Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged instagram

Essa usuária do Instagram transforma seus livros em cenários incríveis

0

Publicado no Hypeness

Quem ama os livros e possui uma boa biblioteca em casa sabe que além da importância intelectual, emocional e imaginativo que podem provocar em nossas vidas, os livros são objetos especialmente bonitos e cheios de espírito – como verdadeiros objetos de arte. Para além do aspecto decorativo, em que os livros sempre transformam a aparência de uma casa em algo mais bonito e vivo, com 90 mil seguidores no Instagram, Elizabeth Sagan, que sempre postou sobre livros, decidiu transformar a função de sua biblioteca e usar os livros como cenografia e cenário para suas incríveis fotos.

Inicialmente ela simplesmente postava sobre suas leituras preferidas. Aos poucos, a interação com os livros enquanto objetos, a estante e a biblioteca de modo geral foi se tornando o foco de suas postagens. Como que tornando literal o sentido metafórico da leitura, os livros são transformados em asas, casas, roupas e capas. O que a literatura é capaz de fazer por nosso espírito, Sagan torna em uma concreta e belíssima imagem em sua conta no Instagram.

Veja a lista de livros que Madonna anda lendo

0

Madonna-Divulgação1

Temáticas humanistas, romances italianos e obras religiosas são alguns das categorias que a estrela escolheu para estar na sua cabeceira

Edson Caldeira, no Metropoles

Madonna é admirada no mundo inteiro por suas performances no palco, a energia inesgotável e a habilidade de continuar trabalhando e produzindo música — mesmo que muita gente preconceituosa se incomode com isso. No entanto, a diva também tem seus momentos longe dos holofotes, aos quais ela já admitiu que adora passar com os filhos ou na companhia de bons livros.

Reprodução/Instagram/Madonna

Reprodução/Instagram/Madonna

 

Recentemente, a cantora compartilhou no Instagram Stories a imagem de alguns deles. A maioria das obras estão disponíveis no Brasil e revelam a versatilidade de Madonna que pelo jeito lê de tudo: desde best-sellers religiosos a romances italianos do pós-guerra.

Madonna11

“Davi e Golias” de Malcolm Gladwell
Tendo como base a história bíblica de Davi e Golias, o escritor Malcolm Gladwell descobre regras ocultas que moldam o equilíbrio entre os fracos e poderosos. Sendo assim, o autor não concentra sua narrativa apenas no conto do livro sagrado — que mostra a impressionante vitória do pequeno israelita contra o gigante filisteu — trazendo a ideia do campo de batalha para a contemporaneidade.

A reação dos londrinos aos bombardeios alemães na Segunda Guerra, a mente de pesquisadores do câncer e líderes negros dos direitos civis, os assassinatos e o alto custo da vingança, são alguns dos tópicos explorados pelo livro. Em outras palavras, o autor mostra que o verdadeiro poder não tem nada a ver com vantagem material, mas surge através dos frutos da adversidade e da luta.

“Ele [Davi] é mais esperto do que seu oponente, melhor armado e ele teve essa força extraordinária em seu coração. Quando você entende essa perspectiva, você entende que, às vezes, nosso instinto sobre a origem do poder é errado”, explicou Gladwell para o site RNS

Madonna2

“As Mulheres do Deserto” de Alice Hoffman
O mundo do antigo judaísmo, bem como o desafio de ser mulher naquele tempo, inspirou a autora Alice Hoffman a escrever sua obra que tem como pano de fundo a primeira guerra entre judeus e romanos. Nos anos que se seguiram à destruição do conflito, cerca de 900 judeus refugiaram-se na fortaleza de Massada, situada no litoral sudoeste do Mar Morto.

De acordo com o historiador Josefo, quando a muralha finalmente caiu, cada chefe de família decidiu matar sua própria família para que estes não fossem submetidos à tortura, estupros e escravidão dos romanos. Apenas duas mulheres e cinco crianças sobreviveram.

