Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged história

Neil Patrick Harris lança seu primeiro livro infantil

0
Neil Patrick Harris. Foto: Mark Veltman/The New York Times

Neil Patrick Harris. Foto: Mark Veltman/The New York Times

‘The Magic Misfits’ conta a história de mágicos que tentam impedir um vilão de adormecer uma cidade inteira; obra será dividida em quatro partes

Publicado no Estadão

Neil Patrick Harris acaba de lançar sua mais nova empreitada na área da literatura: o ator escreveu um livro infantil, o The Magic Misfits. A publicação começou a ser vendida na última terça-feira, 21, nos Estados Unidos, mas ainda não se sabe se a obra será traduzida para o português.

O livro conta a história do mágico de rua Carter, que, junto com um grupo de mágicos, vai tentar impedir o vilão B. B. Bosso de jogar um feitiço que faria todos os habitantes de New England dormirem para sempre. O livro é o primeiro de uma série de quatro publicações.

Harris já escreveu um livro antes, com a biografia Neil Patrick Harris: Choose Your Own Autobiography (algo como Escolha sua própria Autobiografia), mas essa é a primeira vez que o ator escreve para crianças.

“Com o mundo atual, é muito difícil ter uma conversa com adultos sem entrar em assuntos traumáticos. Há notícias muito traumáticas agora. E eu acho que é uma coisa maravilhosa não falar sobre essas coisas, e ser uma criança, e ler um livro com o qual você pode escapar da realidade, e escapar em algo que é aproximado da realidade, não é super fantástico e ensina algumas coisas”, disse o ator ao Mashable.

O ator diz que ama o mundo da magia, por isso escolheu uma história que envolve mágicos. “Eu amo magia, eu sou um mágico. Eu pensei que seria legal um livro ilustrado para crianças, ensinar um ou dois truques para elas. Tendo uma ideia legal, não foi difícil escrever. A ideia foi aceita, comecei a fazer, mas a equipe da editora disse: ‘por que você não torna isso um livro maior, uma série de quatro livros?’. E isso foi um desafio interessante, porque aí eu comecei a escrever para crianças que ainda não começaram a ler muito ainda”, contou o ator, que disse que se inspirou em seus próprios filhos para definir a linguagem que utilizaria.

O Senhor dos Anéis – História pode ser adaptada como uma série de TV!

0

legiao_d0g8w5S34RPbuDjKcAnVNlFqpfeELQMzGJsoXTOy7_.jpg

A Warner Bros. parece estar interessada em levar a história para as telinhas.

Leo Gravena, no Legião do Heróis

Peter Jackson adaptou a trama de O Senhor dos Anéis para o cinema em uma aclamada trilogia de filmes, porém, parece agora que a Warner Bros. está querendo trazer de volta as aventuras de Frodo, Gandalf, Gollum e companhia.

De acordo com a Variety, a Warner Bros. Television e o patrimônio de Tolkien estão conversando com a Amazon sobre trazer novamente os icônicos personagens da Terra Média. Contudo, parece que as negociações ainda estão no começo e nenhum acordo foi feito ainda.

Possivelmente, essa noticia será vem divisiva entre os fãs dos livros e dos filmes. Porém, quando os filmes de Peter Jackson inicialmente foram anunciados, muitos fãs não gostaram da noticia.

Dicas para recuperar o hábito da leitura

0
(YakobchukOlena/ThinkStock)

(YakobchukOlena/ThinkStock)

 

Adora livros, mas não tem conseguido mais se concentrar em nenhuma história? Esses truques podem lhe ajudar

Anna Laura Moura, na Claudia

A leitura certamente está entre as práticas mais queridas – e terapêuticas! – da sociedade. Não tem erro: todo mundo tem aquele livro que marcou alguma época da vida, mesmo que aquele costume fervoroso de devorar livros não seja frequente. Das bibliografias às HQs, o que vale é a leitura e o bem-estar que tal prática propicia.

Os benefícios de ler regularmente são muitos. Um deles é o conhecimento. Ler sobre diversos assuntos, além de aprimorar a fala e a escrita (quanto mais palavras você conhece, mais amplo se torna seu vocabulário), pode rechear seu repertório cultural!

