Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged lista

Suzanne Collins anuncia novo livro de Jogos Vorazes para 2020

0

Mariana Moebus, no Poltrona Vip

“E que a sorte esteja sempre ao seu favor”

A sorte definitivamente está do lado dos fãs da saga Jogos Vorazes! Suzanne Collins, escritora da trilogia, anunciou, nesta segunda-feira, o lançamento de um novo livro do universo “Jogos Vorazes”, para 2020. Suzanne ainda não revelou o título do romance, mas afirmou em comunicado que irá explorar os anos seguintes aos chamados “Dark days”.

“Com este livro, eu queria explorar o estado da natureza, quem somos e o que percebemos é necessário para nossa sobrevivência. O período de reconstrução 10 anos após a guerra, comumente referido como os Dias Sombrios – enquanto o país de Panem se recupera – fornece terreno fértil para os personagens lidarem com essas questões e, assim, definirem suas visões da humanidade“, disse Collins.

O primeiro livro, que também dá nome a saga, foi lançado em 2008 nos Estados Unidos e logo entrou na lista de mais vendidos do The New York Times. O romance recebeu crítica positiva de escritores consagrados, como Stephen King e John Green. Os outros dois livros, “Em chamas” (2009) e “Esperança” (2010), tiveram recepções parecidas e também figuraram como best sellers.

O sucesso chegou as telas dos cinemas em 2012. Distribuída pelo estúdio Lions Gate, a série de filmes foi dividida em quatro, iniciada em “Jogos Vorazes” e finalizada em “Esperança – parte 2”. Os filmes entraram na lista de maiores bilheterias da história e impulsionaram ainda mais a venda dos livros.

A trama conta a história de Katniss Everdeen, e se passa em um mundo pós-apocalíptico, na nação chamada Panem. Divididos em 12 distritos, os moradores se veem reféns da Capital, cidade ocupada pela elite. Após uma revolução fracassada, o governo instaura o chamado “Jogos Vorazes”, torneio anual onde dois cidadãos de cada distrito, um homem e uma mulher de até 18 anos, são colocados em arenas temáticas. O jogo sádico só termina com um dos participantes vivo.

O novo livro tem data de lançamento marcada para 19 de maio de 2020. Mal podemos esperar!

‘A Sútil Arte de Ligar o Foda-se’ lidera lista de livros mais vendidos da Amazon

0

Vitor Paiva, no Hypeness

A autoajuda segue em alta no Brasil, mas no lugar dos incentivos pessoais de superação, pela via da inspiração, da espiritualidade ou mesmo do autoconhecimento foi substituído por um sonoro e sincero foda-se. O perdão pelo termo se torna impossível, já que ele está no título do livro mais vendido pela Amazon no país: “A Sutil Arte de Ligar o F*da-se”, de Mark Manson, liderou as listas dos livros mais vendidos tanto entre os impressos quanto nos digitais. A lista também traz livros como “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg, e “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade”, de Yuval Noah.

Somente dois esperados títulos de ficção adentraram as listas: “O Conto de Aia”, livro no qual a série “Handmaid’s Tale” foi inspirada, e o box com os livros do Harry Potter, entre os impressos, e nos digitais com as Obras Completas de Machado de Assis e “Os Grandes Romances de Dostoiévski”. Machado não é o único brasileiro a constar nas listas: há também a youtuber Nathalia Arcuri, com seu livro “Me Poupe!”, o terceiro mais vendido entre os impressos, e o décimo digital mais vendido.

O campeão, Mark Manson

O título campeão procura inverter quase que completamente a lógica dos livros de autoajuda: no lugar da pressão pelo sucesso e a busca incessante pela felicidade irrestrita, Manson propõe, em termos gerais, a admissão de que não somos tão especiais, e que devemos procurar o que é realmente importante na vida – e ligar um imenso foda-se para o resto. Assim, conseguiríamos algo realmente transformador, e não uma felicidade maquiada.

