Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged filme

‘O Labirinto do Fauno’ ganha versão em livro

0


Foto: Divulgação

 

Adaptação para a literatura do filme de Guillermo del Toro chega em edição de luxo, que tem ilustrações e capa dura

Publicado no Destak Jornal

As melhores histórias ficam com seus criadores eternamente. É por isso que J.K Rowling, por exemplo, não consegue deixar o universo de Harry Potter de lado, ou porque J.R.R. Tolkien escreveu vários livros e contos sobre o universo da Terra Média. Com o cineasta Guillermo del Toro, o processo não é diferente. Quando a fábula “O Labirinto do Fauno” chegou aos cinemas, ainda em 2006, o sucesso de crítica e público foi imediato. A mistura entre fantasia, sonho e realidade construído del Toro era tão palpável, incrível e desejável que automaticamente aquele cenário ficou preso na cabeça das milhares de pessoas que acompanharam a história nas telas, mas também na mente do seu criador, que até hoje é referenciado pela mesma. É por isso que o livro homônimo, escrito pelo próprio diretor e por Cornélia Funke (também uma mestre em fantasia, como “Coração de Tinta” no seu portfólio), tem como objetivo adentrar esse universo, misturando contos com a narrativa da protagonista Ofélia, no filme vivida por Ivana Baquero.

“Era uma vez uma floresta no norte da Espanha” dá o pontapé inicial para o livro, assim como o filme. Mas as semelhanças nos meros detalhes não param por aí. Assim como a obra cinematográfica, a literária vem acompanhada de um visual impressionante, do momento que você abre o livro, até a forma como os contos são intercalados. A edição de luxo é feita com um papel especial e uma capa dura convidativa, fator que pode garantir a atenção de uma criança menos interessada por expandir tal universo ou acompanhar um livro mais ou menos extenso. Mas, assim como o longa de 2006, essa parte da história faz isso perfeitamente. Até mesmo os tons azulados tão presentes na imagem de del Toro são fundamentais aqui, sendo que o livro é completo de detalhes azuis e cheio de alusões às criaturas que assolam o Labirinto em si.

Um dos motivos pelo qual “O Labirinto do Fauno” ainda se mostra uma história tão necessária, mesmo após todos esses anos, é a essência de suas personagens femininas, que carregam desejos e sonhos diferentes entre si e, eventualmente, vêm de lugares diferentes. A protagonista Ofélia, por exemplo, tira essa característica das páginas que lê tão avidamente. Esse aspecto ainda é reforçado pelo livro, mas dessa vez são casos de seu passado que estão em pauta, ajudando a entender algumas decisões que tomaram lugar e forma durante o longa.

De contraponto com essas personagens está o capitão Vidal, uma figura que carrega em si uma personalidade simples, quase ignorante e que é repleta de um sentimento frio adquirido após anos vivendo sob um regime totalitário. Sua relação com Ofélia é algo aprofundado mais aqui, bem como seu machismo quase velado, e sua frieza.

No mundo de Guillermo del Toro, o cinismo não existe e o lugar dele agora abre espaço para metáforas, simbologias e uma mitologia muito rica e detalhada, algo que se mistura de forma homogênea com o surrealismo político e atemporal apresentado pelo cineasta mexicano. Algo que não falta no livro também. Dessa forma, del Toro e Funke fazem o que parecia impossível: o processo reverso de transformar um filme em literatura. A missão, no entanto, é bem sucedida. “São poucos e raros aqueles que sabem para onde olhar e o que escutar. Mas, assim como nas melhores histórias, são esses que fazem a diferença”, diz a última frase do livro. Não é à toa que a força-tarefa com dois escritores resgatou exatamente o sentimento exposto na sentença.

Downton Abbey irá lançar livro sobre os bastidores do filme

0

Gabriel Valeriano, no Reserva Cinéfila

Downton Abbey, série britânica de grande sucesso mundial, está retornando, mas para os cinemas, o filme estreia em setembro deste ano, e trará de volta os personagens originais, incluindo Lady Mary (Michelle Dockery), Lady Edith (Laura Carmichael), Lord Grantham (Hugh Bonneville), Charles Carson (Jim Carter) e Violet Crowley, interpretada pela atriz Maggie Smith. O filme continuará a contar a história da família Crowley, que conquistou o coração de espectadores ao redor do mundo durante seis temporadas na televisão.

Agora outra novidade em relação ao filme foi divulgada, o lançamento de um livro que irá apresentar fotografias espetaculares da produção, entrevistas com o elenco e a equipe, e um olhar sobre o pano de fundo histórico e geográfico do filme.

Downton Abbey – O Fime gira em torno do Rei e da Rainha fazendo uma visita oficial a Downton em 1927, e não só vê o retorno de todo o elenco principal da série de televisão final, mas também introduz alguns grandes atores britânicos no mundo de Downton, quando nos encontramos a família real e seu séquito.

Downton Abbey: The Official Film Companion escrito por Emma Marriott já está com pré-venda disponível na Amazon.

Downton Abbey – O Filme estreia primeiramente em 13 de setembro no Reino Unido e 17 de setembro nos Estados Unidos.

Morre Toni Morrison, primeira mulher negra a vencer Nobel de Literatura, aos 88

0

 

A escritora Toni Morrison Imagem: Reprodução

Caio Coletti, no UOL

A escritora Toni Morrison morreu na noite de ontem, aos 88 anos. A informação foi confirmada pela Associated Press, citando um amigo da autora. Morrison era mais conhecida por assinar o livro Amada, de 1987, que se tornou o filme Bem Amada (1998), com Oprah Winfrey em um dos papéis principais.