Ser mais informada implica abrir novas oportunidades tanto no meio social e pessoal quanto na carreira, pois uma pessoa culta que está sempre aberta a aprendizados se torna mais interessante, querida entre os amigos e cobiçada no mercado de trabalho. Abra seu leque de conhecimento através dos livros e veja a diferença!

Além de tudo isso, ler também estimula a sua memória. Quanto mais livros você ler, maior será seu entendimento e capacidade de interpretação. Ao entender a importância de um assunto e as razões pelo qual ele é importante, você conseguirá fixar as ideias, fazendo com que sua memória seja aprimorada.

Outro benefício importante: ler é extremamente terapêutico, pois brinca com a imaginação do leitor, fazendo-o se desconectar da realidade por alguns instantes.

Ficou empolgada? Confira nossas dicas para recuperar o hábito da leitura:

1. Descubra sobre o que você mais gosta de ler

Terror, suspense, romance, bibliografia, livros acadêmicos… as opções são infinitas. Leia livros de diversos tipos até achar o seu preferido. Quando descobrir, mergulhe de cabeça!

2. Desenvolva uma rotina

É impossível retomar uma rotina sem desenvolver uma e isso requer certa organização. É importante que você determine um local ou um horário para ler. Antes de dormir? No metrô durante o trajeto para o trabalho/faculdade/escola? Você escolhe! Torne esse horário o seu momento de conexão.

3. Sempre tenha um livro consigo

A vontade de ler só aumenta quando você sabe que tem um livro na bolsa, pois em um momento oportuno, ele estará lá para te distrair. Não adianta deixar o livro esquecido na estante! Pra desenvolver o hábito, ele precisa ser seu melhor amigo.

4. Faça uma lista de opções

Pesquise bastante em blogs de leitura, siga páginas sobre o assunto nas redes sociais… nesses locais sempre existem ótimas opções para todos os gostos, basta escolher. Se você está começando a criar o hábito agora, comece com livros menores. Se está retomando, até as sagas estão liberadas.

5. Frequente sebos/livrarias/bibliotecas

Os apaixonados por leitura irão concordar: não existe ambiente mais aconchegante que livrarias e afins. Basta entrar em uma e você já sentirá vontade de ler todos os livros disponíveis para vender. Ler um livro apreciando o silêncio de uma biblioteca pode ser mágico, experimente!

Seguindo essas dicas com disciplina, o amor pelos livros surgirá sem dificuldades. Boa leitura!

Filme mistura documentário e ficção na vida de Cora Coralina

0
Cena do filme 'Cora Coralina, Todas as Vidas' (Reprodução)

Cena do filme ‘Cora Coralina, Todas as Vidas’ (Reprodução)

Com seis gerações de atrizes no papel principal, produção recria história da escritora junto a depoimentos de contemporâneos

Publicado na Veja

O filme Cora Coralina – Todas as Vidas ganhou um novo trailer em que mostra mais da produção, que mescla documentário com ficção na história da escritora brasileira. O longa, que estreia no dia 9 de novembro, é dirigido por Renato Barbieri e aborda aspetos pouco conhecidos da vida de Cora, intercalados com a proclamação de poemas por seis gerações de atrizes brasileiras: Beth Goulart, Zezé Motta, Walderez de Barros, Tereza Seiblitz, Maju Souza e Camila Márdila.

As atrizes ainda recriam algumas cenas marcantes da vida de Cora, desde a sua infância e casamento em Goiás, o período em São Paulo e a morte aos 95 anos. Boa parte dos textos narrativos do documentário são excertos da obra da própria autora, como poemas, artigos e cartas, mas o filme também é livremente baseado no livro Raízes de Aninha, de Clóvis Brito e Rita Elisa Seda. A produção ainda conta com depoimentos de contemporâneos, colaboradores, amigos, parentes e estudiosos da obra de Cora.

Adaptações de livros e HQs no cinema podem ser fieis aos originais?

