livros

11 livros para fugir das multidões no mês do Carnaval

0

Nossa lista de dicas literárias de fevereiro foi feita pensando em você, que prefere aproveitar o calorão e a folia de forma mais tranquila. Confira!

Giuliana Viggiano, na Galileu

Nem todo mundo gosta de curtir fevereiro ouvindo marchinhas de Carnaval em meio a multidões, né? Pensando nessas pessoas (e também em quem quer variar entre a folia e uma boa leitura), separamos alguns livros bacanas para os fãs de literatura. Confira:

Recursão, de Blake Crouch (Intrínseca, R$ 59,90, 320 páginas)
A vida do detetive Barry Sutton vira de cabeça para baixo quando ele encontra uma mulher que tem a Síndrome da Falsa Memória, uma doença que implanta lembranças falsas na mente da pessoa. Em paralelo, a neurocientista Helena Smith é agraciada com um patrocínio para sua pesquisa em busca da cura do Alzheimer.

Quando as histórias desses dois se cruzam por conta de uma conspiração, o detetive e a cientistas percebem que o conceito de tempo não é o mesmo hoje do que qual conheciam anteriormente. Em uma história eletrizante, Blake Crouch mostra todo seu talento, levando o leitor a refletir sobre o mundo e sobre si mesmo.

Identidade das nações, com organização de Peter Furtado (Edições Sesc, R$ 68, 296 páginas)
Para organizar essa coletânea, Peter Furtado contou com a ajuda de pesquisadores de diferentes países do mundo, que escreveram um pouco sobre suas respectivas nações de origem. Uma boa pedida para quem curte história, geografia e política.

A guerra pela Uber, de Mike Isaac (Intrínseca, R$ 59,90, 464 páginas)
A trajetória da start up que mudou a forma como nos locomovemos é analisada nesse livro, escrito pelo jornalista Mike Isaac, do The New York Times. Além de falar sobre as origens e o impacto da Uber no mundo, o autor traz informações exclusivas sobre o funcionamento da empresa e apresenta os desafios que seus funcionários e CEOs ainda enfrentam.

O livro dos humanos, de Adam Rutherford (Record, R$ 39,90, 252 páginas)
O que nos diferencia das outras espécies de animais? Foi buscando responder essa questão que Adam Rutherford escreveu O livro dos humanos. Na obra, além de analisar a genética do Homo sapiens, o autor aborda diferentes habilidades tidas como essencialmente humanas, como a fala e o arrependimento, e procura comportamentos semelhantes em outras espécies. Uma boa pedida para os fãs de biologia.

Entre dois mundos: Oblivion Song, de Robert Kirkman, Lorenzo de Felici e Annalisa Leoni (Intrínseca, R$ 49,90, 136 páginas)
Esse é o segundo volume dos quadrinhos criados por Robert Kirkman, a mente por trás da história que deu origem à série de sucesso The Walking Dead. Em um futuro distópico, um cientista é o único que ainda busca pelas vítimas do enfrentamento entre a nossa sociedade e seres monstruosos de outro mundo.

Nós & eles, de Bahiyyih Nakhjavani (Dublinense, R$ 49,90, 304 páginas)
Nessa obra sensível e bem escrita, a escritora iraniana Bahiyyih Nakhjavani conta a história das três gerações de mulheres de uma família que vive em seu país natal. Narrado na primeira pessoa no plural, Nós & eles relata as dificuldades e a força dessas mulheres que, apesar de fictícias, passam por situações reais para as moradoras do Irã.

Dionísio em Berlim, de Tiago Novaes (Dedalus Editorial, preço sob consulta, 132 páginas)
Cinco narradores trazem perspectivas diferentes sobre o mesmo personagem: Dionísio, deus grego do vinho, das festas e do teatro. De forma poética, Tiago Novaes apresenta novas versões dessa entidade mitológica tão importante para o desenvolvimento da nossa sociedade.

Sobre os ossos dos mortos, de Olga Tokarczuk (Travessa, R$ 59,90, páginas)
Um suspense eletrizante, esse livro consagrou a vencedora do Prêmio Nobel de literatura de 2018 Olga Tokarczuk como uma das grandes autoras do século 21. A história se passa em uma remota vila polonesa, onde a protagonista, Janina, trabalha como tradutora e caseira de casas de verão.