LIVROS IMPRESSOS

1 – “A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se”, por Mark Manson (Intrínseca)
2 – “O Milagre da Manhã”, por Hal Elrod (BestSeller)
3 – “Me Poupe!: 10 Passos Para Nunca Mais Faltar Dinheiro no seu Bolso”, por Nathalia Arcuri (Sextante)
4 – “O Poder do Hábito: Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e nos Negócios”, por Charles Duhigg (Objetiva)
5 – “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade”, por Yuval Noah (L&PM)
6 – “Mindset: A Nova Psicologia do Sucesso”, por Carol Dweck (Objetiva)
7 – “O Conto da Aia”, por Margaret Atwood (Rocco)
8 – “Os Segredos da Mente Milionária”, por T. Harv Eker (Sextante)
9 – “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, por Dale Carnegie (Nacional)
10 – “Caixa Harry Potter – Edição Premium”, por J.K. Rowling (Rocco)

LIVROS DIGITAIS

1 – “A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se”, por Mark Manson (Intrínseca)
2 – “O Poder do Hábito: Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e nos Negócios”, por Charles Duhigg (Objetiva)
3 – “Mindset: A Nova Psicologia do Sucesso”, por Carol Dweck (Objetiva)
4 – “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade”, por Yuval Noah (L&PM)
5 – “O Milagre da Manhã”, por Hal Elrod (BestSeller)
6 – “PROCRASTINAÇÃO: Guia Científico Sobre Como Parar de Procrastinar (Definitivamente)”, por Lilian Soares (Amazon)
7 – “Obras Completas de Machado de Assis I: Romances Completos (Edição Definitiva)”, por Machado de Assis (Nova Aguilar)
8 – “Os Grandes Romances de Dostoiévski”, por Fiódor Dostoiévski (Amazon)
9 – “Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã”, por Yuval Noah Harari (Companhia das Letras)
10 – “Me Poupe!: 10 Passos Para Nunca Mais Faltar Dinheiro no seu Bolso”, por Nathalia Arcuri (Sextante)

9 livros que estão em alta para incluir na sua lista de leitura

1

De autobiografias a crônicas, poemas e obras que viraram filme

Juliane Romanini, no UOL

O mercado literário não para de lançar novidades para os apaixonados por narrativas reais ou fictícias. São dezenas de obras que tomam conta das prateleiras das livrarias e catálogos online, mas há sempre algumas que se sobressaem e conquistam a atenção do público – seja por seus personagens, história, autor ou assunto discutido .

Pra aqueles que procuram boas sugestões para passar o tempo ou simplesmente agregar conhecimento, veja 9 livros que estão em alta em 2018 :

Fome


Foto: Reprodução/Instagram @1livronovo | Reprodução/Instagram @globolivros / ObaOba

Roxane Gay sofreu abuso sexual aos 12 anos de idade e manteve esse segredo por muito tempo, um acontecimento que impactou (e impacta até hoje) sua vida. Após o ocorrido, a autora começou a lidar com vários problemas em relação ao seu corpo, e é neste livro autobiográfico intitulado ‘Fome’ que ela se abre de uma maneira profunda e sincera. Ao longo das páginas, Gay conta um pouco sobre sua batalha com a comida e julgamento alheio a fim de ajudar mulheres que estão em uma briga constante com si mesmas.

A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se


Foto: Reprodução/Site Livraria Cultura / ObaOba

Há quem diga que praticar o otimismo 24 horas por dia não é a melhor opção para ser bem sucedido na vida – e aliás, uma dessas pessoas é Mark Manson . No livro ‘A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se’ , o autor tenta aconselhar seus leitores sobre prioridades, estresse diário, angústias da vida moderna e até mesmo sobre inveja de um jeito descontraído. Para Manson, uma das maiores questões da vida é saber entender os seus limites e trabalhar de um jeito criativo uma verdade universal: você não é tão especial quanto pensa. A obra é uma ótima bíblia para lidar com fracassos, decepções e expectativas.

