabalhar em várias temporadas, se desejar. A linha do tempo principal é composta por três publicações: A Bússola de Ouro, A Faca Sutil e A Luneta Âmbar. Todos desenvolvem a história de Lyra e também apresentam outros nomes que se tornam importantes na trama.

Além deles, o autor Philip Pullman lançou dois livros derivados: A Oxford de Lyra, situado dois anos após o término da série principal, e Era Uma Vez no Norte, um prelúdio focado em Lee Scoresby (personagem de Lin-Manuel Miranda na HBO) e no urso Iorek Byrnison, um dos personagens mais icônicos da história.

A série literária mais recente do autor é O Livro das Sombras, uma trilogia que volta à história de Lyra, dessa vez mostrando acontecimentos do passado, presente e futuro da personagem. La Belle Sauvage abre a trilogia como um prelúdio, mostrando Lyra ainda bebê e sua chegada à Oxford. O segundo livro, The Secret Commonwealth, foi publicado em outubro deste ano e mostra a história de Lyra sete anos após os acontecimentos de A Luneta Âmbar. Ainda não há detalhes do que será mostrado no livro de encerramento da série, que não tem título definido.

‘Livros de Sangue’: Antologia de Clive Barker será adaptada em filme para o Hulu

0

Thiago Nolla, no CinePop

Segundo o site Deadline, o serviço de streaming Hulu está em negociações finais para adaptar a clássica antologia de terror de Clive Barker, ‘Livros de Sangue’.

O projeto será co-escrito, produzido e dirigido por Brannon Braga, conhecido por seu trabalho em séries como ‘Star Trek: The Next Generation’, ‘Star Trek: Voyager’ e ‘The Orville’. Adam Simon também fica a encargo do roteiro.

Seth MacFarlane entra como produtor executivo.

A série de seis livros mistura horror e fantasia e é ambientada em um cenário contemporâneo. A narrativa gira em torno de pessoas normais que se envolvem com eventos misteriosos e arrepiantes.

Anna Friel, Britt Robertson, Rafi Gavron e Yul Vazquez farão parte do elenco.

Friel será Mary, uma psicológica brilhante que ganhou fama ao desmentir teorias que não são comprovadas cientificamente. Gavron será Simon, um lindo e carismático jovem homem que se torna amante de Mary e a convence de que tem a capacidade de conversar com os mortos – incluindo seu filho de sete ano que faleceu devido a leucemia.

Robertson será Jenna, uma garota hipersensitiva que sofre de misofonia, enquanto Vazquez dará vida a Bennett, um assassino profissional que se envolve com perigos sobrenaturais.

O filme tem previsão de estreia no outono norte-americano de 2020.

HBO anuncia oficialmente House of the Dragons, spin-off de Game of Thrones

0

House of the Dragons (Fonte: Reprodução)

 

Rodrigo Yao, no Observatório de Séries

Uma prequel de Game of Thrones acabou de morrer. Mas outro spin-off recebeu o presente da vida pela HBO nesta terça-feira (29). House of the Dragons está chegando ao canal!

O spin-off foi oficializado na apresentação de investidores da HBO Max, que trouxe novidades da WarnerMedia. Saltando além do piloto, a história de George R.R. Martin e do co-criador e showrunner Ryan Condal, recebeu um sólido pedido direto para virar série.

Embora a narrativa do projeto não tenha sido especificada, ele será baseado no livro de Martin, Fogo & Sangue, que conta a história da Casa Targaryen em Westeros. Assim, House of the Dragons certamente será rico nos detalhes sobre os ancestrais de Daenerys Targaryen, os senhores dos dragões.

Segundo o Deadline, a guerra civil de Westeros conhecida como Dança dos Dragões, que é mencionada na série da HBO e melhor explorada (embora não completamente) na saga literária As Crônicas de Gelo e Fogo parece constituir uma grande parte da história desta prequel. O show remonta 300 anos para se centrar no início do fim da dinastia que, outrora toda poderosa, dominou os Sete Reinos.