A mulher é famosa na região por amar estudar astrologia — e por simpatizar muito mais com animais do que com seres humanos. Sua personalidade reclusa se torna um problema quando uma série de assassinatos macabros começam a ocorrer no vilarejo.

Janina decide investigar os acontecimentos, pois tem certeza de que sabe quem é o autor dos crimes. Nessa obra, o leitor é levado a uma jornada que mistura investigação policial com um intenso suspense psicológico.

Ela disse: Os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo, de Jodi Kantos e Megan Twohey (Companhia das Letras, R$ 49,90, 376 páginas)
Nessa obra, as jornalistas Jodi Kantos e Megan Twohey contam como conseguiram conquistar a confiança de diversas mulheres e testemunhas para darem vida à reportagem que revelou os abusos sexuais perpetrados pelo produtor Harvey Weinstein. Além de ser uma aula para os fãs de jornalismo, a obra discute os impactos do texto que iniciou o movimento #MeToo, além de reflexões das próprias autoras sobre o trabalho.

Os segredos que guardamos, de Lara Prescott (Intrínseca, R$ 59,90, 368 páginas)
Durante a Guerra Fria, quando Doutor Jivago, de Boris Pasternak, foi submetido à União de Escritores Soviéticos, o livro foi banido por conter alegações críticas ao regime. Isso deu origem a uma operação ilegal na qual as cópias da obra foram impressas na Holanda e contrabandeadas para a União Soviética por espiões norte-americanos.

É nesse contexto que a narrativa fictícia de Os segredos que guardamos acontece. Na obra, Lara Prescott conta as peripécias de uma das espiãs responsáveis por divulgar Doutor Jivago, refletindo sobre o regime da época e trazendo insights sobre a vida das mulheres daquela época.

Até que a morte nos ampare, de Marcos Martinz (Skull, preço sob consulta, 68 páginas)
A noiva cadáver Rosinha está condenada a reviver o dia de sua morte para todo o sempre — ou até alguém descobrir quem é seu assassino. Como ajudá-la? Lendo o livro, é claro.

Cancelada pela Netflix, Anne with an E tem final surpreendente nos livros; conheça

0

A autora escreveu oito livros sobre a personagem – Divulgação/Netflix

A nova adaptação foi finalizada na terceira temporada

Publicado no Exitoína

lerta para spoilers! A série Anne With An E conquistou rapidamente o público com três temporadas e acumulou milhares fãs ao redor do mundo. Mas essa história não é recente, a trama que acompanha a jovem órfã em Green Gables é baseada em uma série de livros escritos por L. M. Montgomery em 1908.

Diferente da série da Netflix lançada em 2017, que encerrou a história de Anne Shirley no momento em que ela entra na Queen’s College, os suas trajetória vai muito além. A personagem viveu muitas aventuras até a vida adulta ao longo de em seis livros.

Nas sequencias Anne of Avonlea, Anne of the Island, Anne of Anne’s House of Dreams, Rainbow Valley e Rilla of Ingleside, acompanhamos a ruiva realizando o seu grande sonho de ser professora. Se destacando dos outros alunos, ela ganha uma bolsa de estudos por ser a melhor aluna de Inglês. Esta bolsa permite que personagem termine sua graduação em Redmond.

Mas a vida da protagonista nunca foi fácil e nos livros seguintes isso não muda. Com Matthew infartando ao descobrir que o banco onde tinha todo seu dinheiro faliu, Anne desiste da bolsa para ajudar em casa a cuidar de Marília, que está perdendo a visão.

É nesse momento crucial que sua relação rivalidade com Gilbert Blythe passa por chega ao fim. Diferente da trama da Netflix, ele também se torna um professor, e nos livros desiste de seu cargo na escola de Avonlea para que Anne possa ocupá-la, ajudando a jovem a trabalhar perto de casa.

A adaptação mais recente da TV adiantou o namoro entre Anne e Gilbert, mas com o cancelamento da produção, não houve tempo de decorrer fielmente a relação do casal. Na história original, Anne só descobre anos mais tarde, quando o protagonista fica muito doente, que sempre foi apaixonada ele. A longa saga de Anne é finalizada quando ela está casada com seu grande amor e possui sete filhos.