Com base neste evento trágico, Hoffman tece um conto de quatro mulheres ousadas que, mesmo diante de uma brutalidade desonesta e a pressão do desespero optaram pela esperança e o vínculo feminino.

Madonna3

“Sapiens – Uma História Breve da Humanidade” de Yuval Noah Harari
Nesta obra, Yuval Noah Harari, doutor em História pela Universidade de Oxford, mostra uma visão macro da a história dos seres-humanos. Mais que uma simples aula de história, Harari levanta questões de identidade, consciência e inteligência, lidando com o tipo de escolhas e dilemas que um mundo totalmente automatizado nos apresenta.

Para isso, o autor divide o livro em três tópicos, que ele chama de “revoluções. Primeiro, a revolução “cognitiva” que ocorreu há cerca de 70 mil anos — quando começamos a nos comportar de maneiras muito mais engenhosas com o desenvolvimento da linguagem. Depois, a revolução agrícola, que trouxe fatores como fome, maior suscetibilidade à doenças e formas desonestas de hierarquia. Harari acha que a troca foi uma “barganha ruim” e que estávamos melhor na era da pedra.

A “revolução científica” começa há cerca de 500 anos e desencadeia a revolução industrial, há cerca de 250 anos, o que desencadeia a revolução da informação, há cerca de 50 anos, o que desencadeia a revolução biotecnológica, que Harari suspeita sinalizar o fim do sapiens.

Madonna4

“Mais esperto que o Diabo” de Napoleon Hill
Napoleon Hill escreveu este livro em 1938, no entanto, sua narrativa continua sendo atual para quem gosta de uma literatura motivadora. Usando sua habilidade para chegar à raiz do potencial humano, o autor, que foi assessor do presidente Franklin Delano Roosevelt, identifica os maiores obstáculos que enfrentamos para alcançar objetivos pessoais: medo, procrastinação, raiva e ciúme, como ferramentas do Diabo.

Sabendo que esses métodos ocultos de controle podem nos levar à ruína, o escritor revela os sete princípios do bem que nos permitirão triunfar sobre eles e ter sucesso. Além disso, a obra mostra ao leitor como criar a própria renda para o sucesso, harmonia e realização em momentos de incerteza.

Madonna5

“Cérebro Adolescente” – de Daniel J. Siegel
Madonna é mãe de 6 filhos, quatro deles já são adolescentes, por isso, nada mais justo do que compreender esse universo. Para o autor, é importante que os pais considerem que na adolescência, o cérebro está sendo transformado de forma maciça e suas funções terão um impacto duradouro.

Siegel, professor de psiquiatria clínica na Universidade da Califórnia, dividiu a obra em quatro partes. Nelas, o autor explora a essência da adolescência moderna, desmistifica o funcionamento interno do cérebro adolescente, descreve como os relacionamentos moldam o senso de identidade e oferecem dicas para que pais e filhos trabalhem juntos para formar uma conexão profunda uns com os outros .

Por isso, ele procura dissipar o mito de que os problemas dessa fase a são devidos a hormônios furiosos, convencendo os leitores de que os adolescentes não só podem sobreviver a esse período como também prosperar com ele.

Madonna6

“A Amiga Genial” de Elena Ferrante
Elena Ferrante optou por deixar apenas sua obra brilhar enquanto ela permanece anônima. A escritora italiana é autora de seis romances, entre os quais o famoso “A Amiga Genial”, mas nunca fez nenhuma aparição pública. O enredo do livro, no entanto, ganhou proporções inimagináveis, aparece nas listas de best sellers e em breve servirá de inspiração para uma série da HBO.

A história começa na década de 1950, num bairro pobre mas vibrante nos arredores da Nápoles do pós-guerra (talvez venha daí a identificação de Madonna com a obra, já que a estrela pop tem origem italiana e também nasceu nessa época). Crescendo nessas ruas difíceis, duas garotas aprendem a confiar uma na outra antes de qualquer pessoa ou qualquer outra coisa.

Mesmo sendo um retrato ficticioso da história, a obra também narra as formas de realização de uma nação passando por mudanças importantes.