Este projeto é um dos quatro spin-offs restantes de GoT em andamento para a HBO e seus senhores corporativos na AT&T. Com o lançamento da HBO Max no próximo outono, o projeto House of the Dragons vem da primeira parte da série de livros pré-GoT, publicada em novembro de 2018. Explorando ainda mais o reinado da antiga Casa, espera-se o segundo livro de Fire & Blood saia no próximo ano, mais ou menos, segundo o Deadline.

De fato, o que é bem a tempo para uma segunda temporada, não é mesmo? E sim, sabemos que Martin não é o cara mais rápido com prazos. E não, não queremos ver esse livro sair antes de Os Ventos do Inverno.

Menina de 12 anos lê 231 livros em menos de um ano em ‘desafio literário’

0

A gaúcha Kamila Rabello mostrou todo o desafio no seu Instagram

Felipe Goldenberg, no Terra

Ela tem apenas 12 anos, mas já leu mais livros que a maior parte dos brasileiros em menos de um ano. A gaúcha Kamila Wagner Rabello se desafiou a ler 231 livros em até 365 dias — a média nacional é de 2 livros por ano, segundo o Instituto Pró-Livro. Estudante da 6ª série do Ensino Fundamental, ela lançou a meta em janeiro deste ano e a cumpriu na última segunda-feira, 28, véspera do Dia Nacional do Livro.

Ao mesmo tempo, ela compartilhava em seu Instagram os bastidores do que chamava de “Desafio Literário”. A moradora de Tramandaí, no litoral do Rio Grande do Sul, mostrava quais os livros lidos, fazia comentários sobre eles e selecionava alguns dos melhores trechos. Atualmente, ela tem mais de 6 mil seguidores no seu perfil da rede social, que é controlado pelos pais.

“No fim do ano passado, meu pai me mostrou uma reportagem sobre um menino do Amapá que leu 230 livros em um ano. Ele [o pai] perguntou: ‘o que tu acha de bater o recorde dele?’, e eu aceitei”, explica Kamila. Na época, o também estudante Kauê Capiberibe, de 11 anos, foi homenageado pela sua escola onde estudava, na capital Macapá, pela alta quantidade de leituras.

Kamila se descreve como fã de fantasia, suspense e terror. Leitora assídua desde criança, recebia em casa incentivo dos pais, um corretor de imóveis e uma atendente de farmácia. “Deixávamos ela com lápis e caneta na mão para ficar rabiscando. Quando ela foi alfabetizada, aos 7 anos, demos de presente um gibi da Turma da Mônica. Ela lia um gibi por semana”, conta o pai, Augusto César Rabello. Já a mãe, Daiana Wagner, lembra que sempre teve o hábito de “contar histórias para ela”.

Eles afirmam que já perderam a conta da quantidade de livros guardados em casa. Augusto, porém, estima que eles tenham cerca de 300 títulos. A maior parte deles foi comprada em promoções de lojas virtuais; outros foram presentes dos próprios seguidores de Kamila. A ideia é repassar todas as obras para os irmãos mais novos, de sete e três anos de idade, que já começaram a vasculhar os gibis da irmã mais velha. “Depois, a Kamila vai definir o que fazer com os livros. Se ela quiser doar, vamos ajudar”, conta o pai.

De 231 lidos, o livro mais marcante até agora foi O Pequeno Príncipe, escrito pelo francês Antoine de Saint-Exupéry. “Tem uma parte em que eles vêm para a Terra e começam a conversar com uma raposa, que fala que os homens estão sempre caçando, que vivem sozinhos”, lembra. “Uma lição que aprendi é que as pessoas sempre precisam de mais amigos, estar mais juntas umas das outras”.