HarperCollins lança pré-venda do livro ‘Os Filhos de Húrin’ de J.R.R. Tolkien

0

Miguel Oliveira, em O Vício

Continuando suas publicações do autor de O Senhor dos Anéis, J.R.R. Tolkien, a editora HarperCollins lançou a pré-venda do livro ‘Os Filhos de Húrin’, que além da capa dura, conta com um pôster para os fãs. Confira:

Depois da publicação de O Silmarillion, Os Filhos de Húrin é o trabalho seguinte de Christopher Tolkien como editor e curador dos manuscritos de seu pai, J.R.R. Tolkien. O livro é o terceiro dos Três Grandes Contos dos Dias Antigos e, assim como A Queda de Gondolin e Beren e Lúthien, conta com ilustrações de Alan Lee.Seis mil anos antes de o Um Anel ser destruído, a Terra-média é assombrada por Morgoth, o Primeiro Senhor Sombrio, senhor e mestre de Sauron. Húrin, um poderoso guerreiro da raça humana se recusa a trair os Elfos e, por isso, ele e sua família são amaldiçoados. Assim, os destinos de Túrin e de sua irmã Niënor são tragicamente entrelaçados. Em tom épico e trágico, a narrativa foi inspirada nas mitologias grega, finlandesa e escandinava. Seus personagens, reconhecivelmente humanos, seguem determinados a resistir, mesmo sem a menor esperança de triunfar.

Os livros contam com nova tradução e novo formato. Desta vez, eles são traduzidos por Reinaldo José Lopes, um leitor e fã de Tolkien. As novas edições prometem trazer vários aspectos que foram deixados de lado na tradução anterior, além de buscar por um tratamento merecido para a obra.

10 livros para ler em janeiro e curtir o verão

0

(Foto: Pixabay)

Selecionamos lançamentos da literatura para você começar o ano com uma boa leitura

Giuliana Viggiano, na Galileu

Para quem curte aproveitar o verão para tirar o atraso nas leituras, poucas coisas são tão agradáveis quanto ler um bom livro à beira da piscina ou com vista para o mar. Pensando nessas pessoas — mas também em quem prefere aproveitar os dias quentes no ar-condicionado — separamos algumas indicações de leituras para o mês. Confira:

1. Posso pedir perdão, só não posso deixar de pecar, de Fernanda Young (LeYa, 160 páginas, R$ 45)
Após a primeira menstruação, a forma com que uma jovem vê o mundo muda radicalmente. Esse é o centro de Posso pedir perdão, só não posso deixar de pecar, primeiro livro escrito por Fernanda Young, aos 17 anos. A autora, que morreu no dia 25 de agosto de 2019, ficou conhecida por seu trabalho como roteirista de TV, escrevendo programas como “Os Normais” e “Minha nada mole vida”.

2. VHS: Verdadeiras histórias de sangue, de Cesar Bravo (DarkSide, 288 páginas, R$ 49,90)
A cidadezinha de Três Rios, no interior paulista, era um lugar um tanto sinistro entre os anos de 1985 e 1995. Dividido em contos, VHS conta algumas dessas histórias bizarras e assustadoras que ocorreram no período, deixando vestígios que assombram seus moradores até hoje.

3. Melpômene, de Heródoto (Edipro, 192 páginas, R$ 59,90)
Este livro é uma adaptação dos escritos de Heródoto, historiador grego que viveu entre 485 a.C. e 425 a.C. A obra traz informações sobre como era a vida no Império Persa, além de relatos sobre a cultura dos citas e dos líbios que viveram antes de seu tempo.

4. Um conto de Natal, de Charles Dickens (Antofágica, 312 páginas, R$ 49,90)
Há quem diga que esta obra de Charles Dickens criou o Natal como o conhecemos hoje. Publicado em 1843, o livro conta a história de Scrooge, um homem avarento que vê a data comemorativa como um desperdício de tempo e dinheiro.

Isso muda quando, em uma noite natalina, o fantasma de seu ex-sócio vem visitá-lo e conta que outros três espíritos aparecerão para apontar seus erros do passado, do presente e do futuro.

5. O milagra da manhã, de Hal Elrod (BestSeller, 400 páginas, R$ 59,90)
Neste livro, o norte-americano conta como sua rotina matutina o ajudou a superar as dificuldades que surgiram em sua vida após um acidente de carro que o deixou paraplégico. Essa edição em particular conta com um diário, que permitirá ao leitor exercitar os ensinamentos aprendidos na obra.

(Foto: Pixabay)

6. Planeta dos insetos, de Anne Sverdrup-Thygeson (Matrix, 192 páginas, R$ 42)
A vida na Terra como conhecemos hoje só é possível graças a um grupo de animais que causa repulsa em muita gente: os insetos. Nesse livro, Sverdrup-Thygeson conta detalhes da vida desses seres vivos e explica como sua existência é essencial para a nossa sobrevivência.