1
Divulgação

Divulgação

Muito além do que só traduzir a história, adaptações precisam se preocupar em recriar uma narrativa de forma que funcione na linguagem do cinema

Publicado no 24 Horas News

Adaptações de livros e quadrinhos para o cinema são muito mais frequentes do que um espectador mais desavisado pode pensar: muitas obras antes de chegarem às telas já eram livros que foram aclamados pela crítica ou sucesso de público. Entretanto, apesar de se colocarem dessa forma, ler um livro e ver um filme são experiências narrativas completamente diferentes e não é incomum que boa parte das histórias originais se percam no meio do caminho – ou nunca fizeram parte do plano de roteiro da produção. Por outro lado, obras que trabalham integralmente o conteúdo escrito acabam não agradando. Afinal, é possível ser fiel ao adaptar um livro ou história em quadrinhos para o cinema?

Do papel para as telas

O que não faltam são exemplos de adaptações de um meio para o outro – tanto aquelas que deram muito certo, quanto as que foram verdadeiros erros do início ao fim. Isso, contudo, não faz necessariamente com que a história seja ruim, muito menos que o original seja ruim, são apenas particularidades envolvidas nesse processo. Ler um livro é uma coisa, ver um filme é outra.

 Divulgação "Quarteto Fantástico": três filmes e duas versões fracassadas no cinema

Divulgação
“Quarteto Fantástico”: três filmes e duas versões fracassadas no cinema

São mídias divergentes que, embora possam dialogar entre si, cada uma tem seu próprio universo e é regida por códigos internos, isso acaba por dificultar a tarefa de transposição. Como o sociólogo Marshall McLuhan escreveu em uma de suas obras, “o meio é a mensagem”, ou seja, a mídia exerce grande influência no produto final e em como ele será consumido. Uma mesma narrativa pode se tornar um clássico da literatura, mas ter versões falhas no cinema: o problema é a inadequação que acontece entre a história e o veículo, não se restringe a uma das partes. Por exemplo, quantas vezes Romeu e Julieta já não viraram filme, mas a peça jamais perdeu seu status de ser uma das maiores obras já feitas em língua inglesa.

Há por outro lado livros que nasceram para as telas. As sagas de Harry Potter e “Senhor dos Anéis” foram extremamente bem sucedidas em ambos dos meios e se sustentam inteiramente tanto nos livros quanto no cinema. O recente sucesso do filme de “It – A Coisa”, que bateu o recorde de filme de terror com a maior bilheteria da história, é baseado no livro homônimo de Sthephen King. Porém há aquelas adaptações que não agradaram nem um pouco, como “Quarteto Fantástico” que, mesmo sendo uma das HQs mais importantes da Marvel, não acertou a mão no cinema.

Chamar esse movimento entre os meios de “adaptação” é uma forma educada de se falar em releitura. É impossível somente migrar o conteúdo de um meio para o outro, é necessário que haja uma tradução da obra para que ela se adeque a nova mídia. A adaptação de “Watchmen”, por exemplo, peca justamente por ser excessivamente fiel aos quadrinhos de Allan Moore – o que é irônico, dado que uma crítica comum feita para filmes com o rótulo é a falta de elementos fidedignos às histórias originais.

O envolvimento lúdico do leitor ou espectador precisa ser levado em conta para se realizar esse trabalho. A experiência que um livro proporciona é diametralmente oposta à de um filme, ou seja, cada um trabalha com seu próprio grau de imersão. “Blade Runner”, livremente baseado no livro “Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas”, ainda seria um clássico caso a narrativa original tivesse sido integralmente conservada na passagem de uma mídia à outra?

Assim, não há uma resposta ideal para como devem ou não ser feitas as adaptações – elas não deixarão de existir, boas ou ruins. Ser fiel ao original é uma questão que não diz respeito à qualidade do produto final, na verdade, isso não diz muita coisa para além da liberdade criativa do diretor envolvido e no tato para entender o que funciona ou não em uma mídia. Além do mais esse aspecto sozinho não pode definir parâmetros objetivos, mesmo sendo um elemento recorrente em críticas.

Go to Top