Contando e Cantando (Volume 2)

Finlândia tem hotel inspirado na série ‘Game of Thrones’

0

Crédito: DivulgaçãoToda a decoração do hotel remete a personagens e símbolos de ‘Game of Thrones’

No interior dos quartos, as temperaturas chegam a -5ºC

Publicado no Catraca Livre

É fã de carteirinha de “Game of Thrones”? Então pode ir preparando o passaporte. Até o dia 21 de abril é possível se hospedar em um hotel na Finlândia inspirado na série da HBO.

O Lapland Hotels SnowVillage, localizado em Kittilä, na Finlândia, é feito todo de gelo e repleto de símbolos que rementem ao seriado inspirado nos livros de George R.R. Martin.

O hotel, que só funciona no inverno no hemisfério Norte, tem 24 quartos temáticos projetados por artistas finlandeses, russos, ucraniano, poloneses e letões.

No interior dos quartos, as temperaturas chegam a -5ºC. O Lapland Hotels SnowVillage conta ainda com restaurante e bar de gelos.

Foram usados na ‘construção’ do hotel cerca de 20 milhões de quilos de neve e 350 mil. O empreendimento, em parceria com HBO Nordic, levou cinco semanas para ficar pronto.

As diárias custam a partir de € 320. Quem não quiser ficar hospedado, o hotel oferece tours guiados com ingressos a €17,50 (adultos) e €10 (crianças).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Rua do Medo | Kiana Madeira e Olivia Welch irão estrelar trilogia baseada nos livros de R.L. Stine

0

Autor é conhecido por escrever ficções de terror como “Goosebumps”.

Weider Gabriel, no Cinema com Rapadura

Segundo informações do Collider, as atrizes Kiana Madeira (“Giant Little Ones”) e Olivia Welch (da série “Modern Family”) irão estrelar a trilogia “Rua do Medo”, baseada nos livros homônimos do escritor R.L. Stine, conhecido também por escrever ficções de terror como “Goosebumps“.

Detalhes do enredo estão sendo mantidos em sigilo, mas segundo fontes do Collider, Madeira e Welch irão interpretar duas adolescentes lésbicas que estão tendo um relacionamento quando são alvos dos horrores de sua pequena cidade, Shadyside. Cada atriz interpretará dois personagens diferentes – um em meados dos anos 1990 e outro em 1600, quando lésbicas enfrentam adversidades e difamações ainda maiores – e ambas estão cotadas para aparecer nos três filmes.

Leigh Janiak (“Honeymoon”) vai dirigir o primeiro e o terceiro filme da trilogia, enquanto Alex Ross Perry (“Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível”) dirigirá o segundo. O roteirista da sequência ainda não foi anunciado, mas espera-se que Janiak seja creditada.

A trilogia de “Rua do Medo” ainda não possui data de estreia.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Escritores da série de TV ‘O Senhor dos Anéis’ são protegidos por seguranças na Amazon

0

Esquema de segurança tenta impedir que os fãs descubram o que vai acontecer na primeira temporada da franquia baseada nos livros de J.R.R. Tolkien

Publicado na Época Negócios

A nova série de TV “O Senhor dos Anéis”, produzida pela Amazon, está sendo mantida a sete chaves — a proteção inclui guardas e um sistema de leitor biométrico. Tamanho cuidado com a segurança serve para impedir que os fãs descubram o que vai acontecer nos episódios da franquia baseada nos livros do escritor britânico J. R. R. Tolkien.

Em entrevista ao The Hollywood Reporter, a diretora do Amazon Studios, Jennifer Salke, afirmou que a primeira temporadora do LotR TV — como a série será chamada — “está mais isolada do mundo do que o personagem Gollum em sua caverna.”