Outros Jeitos de Usar a Boca


Foto: Reprodução/Instagram @planetadelivrosbrasil | Reprodução/Instagram @planetadelivrosbrasil / ObaOba

Fenômeno mundial, Rupi Kaur já provou que seu dom mais natural de todos é se expressar através da poesia. A escritora, que é feminista assumida, fala sobre traumas, cura e abusos – assuntos que antes não eram tratados com a devida importância pelo mercado de livros . Kaur se torna uma amiga próxima através de suas palavras e toca profundamente até mesmo quem não tem um lado sentimental aguçado. A canadense, que nasceu na Índia, já tem dois livros lançados: ‘Outros Jeitos de Usar a Boca’ e ‘O Que o Sol Faz com as Flores’.

Textos Cruéis Demais para Serem Lidos Rapidamente


Foto: Reprodução/Instagram @textoscrueisdemais / ObaOba

Enquanto o imediatismo e a predominância de textos curtos aumenta entre as preferências da sociedade, o coletivo Textos Cruéis Demais para Serem Lidos Rapidamente luta contra isso. Conteúdos extensos, assuntos complexos e cutucadas em sentimentos frágeis são as principais características do grupo e do livro lançado por eles. É com calma e paciência que você irá digerir os textos cheios de alma e atitude da obra.

Na Minha Pele


Foto: Reprodução/Site Companhia das Letras | Reprodução/Instagram @olazaroramos / ObaOba

Movido pelo desejo de viver num mundo em que a pluralidade cultural, racial, étnica e social seja vista como um valor positivo, e não uma ameaça, Lázaro Ramos divide com o leitor suas reflexões sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação. Ainda que não seja uma biografia, em ‘Na minha pele’ Lázaro compartilha episódios íntimos e também suas dúvidas, descobertas e conquistas. Ao rejeitar qualquer tipo de segregação ou radicalismo, Lázaro nos fala da importância do diálogo. Não se pode abraçar a diferença pela diferença, mas lutar pela sua aceitação num mundo ainda tão cheio de preconceitos. Um livro sincero e revelador, que propõe uma mudança de conduta e nos convoca a ser mais vigilantes e atentos ao outro.

Atenção Plena


Foto: Reprodução/Site Saraiva / ObaOba

Ansiedade, estresse e exaustão são apenas algumas das características que impactam diretamente no foco e qualidade de vida do ser humano. Através do livro e o CD com meditações, o leitor terá a oportunidade de se libertar da pressão cotidiana e lidar com os problemas e dificuldades de uma maneira mais leve e menos torturante. Além disso, a obra ‘Atenção Plena’ explica de uma forma consistente o porquê da técnica mindfulness, que muitos consideram um estilo de vida, ser tão vantajosa e eficiente para os tempos atuais.

Propósito


Foto: Reprodução/Site Saraiva | Reprodução/Instagram @sriprembaba / ObaOba

Entre as diversas indagações mundanas do ser, a dúvida da existência terrena é uma das que mais fomentam sentimentos nas pessoas. Afinal, o crescimento individual de cada um é um caminho que precisa ser percorrido exatamente para quê? Em ‘Propósito’, Sri Prem Baba acalma a alma do leitor através de seus ensinamentos e dons naturais de enxergar a vida de uma forma ‘fora da caixa’. Ao longo dos capítulos, o mestre espiritual explica a essência do amor e porque é preciso cultivá-lo acima de tudo.

A Parte que Falta


Foto: Reprodução/Instagram @companhiadasletras / ObaOba

O livro ‘A Parte que Falta’ busca por completude e faz o leitor refletir sobre relacionamentos com a poesia singela de Shel Silverstein. O protagonista desta história é um ser circular que visivelmente não está completo: falta-lhe uma parte. Ao sair à procura do pedaço que lhe falta pelo mundo, ele acaba percebendo que a felicidade não está no outro, mas em nós mesmos.