Caio Castro lança livro sem gostar de ler: ‘Cansa a vista’

0

caio_castro

Ator, que já declarou não ir ao teatro, conta em livro viagem feita há quatro anos: ‘Foi uma brisa’

Publicado na Veja

Isso deve explicar o tamanho dos textos, alguns curtos como legenda de Instagram. Caio Castro, que está lançando É por aqui que Vai pra Lá (Globo Estilo, 144 páginas, 39,90 reais), livro inspirado nas viagens que fez em 2012, quando tirou um ano sabático depois de quatro de labuta na Globo, admite não gostar de ler. “Cansa a vista”, diz.

Isso não impede o ator de “obter conhecimento”, como diz. “Não gosto da leitura para o lazer, não fico ‘Nossa, quero ler um romance’. Tem várias vezes que eu falo ‘Quero ler uma parada de física’, mas é difícil, me cansa muito a vista assim. Aí, eu busco um documentário”, conta Caio, que parece não se importar com o que pensam dele. Em 2014, o ator foi criticado por colegas de profissão ao dizer, em entrevista a Marília Gabriela, não gostar de ir ao teatro.

Ele deve esperar, porém, que os fãs gostem ao menos um pouquinho – se não de ler, das fotos que recheiam o volume, impresso em papel especial. O livro sai com uma tiragem de nada menos que 25.000 exemplares.

Sebastião Selfie – Não gostar de ler também pode explicar o gosto do ator por títulos de fotografia. Caio Castro conta que a inspiração para o livro, que sai em caprichada edição de capa dura, é o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, conhecido por seu trabalho próximo ao etnológico junto a comunidades indígenas e de sem-terra. A técnica de Castro, no entanto, é um tanto diferente: o ator é adepto de selfies, recurso que permite a ele estar em todas as imagens.

“Um tempo atrás, eu comprei um livro do Sebastião Salgado, e comecei a me interessar por livros de fotografia”, diz. Segundo o ator, sua intenção era, como Salgado, motivar os leitores a saírem da zona de conformo e explorar o mundo. “Eu me senti muito inspirado, querendo viajar e conhecer esses lugares.”

Revelado em um concurso para escolher atores para a novelinha adolescente Malhação, feito pelo Caldeirão do Huck em 2008, Caio Castro resolveu dar um tempo de tudo em 2012 e se jogou em uma maratona de viagens, de Washington a Amazônia, passando pelo Japão e França. Caio, que este ano voltou a cair na estrada na companhia de amigos, disse ter se baseado nas memórias e nas fotos para escrever o livro. “Foi uma brisa assim.”

Editoras mais populares no Instagram (12)

1

logo-instagram-2013

Sérgio Pavarini

Há duas semanas o Instagram avisou que iria promover mudança no feed. Traduzindo: seriam exibidas primeiramente as imagens de perfis com que os usuários mais interagem, em lugar da ordem cronológica usada desde o início da rede. Os internautas chiaram bastante e eles adiaram a mudança para daqui a alguns meses.

Para deixar os usuários mais satisfeitos, o Instagram anunciou a liberação da publicação de vídeos mais longos, de até 1 minuto. O novo recurso também permitirá usar vários clipes na edição de um único vídeo.

Depois de uma pausa, estamos de volta com o ranking de popularidade das editoras no Instagram. Vejam o que aconteceu nos últimos meses. Panelinha, Intrínseca e Rocco permaneceram nas primeiras posições. A Arqueiro ganhou duas posições e agora está no 4º lugar. A Cia das Letras também subiu dois degraus e está na 7ª posição. A Editorial Record subiu 3 lugares e está em 9º. Zahar ganhou duas posições e está em 13º. A Globo Livros deu o maior salto: de 19º para 14º. A Universo dos Livros também ascendeu duas posições. Por fim, a Nemo estreou em 18º lugar.