Segundo a executiva, foi agendada uma reunião entre ela, o CEO da Amazon, Jeff Bezos, o vice-presidente sênior de desenvolvimento de negócios, Jeff Blackburn, e alguns integrantes da empresa em Nova York (EUA) para “apresentar um pouco da arte e do trabalho criativo da série, que ainda não foram mostrados ao mundo.”

Jennifer acrescentou que a sala onde os escritores estão trabalhando é trancada com chave e monitorada por seguranças do lado de fora, além de possuir sistema de segurança por biometria. “Há uma fantástica sala de escritores trabalhando a sete chaves. A equipe está produzindo um material realmente bom. Há um guarda que fica do lado de fora, e você tem que passar por um sistema biométrico para entrar lá, porque o trabalho realizado na sala envolve toda a temporada da série”, disse ao site.

O sigilo em relação às produções de filmes e séries de TV de grande orçamento não é novidade. O elenco de Game of Thrones, da HBO, supostamente tem que lidar com cenas falsas e scripts digitais que desaparecem após as filmagens. A estrela da série, Sophie Turner, disse ao GizModo que a HBO teria algum tipo de dispositivo para derrubar drones que tentavam monitorar as filmagens.

Aos fãs da trilogia de J.R.R. Tolkien, resta apenas ter paciência e continuar relendo os livros até a exibição da série – ainda sem data confirmada de lançamento.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

A loja dos livros impossíveis

0

Conhecida como a ‘loja dos livros impossíveis’ a Livraria Simples, em SP, quer ser um ponto de cultura e é a segunda da série ‘Livrarias do Brasil’

Talita Facchini, no Publishnews

Na segunda matéria da série Livrarias do Brasil, que quer mapear e apresentar iniciativas de livrarias independentes Brasil adentro, o PublishNews foi conhecer de perto a Livraria Simples, a “loja dos livros impossíveis” e que tem como objetivo ser um ponto de cultura e causar impacto social.

Localizada na Bela Vista (Rua Rocha, 259), bairro da região central de São Paulo, a história da livraria começou mesmo na Mooca, em 2016, quando dois amigos, Adalberto Ribeiro e Felipe Faya, juntaram seus acervos e começaram a vender livros para os amigos. Meses depois, a livraria mudou de lugar e tomou os cômodos de uma casa na Bela Vista, com livros do chão ao teto, um ar intimista e um jardim para quem quiser ler um livro ou apenas passar o tempo.

“Fizemos 80% da mudança em um fusca, o resto foi com o carro emprestado da mãe do Felipe, ou seja, fizemos tudo com um Fusca e um Corsa”, conta Adalberto, que trabalha com livros desde os 16 anos. O visual da livraria também foi construído aos poucos e com a ajuda de vários amigos: móveis usados, estantes de madeira reutilizadas, muito garimpo, cada item veio de um lugar diferente e ajudou a construir um ambiente aconchegante e que pudesse acolher o leitor.

Na casa, junto com a livraria funcionam dois outros projetos: uma tabacaria – a Marajó Tabaco – e o acervo do artista Otavio Roth, por isso a ideia de ser mais que uma simples livraria e se tornar um ponto de cultura.

Já o acervo começou com 900 livros – 700 de Adalberto e outros 200 de Felipe – e agora já conta com 11 mil exemplares. Segundo Adalberto, ele continua crescendo e se modificando todos dias. “Nosso acervo se move muito com base na demanda que recebemos, se qualquer pessoa vier aqui e perguntar se temos um livro específico, sistematicamente vamos responder que não, mas que podemos conseguir. Independente do livro que seja, se está esgotado há muito tempo, se é um livro de outro país, um livro em japonês, dificilmente vamos falar que não temos e ficar por isso mesmo”, explica deixando claro o porquê da alcunha de “loja dos livros impossíveis”.

A ideia da Simples é ser um espaço democrático, um ambiente agradável para dar acesso ao maior número de pessoas. “Nossa ideia foi criar um ambiente em que as pessoas não se sintam acanhadas de entrar. O importante é a nossa marca ficar na cabeça das pessoas e quando elas pensarem em comprar alguma coisa elas venham comprar com a gente”, conta Alberto.