O Conto da Aia


Foto: Reprodução/Site Saraiva / ObaOba

Escrito em 1985, o romance distópico ‘O conto da Aia’ , da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão (tornando-se propriedade do governo) e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump.

Melhores livros e músicas de 2017, segundo Barack Obama

0
(Bill Pugliano/Getty Images)

(Bill Pugliano/Getty Images)

“Das músicas que me moveram às histórias que me inspiraram, aqui está minha lista de 2017”, escreveu Obama. veja a lista:

Mariana Desidério, na Exame

São Paulo – O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama compartilhou com o mundo uma lista dos melhores livros que leu e das melhores músicas que ouviu em 2017.

Em um post no Facebook, o político americano escreveu:

“Durante a minha presidência, comecei uma tradição de compartilhar minhas listas de leituras e músicas. Foi uma ótima maneira de refletir sobre as obras que ressoaram comigo e levantar autores e artistas de todo o mundo. Com algum tempo extra nas mãos este ano para recuperar o atraso, quero compartilhar os livros e músicas que eu mais gostei. Das músicas que me moveram às histórias que me inspiraram, aqui está minha lista de 2017 – espero que vocês gostem e tenham um Ano Novo feliz e saudável.”

Veja a lista a seguir. Infelizmente, nenhum dos livros indicados pelo ex-presidente têm tradução em português.

Livros:

The Power, de Naomi Alderman
Grant, de Ron Chernow
Evicted: Poverty and Profit in the American City, de Matthew Desmond
Janesville: An American Story, de Amy Goldstein
Exit West, de Mohsin Hamid
Five-Carat Soul, de James McBride
Anything Is Possible, de Elizabeth Strout
Dying: A Memoir, de Cory Taylor
A Gentleman in Moscow, de Amor Towles
Sing, Unburied, Sing, de Jesmyn Ward
*Bônus para fãs de basquete: Coach Wooden and Me, de Kareem Abdul-Jabbar e Basketball (and Other Things), de Shea Serrano

Músicas:

Mi Gente, de J Balvin & Willy William
Havana, de Camila Cabello (feat. Young Thug)
Blessed, de Daniel Caesar
The Joke, de Brandi Carlile
First World Problems, de Chance The Rapper (feat. Daniel Caesar)
Rise Up, de Andra Day
Wild Thoughts, de DJ Khaled (feat. Rihanna and Bryson Tiller)
Family Feud, de Jay-Z (feat. Beyoncé)
Humble, de Kendrick Lamar
La Dame et Ses Valises, de Les Amazones d’Afrique (feat. Nneka)
Unforgettable, de French Montana (feat. Swae Lee)
The System Only Dreams in Total Darkness, de The National
Chanel, de Frank Ocean
Feel It Still, de Portugal. The Man
Butterfly Effect, de Travis Scott
Matter of Time, de Sharon Jones & the Dap-Kings
Little Bit, de Mavis Staples
Millionaire, de Chris Stapleton
Sign of the Times, de Harry Styles
Broken Clocks, de SZA
Ordinary Love (Extraordinary Mix), de U2
*Bonus: Born in the U.S.A., de Bruce Springsteen

Conheça os livros do vencedor do Nobel de literatura publicados no Brasil

0
Capa do livro “O gigante enterrado”, publicado no Brasil pela Companhia das Letras

Capa do livro “O gigante enterrado”, publicado no Brasil pela Companhia das Letras

O escritor nipo-britânico Kazuo Ishiguro foi anunciado, na manhã desta quinta-feira (5), no horário de Brasília, como o ganhador do prêmio Nobel de literatura deste ano. Kazuo Ishiguro também teve três obras adaptadas para o cinema

Publicado na Gazeta do Povo

Kazuo Ishiguro nasceu na cidade de Nagasaki, no Japão. Aos 5 anos, mudou-se com a família para a Inglaterra, tornando-se um escritor de língua inglesa. A revista “Time” o colocou em 32º lugar na sua lista de maiores escritores ingleses do pós-guerra. Time muito provavelmente terá de fazê-lo avançar algumas posições, agora que ele ganhou o Nobel de Literatura.

