celebridades

Duna | Oscar Isaac deve interpretar o pai de Timothee Chalamet

0

Longa ainda não tem data de lançamento

Fabio de Souza Gomes, no Omelete

Oscar Isaac está em negociações para entrar no elenco do reboot de Duna. Ele vai se juntar ao elenco que conta com nomes como Timothee Chalamet, Rebecca Ferguson, Stellan Skarsgard e Charlotte Rampling. Ele deve interpretar o pai de Chalamet no longa que contará com Denis Vileneuve na direção (Via Variety).

Timothee Chalamet viverá o protagonista Paul Atreides, cuja família aceita controlar o planeta-deserto Arrakis, produtor de um recurso valioso e disputado por diversas famílias nobres. Ele é forçado a fugir para o deserto – com a ajuda de sua mãe, Lady Jessica, que será vivida por Rebecca Ferguson – e se junta à tribos nômades, eventualmente liderando-as por conta de suas habilidades mentais avançadas. Já Dave Bautista será Rabban, sobrinho sádico de um barão que comanda Arrakis e também é chamado de A Besta.

O livro é conhecido como uma das obras mais complexas de ficção científica de todos dos tempos, e já foi adaptado para os cinemas em 1984 por David Lynch. O livro também virou minissérie do canal Syfy em 2000. No Brasil, os livros da franquia Duna são publicados pela Editora Aleph.

O longa ainda não tem data de estreia confirmada.

Anne Hathaway diz que O Diário da Princesa 3 está perto de acontecer!

0

Reprodução/Disney

Renan Lelis, no Poltrona Nerd

Anne Hathaway confirmou ao ET que deve retornar ao papel de Mia Thermopolis em breve. A atriz revelou que o roteiro de O Diário da Princesa 3 está em desenvolvimento.

“Há um roteiro para o terceiro filme. Eu quero fazer. Julie [Andrews] quer fazer. Debra Martin Chase, nossa produtora, quer fazer. Todos nós realmente queremos que isso aconteça”, disse a atriz.

O Diário da Princesa chegou aos cinemas em 2001 ganhando uma sequência O Diário da Princesa 2: Casamento Real em 2004. Ambos os filmes foram dirigidos pelo falecido diretor Gary Marshall.

O filme adapta o livro de Meg Cabot publicado em 2000. A trama original apresentou a tímida adolescente de San Francisco Mia Thermopolis, que ser uma princesa de verdade. Como herdeira da coroa de um pequeno principado europeu, Mia embarca em uma jornada cômica rumo ao trono com a ajuda da rígida e formidável avó, a rainha Clarisse Renaldi, que lha dará “aulas de princesa”.

Livro de Michelle Obama quebra recorde de ‘Cinquenta Tons de Cinza’

0

Michelle Obama lançou livro de memórias em que fala mais sobre si e a vida como primeira-dama. Foto: Pablo Martinez Monsivais/AP

Publicação ocupa a primeira posição da lista há 47 dias

Publicado no Estadão

Pouco mais de dois meses após o lançamento de Minha História, o livro de Michelle Obama quebrou um recorde ao ocupar a primeira posição de livro mais vendido da Amazon em todos os formatos. A publicação está há 47 dias consecutivos no topo da lista, reafirmando o sucesso da ex-primeira-dama dos Estados Unidos.

Até então, o livro recordista com mais dias na primeira posição era Cinquenta Tons de Cinza, escrito por E. L. James e publicado em 2012. O sucesso transformou o livro em um filme, estrelado por Dakota Johnson e Jamie Dornan.

Em Minha História, Michelle Obama traz memórias e reflexões sobre sua trajetória, desde a infância em Chicago, até o tempo em que viveu na Casa Branca.

Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio vão retomar parceria em ‘Killers of the Flower Moon’

0

O ator Leonardo DiCaprio e o diretor Martin Scorsese comparecem à estreia de ‘Ilha do medo’, em 2010 — Foto: Peter Kramer/AP Photo

 

Sexto filme da dupla vai se basear no célebre livro de não ficção do jornalista e escritor David Grann. Trama retrata massacre indígena dos anos 1920 e início das atividades do FBI.

Publicado no G1

O cineasta Martin Scorsese e o ator Leonardo DiCaprio vão voltar a trabalhar juntos no thriller “Killers of the Flower Moon”, anunciou nesta quarta-feira (24) o estúdio Imperative Entertainment em comunicado.

O projeto, baseado no livro homônimo de não ficção lançado em 2017 pelo jornalista e escritor David Grann, será o sexto filme em comum para ambos após “Gangues de Nova York”, “O Aviador”, “Os Infiltrados”, “Ilha do Medo” e “O Lobo de Wall Street”.

“Quando li o livro de David comecei a visualizá-lo imediatamente: as pessoas, os cenários, a ação… Sabia que tinha que transformá-lo em um filme”, disse Scorsese na nota.

“Estou entusiasmado por levar esta perturbadora história americana para a grande tela”, acrescentou.

A trama se desenvolve em Oklahoma durante a década de 1920 e gira em torno dos membros da tribo indígena nação Osage, logo após o descobrimento de poços petrolíferos em suas terras.

Seus integrantes foram assassinados um por um, e o recém criado FBI (polícia federal americana) assumiu a investigação do caso sem imaginar a conspiração que teria que enfrentar.

Scorsese será também produtor do longa junto com Dan Friedkin, Bradley Thomas, Emma Tillinger Koskoff e a Appian Way Productions.

Já o roteiro do filme ficou a cargo de Eric Roth, enquanto a previsão é que as filmagens comecem no verão do próximo ano nos Estados Unidos.