O livro formou, junto com Jazz (1992) e Paraíso (1997), a trilogia que catapultou Morrison para a fama. Em 1993, ela venceu o Prêmio Nobel de Literatura, se tornando a primeira mulher negra a receber esta honra.

Em Amada, Morrison contou a história de Sethe (no filme, vivida por Winfrey), uma ex-escrava que vive com sua filha de 18 anos de idade em Denver (EUA). Traumatizada pela morte de sua mãe, Baby Suggs, e pela fuga de seus outros dois filhos, Howard e Buglar, Sethe acredita que uma presença fantasmagórica a assombra onde quer que vá.

É quando Paul D (interpretado por Danny Glover no cinema), que viveu a escravidão junto com Sethe, chega para tentar ajudar a família. Ele expulsa o espírito que vive na casa e parece ser bem-sucedido, até que uma jovem chamada Amada surge do nada para desequilibrar a nova dinâmica.

Além do Nobel, Morrison também venceu o Pulitzer na categoria de ficção em 1988, por Amada. Desde então, ela escreveu livros como Amor (2003), A Mercy (2008) e Voltar Para Casa (2012).

Sua última obra foi Deus Ajude Essa Criança, lançada em 2015, abordando a vida de uma garota negra que sofre preconceito dentro de sua própria família por ter a pele mais escura que seus pais.

Em junho, estreou nos cinemas dos EUA um documentário sobre a autora. Intitulado Toni Morrison: The Pieces I Am, o filme não tem previsão de chegada ao Brasil.

‘O Irlandês’, novo filme de Scorsese com De Niro e Al Pacino, ganha trailer

0

Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci protagonizam o novo drama mafioso de Scorsese
(foto: Netflix/Divulgação)

Produção da Netflix, filme ainda não tem data de estreia no streaming, mas será lançado em festival de cinema em Nova York em setembro

Isabella Moura, Correio Braziliense

A Netflix divulgou nesta quarta-feira (31) o primeiro trailer de O Irlandês, o novo drama do diretor Martin Scorsese. Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci estrelam o elenco, que ainda conta com Harvey Keitel, Ray Romano e Anna Paquin.

O filme é baseado na história do livro O Irlandês: Os Crimes de Frank Sheeran a serviço da Máfia, de Steve Zaillian, e narra a misteriosa história do desaparecimento do líder sindical Jimmy Hoffa nos Estados Unidos pós-guerra.

Desafio de Scorsese

A tecnologia utilizada nesse filme tem despertado a curiosidade do público. Na trama contada ao longo de décadas, Scorsese deixa os personagens de De Niro e Al Pacino muito mais jovens com o auxílio de VFX, tecnologia oferecida pela Lucasfilm’s Industrial Light & Magic.

O custo de cerca de US$125 milhões para produção de efeitos visuais foi o motivo pelo qual a Paramount desistiu do projeto e a Netflix abraçou o desafio já de olho em concorrer ao Oscar em 2020.

Ainda sem data de estreia na plataforma de streaming, o filme abrirá o Festival de Cinema de Nova York, em 27 de setembro e deve ser lançando também em cinemas de Los Angeles (EUA).

It: Capítulo Dois tem tempo de duração revelado – e promete ser um épico

0

Pennywise (Bill Skarsgard) em cena de “It: A Coisa – Capítulo 2” Imagem: Reprodução

Mauricio Deho, no UOL

O diretor de It: Capítulo Dois, Andy Muschietti, confirmou o tempo de duração da sequência do elogiado filme de terror, e a experiência será longa: 2h45 minutos com Pennywise e o Clube dos Perdedores na tela – 30 minutos a mais do que It: A Coisa, lançado em 2017.

E Muschietti teve de trabalhar muito na sala de edição. O corte inicial teve 4 horas de duração, segundo ele contou ao site Digital Spy. “Um filme é bem diferente quando você está escrevendo o script e construindo a história em relação ao produto final. No começo, tudo parece essencial. No entanto, quando você o vê editado e ele tem 4 horas de duração, você percebe que alguns eventos podem ser retirados, deixando a essência intacta.”

O diretor afirmou que foram feitos testes, todos com sucesso.

“Você não pode entregar um filme de 4 horas, porque as pessoas se sentiriam desconfortáveis – não importa o que vejam – mas acabamos com um filme de 2 horas 45 minutos, e o ritmo ficou muito bom”, disse Muschietti. “Ninguém que viu o filme teve reclamações”.

A produtora Barbara Muschietti afirmou que haverá uma “director’s cut” (uma versão com o corte original do diretor). “Desta vez, realmente há mérito para isso. Temos cenas incríveis que não puderam ficar no longa”.

Mas não se preocupe com os cortes. O diretor prometeu: “Tudo que é assustador está no filme”.

Stephen King falou sobre a sequência de It: A Coisa – baseado em seu livro de mesmo nome – e se mostrou empolgado:

“It: Capítulo Dois: O confronto final é épico”, tuitou o escritor.

O elenco conta com Jaeden Martell como Bill, Wyatt Oleff como Stanley, Jack Dylan Grazer como Eddie, Finn Wolfhard como Richie, Sophia Lillis como Beverly, Chosen Jacobs como Mike, e Jeremy Ray Taylor como Ben. Bill Skarsgård é Pennywise. A estreia está marcada para 5 de setembro nos cinemas brasileiros.

Go to Top