Ishiguro publicou no Brasil livros como “O Gigante Enterrado”, “Não me Abandone Jamais” e “Os Vestígios do Dia”, que já havia rendido ao autor o Man Booker Prize, outro dos grandes prêmios internacionais de literatura, em 1989.

O anúncio foi dado por Sara Danius, secretária permanente da Academia Sueca, instituição que concede o prêmio. Ela destacou que a obra de Ishiguro tem “grande força emocional” e “desvendou o abismo sob nossa sensação ilusório da conexão com o mundo”.
Confira os livros de Ishiguro publicados no país:

“Os Vestígios do Dia”

Um mordomo à moda antiga se ressente pela decadência da aristocracia britânica no entreguerras e pelo fato de ter um novo patrão que não dá a mínima para o emaranhado de rituais que orientam sua vida.

“Não me Abandone Jamais”

Triângulo amoroso se passa em um internato onde todos os “alunos” são clones, produzidos com a única finalidade de servir de peças de reposição (no caso, seus órgãos).

“O Gigante Enterrado”

Obra trata de um velho casal que viaja por uma paisagem traiçoeira e sem lei para tentar encontrar seu filho, enquanto tateiam a névoa do esquecimento que parece ter se abatido sobre a terra devido a uma maldição.

“Noturnos”

Nas cinco histórias há música e cair da noite a enquadrá-las cenograficamente. Mas o verdadeiro tema comum apenas se revela se o título for também tomado, metaforicamente, como alusão ao momento de esfriamento das esperanças de o talento naturalmente se ajustar ao sucesso, cujas condições se descobrem aleatórias, injustas e, por vezes, ridículas.

“Quando Éramos Órfãos”

Christopher Banks é um garoto que fica órfão aos nove anos de idade. Vinte anos depois, ele se torna um detetive e resolve rever Xangai, palco da guerra entre China e Japão, fazendo com que sua busca pelos pais seja confundida com a busca pela ordem no mundo.

“O Desconsolado”

O renomado pianista Ryder viaja para uma pequena cidade do leste europeu para um concerto. Lá, ele se envolve em uma briga entre o violoncelista Christoff e o maestro bêbado Brodsky, e em todos os lamentos dos moradores locais que desabafam frustrações e sonhos com o pianista.
Obras adaptadas para o cinema

Ishiguro escreveu roteiros – “A Profile of Arthur J. Mason”, “The Gourmet”, “The Saddest Music in the World” e “The White Countess”. O mais inglês dos cineastas americanos, James Ivory, adaptou justamente “A Condessa Branca” em 2005 e, mais de dez anos antes, “Vestígios do Dia”, em 1993.

Uma terceira adaptação para cinema foi “Never Let Me Go/Não Me Abandone Jamais”, por Mark Romanek, com Carey Mulligan e Andrew Garfield, em 2010. Ivory, um cineasta meticuloso, mas cuja mise-en-scène sempre foi um tanto débil, talvez sonhasse em ser Luchino Visconti. Só uma vez ele chegou perto, e foi justamente com “Vestígios do Dia”.

Anthony Hopkins faz o mordomo de uma mansão tradicional. Passa a vida servindo a um aristocrata decadente, que flerta com os radicalismos de direita. Em sua submissão – nasceu para servir -, Hopkins desperdiça o afeto de Emma Thompson, que vai trabalhar na casa. É um filme feito com sentido do detalhe, muito bem interpretado. É duro, sobre essas vidas desperdiçadas. O próprio Ivory disse que bastou-lhe seguir o fluxo de Ishiguro. É seu melhor filme.

Go to Top