Além da leitura, Kamila também cultiva o hábito da escrita: ela mantém um blog de crônicas na internet. A inspiração vem das próprias leituras: “misturo algumas partes da minha história com coisas que já li antes. Consigo escrever um texto em 10 ou 15 minutos”. Engana-se, entretanto, que ela ser seguir carreira de escritora. O objetivo dela é ser psicóloga e “seguir o exemplo de Augusto Cury, que trabalha com psicologia e também escreve”.

O segredo para manter ler e escrever tanto? A dica de Kamila é desativar as notificações do celular (as de redes sociais principalmente) e procurar um ambiente sem distrações, como computador e televisão. “Eu fico com meu celular junto comigo para anotar alguns pontos do livro, mas desativo tudo para ficar concentrada”. Fica a dica!

Posto de combustíveis cria biblioteca com livros para empréstimo ou doação

0

Gabriel Pietro, no Razões para Acreditar

Os motoristas que passam para abastecer o veículo no Auto Posto Vicente Machado, em Curitiba (PR), se deparam com uma estante com mais de 50 livros disponíveis para empréstimo gratuito ou doação.

As obras são bastante diversas, pois são fruto de doações de dezenas de pessoas. O objetivo da ‘biblioteca’, que funciona dentro da loja de conveniências, é promover a leitura dos títulos que estavam pegando poeira, esquecidos dentro de caixas e porões.

A iniciativa é do proprietário do posto, Luiz Antonio Teixeira, 52 anos. “Eu tinha uns livros lá em casa e percebi que, depois de ler uma ou duas vezes, só ficariam parados na estante. Por isso, vi que outras pessoas poderiam aproveitar também aquele conteúdo e decidi colocar no posto”, conta.

Em média, a estante conta com um acervo de 50 a 80 exemplos. Os clientes e funcionários do estabelecimento têm plena liberdade para devolver – ou não – os livros escolhidos. “Não temos controle e não obrigamos a pessoa a devolver. A única coisa que pedimos é que as pessoas doem também, porque se não ficamos sem opções na estante”, explica Luiz.

Quase 800 livros passaram pela estante da loja de conveniências desde que o projeto foi implementado, há seis meses.

Luiz não tem um número exato, mas estima que entram e saem cerca de 15 livros ao dia. “Esse giro é automático e o número varia muito de acordo com o dia. No fim de semana, por exemplo, tem muito jovem que frequenta o posto e aproveita para levar um livro”, relata.

Em cada exemplar disponibilizado, há um carimbo de uma frase dizendo que o livro é fornecido gratuitamente. Nele, ainda há o pedido de que caso o cliente consiga devolvê-lo, os futuros leitores agradecem.

Luis Teixeira, proprietário do posto de combustíveis Vicente Machado, montou uma biblioteca dentro da loja de conveniências

O proprietário diz que os motoristas de aplicativo são os que mais fazem uso dos livros, ao lado das pessoas que trabalham próximo ao posto. “A minha ideia é que os clientes desfrutem daquilo. Estou tentando estimular a leitura”, destaca.

Doação de Livros

Quando a iniciativa começou, em abril, Luiz pegava livros do seu próprio acervo pessoal. Com o passar do tempo, começou a pedir doações de vizinhos, aproveitando o grupo de WhatsApp do condomínio onde mora.

“Eles abraçaram a ideia e doaram muitos exemplares, consegui quase 300”, lembra o empresário, que também é o síndico do prédio.

Leia também: Coletor de lixo monta biblioteca com livros descartados e ministra palestras em escolas

Até a biblioteca se sustentar sozinha, Luiz precisava correr atrás de doações constantemente, para manter a estante cheia. Hoje, ele afirma não enfrentar mais esse problema e acredita que os clientes entenderam o objetivo da ação.

Aqueles que desejarem doar um livro ou pegar algum exemplar para ler, basta ir até o Auto Posto Vicente Machado. O estabelecimento fica no cruzamento das ruas Vicente Machado e Brigadeiro Franco, no Centro de Curitiba.

Fonte: Gazeta do Povo/Fotos: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Go to Top