Para ficar na cabeça das pessoas, tem que ser diferente e se fazer presente de alguma maneira. Além do ambiente, a livraria viu nos seus pacotes uma maneira de chamar atenção e ir para a casa do leitor junto com o livro comprado. “Os pacotes começaram desde o início, temos várias empresas parceiras da livraria que fazem as coisas acontecerem e a Veio na Mala é uma delas, que desde o começo fornecem os carimbos pra gente”, explicou. Junto com os pacotes personalizados a Simples acertou também no modo de administrar as redes sociais, e com legendas divertidas e imagens bem feitas, o Instagram da loja já faz sucesso. “Ele é muito divertido e dá muito trabalho, mas daria mais ainda se não fosse do jeito que é”, brinca Adalberto. “Ele tem essa coisa meio “tosca”, mas é divertido, chama atenção e dá um resultado muito legal, acho que conseguimos acertar na verdade”.

Outra ação da livraria são as entrevistas feitas com os moradores do bairro e foi o modo que a Simples encontrou de fazer parte da comunidade. Já passaram por lá o garçom do boteco da esquina, a dona do brechó da rua e até um bailarino poliglota com muita história para contar e cultura para compartilhar. As entrevistas são postadas no Instagram da loja para todo mundo poder acompanhar.

Adalberto Ribeiro, Felipe Faya, Felipe Berigo e Aline Tiemi, os nomes por trás da Simples sabem que têm que fazer muito com pouco se quiserem crescer. “Simples é o contrário do fácil”, lembra Adalberto, e junto com a vontade de fazer mais, surgiu em novembro passado a oportunidade de fazer parte da programação paralela do Sesc Paulista.

A partir daí surgiu a Feira de Trocas que ficou por lá durante dois meses, mas que deu tão certo que os sócios sentiram a necessidade de torna-la recorrente. “Conseguimos ainda juntar a troca de livros com o projeto do Otavio Roth. Quando vivo, ele tinha um projeto que chamava Árvore, em que crianças do mundo inteiro desenhavam em papéis no formato de folhas. A ideia dele era conseguir um milhão de papeizinhos, e com as feiras retomamos esse projeto. Realizamos uma oficina em que as crianças vão lá, desenham nas folhas e ganham um livro”. Para quem quiser ver a exposição, Liberdade para respirar, é só visitar o Sesc Bom Retiro.

Sobre os planos para o futuro, Adalberto não fala em números, para ele, o impacto social que a livraria pode causar é mais importante do que o lucro em si. E sobre sonhos, ele também prefere guardar segredo por enquanto, mas a ideia, é sempre se fazer presente. “‘Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho’, essa frase da Clarice Lispector acho que resume bem, ela combina muito com o nome da livraria e como levamos nosso trabalho”, lembra Adalberto.

A Livraria Simples funciona de segunda a sábado, das 10h às 18h, e de vez em quando aos domingos e feriados, como a própria página da loja já avisa.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Book of Enchantment | Série de TV sobre vilões da Disney é oficializada

0

Projeto será desenvolvido no Disney+

Arthur Eloi, no Omelete

A série de TV dos vilões da Disney no Disney+ foi oficializada: o projeto se chama Book of Enchantment, e é uma adaptação da saga de livros de Serena Valentino. A informação é do Deadline.

Segundo o site, o projeto está em desenvolvimento há seis meses. Michael Seitzman, de Quantico e Code Black, é o roteirista do piloto e da bíblia de roteiro do seriado. Agora, a produção busca outros escritores para compor a sala de roteiristas do seriado.

Ainda assim, o relato não deixa claro se o seriado será live-action ou algo diferente. Seja como for, Steve Pearlman (V, Once Upon a Time), produz o programa.

Não há previsão de estreia para Book of Enchantment.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Go to Top