DiCaprio está atualmente rodando “Once Upon a Time in Hollywood”, de Quentin Tarantino, e Scorsese finaliza a pós-produção do drama criminal “The Irishman” para a Netflix.

Copa do Mundo: 5 jogadores do Brasil que possuem livros lançados

0

MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)

Gabu Camacho, no Beco Literário

Você sabia que além de jogadores de futebol, muitos esportistas do Brasil possuem livros lançados? São biografias em sua maioria, que contam desde sua trajetória até lições valiosas que aprenderam na difícil jornada até o estrelato.

Não é comum que estes livros, assim como outras biografias, possuem o que chamamos de ghost-writers, isto é, jornalistas que ouvem todo o relato do perfilado e escrevem a história dando o tom que desejam. O dom da escrita não é para qualquer um, apesar de todos terem boas histórias para contar.

1- Um olho na bola, outro no Cartola (Romário)

As revelações do ex-jogador Romário sobre o crime organizado no futebol brasileiro. Ele foi ídolo do Vasco, Flamengo, Barcelona, de todos os times que jogou. Eleito o melhor jogador do mundo por duas vezes, foi o herói da seleção brasileira que conquistou a Copa do Mundo em 1994, nos Estados Unidos. O “baixinho”, grande responsável pelo tetra, virou um gigante na política. Primeiro, como deputado federal. Em seguida, como o senador com o maior número de votos no estado do Rio de Janeiro, o político Romário vem fazendo tanto barulho no Congresso como fazia nos gramados. Foi ele quem brigou pela criação da CPI que investigou as suspeitas de irregularidades na gestão financeira da CBF e do Comitê Organizador da Copa do Mundo no Brasil, em 2014. Foram dois anos de muitos depoimentos, provas e discussões que levaram ao Fifagate e à prisão de vários cartolas. Neste livro, o agora escritor Romário lembra os grandes momentos de sua carreira, conta como o nascimento de sua filha caçula, Ivy, portadora da síndrome de Down, mudou a sua vida e o levou à política. E revela em detalhes todo o processo da CPI cujo objetivo, segundo ele, era colocar na cadeia quem enriqueceu ilicitamente às custas do esporte de maior apelo popular no planeta.

2- Raí: Auto-Fotobio (Raí)

Raí foi um dos melhores jogadores do mundo ao longo da década de 1990. É ídolo supremo do São Paulo, e também do Paris Saint-Germain, clubes onde fez carreira, em uma trajetória repleta de títulos, incluindo a Copa de 1994, o Mundial de Clubes, duas Libertadores, Copa da Europa, Campeonatos Brasileiros, Franceses, Paulistas e muitos outros. Conquistou tudo o que podia. No livro ‘Raí Auto-Fotobio’, o craque, que acaba de completar 50 anos, conta da infância, da família e da descoberta da vocação e início de carreira, aos 17 anos, no Botafogo de Ribeirão, com a responsabilidade de ser irmão do Dr. Sócrates, grande – e o mais controvertido – jogador da época. Em seguida, repassa a carreira e sua vida pessoal em paralelo, avaliando os privilégios e restrições que essa vida dupla oferece. E chega ao pós-carreira, em que também tem colecionado realizações relevantes como a Fundação Gol de Letra, a Ong Atletas pelo Brasil e a empresa Raí+Velasco. No livro, cada relato é acompanhado de um conjunto de imagens, somando cerca de 100 fotos e reportagens, que permitem ao leitor visualizar a história em campo, nas narrativas da época e em momentos da vida privada de Raí, sendo conduzido por essa sequência integrada de textos e imagens.

3- Casagrande e seus demônios (Walter Júnior Casagrande)

Ricamente ilustrado, com um caderno recheado de fotos, a publicação tem prefácio de Marcelo Rubens Paiva, amigo de sempre, que endossa a hipótese de que tantas coisas boas, e outras tantas ruins, que permearam a vida do ex-jogador dariam um bom roteiro para um livro. “Casão faz questão de contar o inferno que viveu quando era viciado em drogas e sua internação, pois para ele é fundamental passar adiante a experiência, dividir as dores da dependência e alertar para os perigos de um vício frenético, sem preconceitos, desvios ou mentiras. A verdade ajuda a sanidade”.

4- Neymar Jr. de A a Z (Neymar Jr.)

‘Neymar Jr. de A a Z’ é o primeiro livro oficial do ídolo brasileiro. Além de registrar os principais acontecimentos, o livro traz detalhes da vida e da carreira de Neymar de um jeito moderno e irreverente, repleto de fotos. Um gol de placa para os fãs de um dos principais jogadores do mundo na atualidade.

5- Pelé: Minha vida em imagens (Pelé)

Com um sincero depoimento autobiográfico, pontuado por mais de 70 imagens, entre raras e inéditas, o livro ‘Pelé – Minha Vida em Imagens’ condensa a narrativa mítica do garoto franzino de Três Corações, que se transformou no maior jogador de futebol de todos os tempos. Em formato de scrapbook, o volume traz uma série de ítens de colecionador que podem ser destacados e guardados pelo leitor, como ingressos dos principais jogos, o cartaz da Copa do Mundo de 1958, recortes de jornais da época e até um ofício da Casa Branca que trata da visita de Pelé ao presidente Nixon. As imagens são um espetáculo à parte e retratam lances memoráveis do jogador: a seqüência do gol de número 1.000, o retrato de Pelé feito pelo artista Andy Warhol, em 1977, e o abraço no amigo Muhammad Ali na cerimônia de sua despedida definitiva do futebol. A edição traz ainda um apêndice que elenca todos os gols que Pelé marcou no decorrer da carreira, divididos por ano, data, time e adversário.

Go to Top