Em abril tem mais. 🙂

 

Ranking de março

1.   225.000     Panelinha                  @editorapanelinha
2.   186.000     Intrínseca                  @intrínseca
3.   115.000     Rocco                        @editorarocco
4.   104.000     Arqueiro                    @editoraarqueiro
5.     86.900     Novo Conceito          @novo_conceito
6.     78.500     Casa dos Espíritos     @casadosespiritos
7.     78.000     Cia das Letras            @companhiadasletras
8.     66.800     Gutenberg                 @editoragutenberg
9.     64.300     Editorial Record         @grupoeditorialrecord
10.   63.000     Mundo Cristão           @mundocristao
11.   62.500     Sextante                    @editorasextante
12.   42.830     Galera Record            @galerarecord
13.   39.000     Editorazahar              @editorazahar
14.   28.600     Globo Livros              @globolivros
15.   27.600     Univdoslivros             @universodoslivros
16.   22.700     Central Gospel           @editora_centralgospel
17.   16.100     WMF Martins Fontes  @editorawmfmartinsfontes
18.   10.500     Editora Nemo             @editoranemo
19.   10.200     CPAD                          @editora_cpad
20.     6.900     Editora Saraiva           @editora_saraiva

(atualizado em 29/3/2016)

22 lugares em São Paulo que todo amante de livros precisa conhecer

0

De livrarias a cemitério. Inspirado no livro Rotas literárias de São Paulo.

Iran Giusti, no BuzzFeed

1. Faculdade de Direito Largo São Francisco – Universidade de São Paulo

1

Fundada em 1827 a Faculdade de Direito Largo São Francisco foi por décadas a única instituição de ensino da área de humanas ficando conhecida por seus ilustres pensadores. Lá se formaram nomes como Castro Alves, José de Alencar, Monteiro Lobato, Hilda Hilst e Décio Pignatari.

A visita ao pátio e às arcadas são abertas ao público porém quem se interessar por desbravar espaços fechados como a biblioteca, o salão nobre, a sala São Leopoldo e o célebre tumulo de Júlio Frank pode participar de uma visita monitorada na última sexta-feira de cada mês. Para se inscrever basta ligar no (11) 3111-4053. A visita tem cerca de uma hora e meia de duração.

A Faculdade fica localizada no centro da cidade e você pode saber mais sobre ela aqui.

2. Casa Guilherme de Almeida

2

Localizada no bairro do Pacaembu, a casa do poeta, tradutor, dramaturgo e jornalista Guilherme de Almeida preserva a história do célebre ex-morador e da cidade de São Paulo como poucos poucos lugares. Desconhecido do grande público, Guilherme foi nome importante na Revolução de 32 que marcou a cidade. Para saber mais clique aqui.

3. Instituto Goethe

3

O Goethe-Institut São Paulo é responsável por diversos eventos culturais que apresentam o intercâmbio entre a cultura do país com a alemã. Além dos eventos ligados ao ensino, música, literatura, esporte, teatro, culinária, arquitetura, ao cinema e ao meio ambiente, conta com aulas e certificados. Saiba mais aqui.

4. Museu da Língua Portuguesa

4

Referência internacional, o Museu da Língua Portuguesa, como o nome já indica, aborda a linguagem oral e escrita no país. Além do acervo, exposições temporárias de alto nível animam qualquer um. Não foi o suficiente para te convencer? Saiba então que ele fica no majestoso prédio da Estação da Luz, no centro de São Paulo. Mais informações aqui.

5. SESC Pompéia

5

Projetada pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi a partir de uma antiga fábrica de tambores na Pompéia, a unidade do SESC é uma referência na rede e conta com uma programação intensa de shows, peças de teatro, exposições, atividades esportivas além de uma revistaria aberta ao público e uma grande biblioteca. Veja mais aqui.

6. Biblioteca de São Paulo

6

A biblioteca de São Paulo tem 4.257 m², cerca de 30 mil itens e é um prato cheio para os leitores paulistanos. Localizada no Parque da Juventude, antigo Carandiru, conta ainda com (mais…)

Go to Top