7. A ilha do tesouro, de R. L. Stevenson (Antofágica, 368 páginas, R$ 69,90)
Jim Hawkins adora contos de marinheiros, mas, na hospedaria em que vive com seus pais, ele está longe de viver essas histórias na vida real — até agora. Pouco depois de um capitão se hospedar no local, um mapa do tesouro cai em suas mãos, e Hawkins não perderá a oportunidade de viver essa aventura.

A obra, publicada em 1883, é um clássico da literatura de ficção mundial. Nessa nova edição da Antogáfica, A ilha do tesouro é recontada com o auxílio de ilustrações, notas de rodapé e textos de apoio.

8. Meditações, de Marco Aurélio (Edipro, páginas 160, R$ 34,90)
Neste livro o leitor encontrará anotações pessoais feitas por Marco Aurélio, que governou o Império Romano entre os anos de 170 e 180. A obra permite compreender melhor o que se passava na cabeça de um cidadão da época — e de uma das figuras políticas mais notáveis da história.

9. A história de Jesus para quem tem pressa, de Anthony Le Donne (Valentina, 208 páginas, R$ 34,90)
Acreditando ou não na existência de Jesus, esta é uma leitura interessante para quem deseja conhecer mais sobre as diversas facetas dessa figura histórica. Além de contar os feitos do messias no Cristianismo, o livro traz informações sobre como outras culturas ao redor do mundo (como os vikings) lidaram com a figura de Jesus com o passar do tempo.

10. Tire do projeto do papel com Scrum, de Alexandre Magno (LeYa, 144 páginas, R$ 29,90)
Para quem curte negócios, esse livro é uma boa indicação. Nele, Alexandre Magno ajuda o leitor a compreender como funciona o método Scrum e a melhor forma de aplicá-lo no dia a dia.

Bill Gates recomenda estes 5 livros para começar bem o ano

0

BILL GATES: pelo quarto ano consecutivo, fundador da Microsoft lidera lista da revista Forbes / https://exame.abril.com.br/noticias-sobre/trabalho-em-equipe/ (./Getty Images)

O bilionário e filantropo fez uma seleção de livros que acredita que todos irão gostar e que são ótimos para a virada do ano

Luisa Granato, na revista Exame

São Paulo – Para quem vive na correria do dia a dia e não sobra muito tempo para leituras mais profundas, todos os anos o fundador da Microsoft Bill Gates faz uma seleção de livros que leu naquele ano e que recomenda.

Segundo Gates, em 2019 ele inconscientemente priorizou livros de ficção, explorando outros mundos.

O bilionário e filantropo fez uma seleção de cinco livros que acredita que todos irão gostar e que são ótimos para a virada do ano.

1. An American Marriage, de Tayari Jones | Um casamento americano (editora Arqueiro)

Gates conta que o romance sobre um casal negro do sul americano cujo casamento é ameaçado por injustiças foi recomendação de sua filha. A leitura é boa para se envolver na história de amor e criar empatia pelos diferentes personagens.

2. These Truths, de Jill Lepore

A historiadora Jill Lepore conta a história dos Estados Unidos em 800 páginas. Segundo Gates, a obra tem o diferencial de utilizar pontos de vista diversos na narrativa.

3. Growth, de Vaclav Smil

Gates confessa que Vaclav Smil é um de seus autores favoritos e que esperava seu novo livro como muitos esperam pelo novo filme de Star Wars. O professor investiga o crescimento na natureza e na sociedade, desde microorganismos até impérios e civilizações.

4. Prepared, de Diane Tavenner

Sendo educação uma das paixões do bilionário, não poderia faltar uma recomendação no tema. O livro fala sobre preparar os filhos para a vida após o ensino médio, a autora faz um guia de como ajudar os jovens a seguir seu caminho na vida e para a faculdade.

5. Why We Sleep, de Matthew Walker | Por que nós dormimos: A nova ciência do sono e do sonho (editora Intrínseca)

Segundo Gates, esse é apenas um dos livros sobre comportamento humano que ele leu no ano, mas ele acredita que “Why We Sleep” é o mais interessante e profundo. Gates recomenda o livro para quem deseja ser mais saudável em 2020 e melhorar seus hábitos de sono.

Go to Top